Endosso ou um novo seguro. O que é melhor quando ocorre mudança na apólice

| Autor: Jeniffer Elaina

Será que é melhor fazer um endosso ou um novo seguro quando há mudança na apólice? Quando cada opção torna-se mais vantajosa? Tire suas dúvidas e escolha a melhor opção para você.

Com mais um ano chegando ao fim, é comum planejarmos mudanças para o tempo que virá.

Em muitos casos, aliás, o planejamento familiar pode contar com a troca de carro.

Porém mudar de carro requer alguns cuidados, como a atenção ao seguro.

Qualquer alteração nas condições de contrato de um seguro auto gera um endosso.

Ou seja, uma “retificação” do contrato em vigor.

Por isso, você, segurado, precisa procurar sua corretora e realizar as alterações necessárias em seu contrato de seguro.

Seja indicando o modelo do carro, o novo endereço da sua residência, o condutor principal do veículo, novos condutores secundários ou outros.

Quando a troca é realizada para adequar um novo carro, o veículo não fica desprotegido.

Na verdade, durante o prazo em que o novo carro ficar sem o seguro, o consumidor fica resguardado pelos prejuízos que sofrer com o seu veículo.

Os tipos de cobertura que você possui na apólice é o que vai determinar o que você receberá caso ocorra um sinistro.

A validade de seu seguro começa e termina 24 horas depois das datas indicadas na apólice.

Tudo isso significa que é possível usar o mesmo seguro para outro veículo, desde que as informações sejam atualizadas, e as mudanças aceitas pela seguradora.

 Endosso ou um novo seguro. O que é melhor quando ocorre mudança na apólice

O que é o endosso?

Apesar de a prática do endosso ser bastante comum por aqueles que possuem seguro, a palavra pode soar um pouco estranha para algumas pessoas.

De modo geral, o endosso significa a transferência de um título para outra pessoa.

O que normalmente ocorre com os cheques, por exemplo, quando ele muda de proprietário.

No entanto, o endosso do seguro não ocorre apenas quando o carro troca de dono.

No caso dos seguros, a definição de endosso pode abranger diversas situações.

Para simplificar, pode-se dizer que o endosso do seguro é um documento emitido pela seguradora que reconhece as alterações realizadas durante a apólice vigente.

Essas alterações, no entanto, podem ser das mais diversas, já que quase todas as alterações de dados requerem um endosso.

Como fazer o endosso no seguro?

Se você possui um seguro auto e vai vender o carro, transferi-lo para outra pessoa ou mudar qualquer uma das informações constantes na apólice, é preciso fazer o seu endosso.

Um endosso pode:

  • Indicar a mudança de endereço de pernoite do veículo;
  • Fazer a inclusão ou exclusão de coberturas;
  • Informar o novo local de localização e/ou estacionamento do veículo;
  • Indicar a troca do veículo segurado (um seguro está ligado ao indivíduo segurado, e não ao carro);
  • Cadastrar novos condutores regulares do veículo;
  • Informar a instalação de novos equipamentos no auto, como o kit gás; e etc. Nesse caso porém é necessária e vistoria e autorização do Detran, caso eles mudem a originalidade do veículo. Os dados referentes a essa vistoria devem ser apresentados no momento do endosso;
  • Adição e remoção de coberturas como roubo ou furto;
  • Adição ou remoção de regiões de cobertura. Alguns seguros cobrem em todo o país, mas é importante se informar sobre isso no momento da contratação. Além disso, é possível estender o seguro para outros países;
  • Alteração na cobertura contra fenômenos naturais como granizo ou enchentes;
  • Adição ou remoção de opcionais como proteção para os retrovisores, faróis e vidros, que normalmente não estão incluídos nas coberturas básicas dos seguros;
  • Alteração de dados bancários e de pagamento do cliente.

Precisando registrar o endosso, o usuário deve entrar em contato com a seguradora e informá-la sobre todas as informações.

Assim, é feito um novo documento, estabelecendo a mudança da apólice do seguro.

As informações devem estar bem especificadas, para que não gerem problemas futuros.

Toda e qualquer mudança deve ser informada à empresa, mesmo que você a considere mínima.

Imagine, por exemplo, que, durante o dia, seu carro ficava estacionado em um local fechado do escritório.

No entanto, você mudou de emprego, e agora o veículo fica na rua.

Se o carro sofrer um sinistro neste período, a seguradora poderá questionar o porquê ele estava estacionado na via pública.

Como não era essa a situação listada em apólice, a empresa pode entender a informação diferente como fraude.

Assim, há a possibilidade de que a indenização seja negada.

Situações desse tipo ocorrem porque a seguradora leva em conta os mais variados fatores para definir o custo do seguro e o valor da indenização da apólice.

Se os dados sobre o seu carro mudam, é bem provável que prêmio e indenização também mudem.

Por isso, a empresa deve ser informada.

Com as informações corretas, porém, a própria seguradora é quem gera o documento atualizado e o anexa a apólice.

Assim, o indivíduo tem a segurança de se manter protegido.

A única cláusula que não pode ser retificada por endosso é a para inclusão/exclusão da cobertura contra colisão e incêndio.

Esse novo seguro pode mudar as minhas coberturas?

No geral, um endosso serve para mudar as informações do motorista, e não as coberturas da proteção.

Caso queira alterar as coberturas oferecidas pela seguradora, vale a pena pensar em um novo seguro.

Isso porque, é mais fácil e, muitas vezes, mais barato, criar um novo seguro, do que inserir coberturas adicionais no que já existe.

Em todo o caso, você pode avaliar a possibilidade de endosso de cobertura com a sua seguradora.

Por vezes, as condições valem a pena.

Endosso para acessórios

Algumas pessoas gostam de personalizar seus carros ou incluir acessórios para facilitar no dia-a-dia.

Porém, nem todas incluem essas peças no seguro.

O grande problema dessa prática é que em caso de sinistro, o valor das peças (que em alguns casos é bastante alto), não é incluído na indenização, trazendo prejuízo para o segurado.

Dependendo da seguradora e do acessório, a falta de endosso pode fazer com que o segurado perca a indenização.

Se as peças estiverem incluídas na cobertura, mesmo que algo aconteça apenas com elas, o segurado pode ter direito a um ressarcimento.

Isso aplica-se, por exemplo, a rodas com aros diferentes dos originais ou rádios.

É mais simples fazer o endosso ou contratar outro seguro?

A decisão pelo endosso ou novo seguro depende do segurado.

Caso não seja do interesse do indivíduo manter a cobertura antiga, é válido contratar um novo seguro para o carro.

Mas, se o desejo for por manter a cobertura, mas com mudanças de informações, será necessário um endosso.

Também é preciso fazer o endosso quando o carro é vendido.

Afinal de contas, o veículo poderá continuar a ser protegido pelo mesmo seguro.

A simples venda do veículo não cancela o seguro — ele continuará vigente normalmente.

No entanto, o nome do dono do automóvel terá mudado, e precisará ser atualizado.

Caso esse cuidado não seja realizado, a seguradora poderá acusar, novamente, fraude.

Ou mesmo quitar uma indenização ao dono incorreto do veículo.

Fazer um endosso tem algum custo?

Ao realizar um endosso, o seguro pode sofrer mudanças de valores.

Principalmente quando há a troca do carro ou da cobertura ofertada.

O endosso é calculado em função das condições e dos prêmios vigentes à data de alteração do contrato de seguro.

Isso significa que alguns endossos podem gerar alterações tanto nas condições do seguro, quanto no valor da franquia e/ou no prêmio do seguro.

Nessas situações, pode ocorrer, inclusive, a restituição ou cobrança adicional de prêmio (custo) ao segurado.

A mudança no prêmio ou a restituição referente ao endosso não implica na suspensão do pagamento das parcelas originais da apólice.

Ou seja: o consumidor precisa pagar os valores referentes ao tempo já utilizado do seguro.

As mudanças, como o aumento da mensalidade, ou então no custo da franquia, só começarão a contar a partir da data do endosso.

O mesmo ocorre em caso de restituição.

O consumidor só será restituído com valores que não correspondam aos meses utilizados do seguro.

Isso ocorre, geralmente, quando o consumidor faz o pagamento de parcela única do seguro, ou então em prestações maiores.

O processo e solicitação do endosso, propriamente dito, normalmente não possui custo.

Ou seja, se a informação alterada não influenciar no valor do seguro, nada será cobrado do segurado.

No entanto, já possuindo um seguro, fazer o endosso é quase que indispensável.

Isso porque, quando as informações estão desencontradas a seguradora pode negar-se a pagar a indenização e fazer com que o segurado pague tudo sozinho.

Pior ainda, a empresa pode entender a atitude como uma tentativa de fraude, e no pior dos casos, abrir uma ação judicial contra o cliente.

Sendo assim, os possíveis prejuízos e riscos a serem corridos, certamente são maiores do que os gastos com o endosso.

Entendendo a restituição e cobrança adicional de prêmio

Imagine que o seu seguro tenha prêmio de R$ 1.200.

Isso significa que, por mês, o custo da proteção do veículo é de R$ 120.

O contrato foi assinado em janeiro.

No fim de junho, então, você faz um endosso, e muda o modelo do seu carro protegido.

Como resultado, há o aumento do prêmio do veículo em R$ 50 por mês.

A partir de julho, você precisará pagar mensalidade de R$ 170, e não mais de R$ 120, até o fim do ano.

Como as mensalidades anteriores não possuíam endosso, elas não são afetadas.

Sempre que uma movimentação de prêmio acontece, também é cobrado custo de emissão do endosso.

Com o mesmo prêmio e endosso do nosso exemplo, a seguradora resolve fazer a restituição de parte do seguro.

Afinal, seu novo modelo de veículo é menos sujeito a sinistros.

Você, porém, já quitou todos os R$ 1.200, em apenas três parcelas no início do ano.

Nessa situação, o novo prêmio do seguro é de R$ 1 mil.

Já se passaram 6 meses de proteção, e esse período não terá desconto, pois já foi utilizado.

As demais parcelas do ano, porém, se pagas por mês, teriam custo de R$ 83,33, e não de R$ 100, como no seguro original.

Logo, o usuário receberá R$ 16,67 correspondentes a cada período de julho a dezembro.

Ou seja, R$ 100,02 de retorno, graças ao novo e menor valor do prêmio.

Quando é mais vantajoso fazer um novo seguro?

Um novo seguro é mais indicado para quando o consumidor deseja mudar muito as características do seguro.

Porque, apesar de a finalidade do endosso ser justamente a alteração de dados do motorista ou de uso do carro, muitas alterações, que sejam significativas no seguro atual podem fazer valer a pena a realização de uma nova cobertura.

Isso porque, o seguro atual pode ficar até mesmo desconfigurado, e ter um valor completamente diferente.

Nesse caso, vale a pena fazer uma pesquisa em diferentes empresas e ver se a seguradora atual ainda é a mais vantajosa.

Nesse caso, o ideal é aguardar a validade da apólice para contratar um novo seguro.

Em seguida, o usuário poderá adquirir uma nova cobertura, com a mesma ou outra seguradora.

É importante finalizar o período de contrato por três motivos.

Primeiro, porque é comum a cobrança de multa por quebra do acordo.

O consumidor também não recebe seu dinheiro de volta, o que pode caracterizar um belo prejuízo.

Além disso, ao finalizar o tempo de contrato, o consumidor pode utilizar do bônus do seguro.

O bônus é um desconto dado ao usuário a cada ano, sempre que ele finaliza um contrato sem registrar nenhum sinistro.

É possível utilizar o bônus também ao contratar o seguro de outra operadora, já que o benefício está ligado ao CPF do consumidor.

Conclusão

Portanto, no fim das contas, é o segurado quem define a melhor opção, de acordo com a sua situação.

Porém, é importante ressaltar que contar com um corretor de seguros pode facilitar muito essa decisão, pois ele poderá recolher o maior número de informações possíveis, ajudando a ver qual empresa oferece o melhor custo benefício.

Isso porque, junto com seu cliente, o corretor poderá avaliar com bastante clareza as variáveis envolvidas.

Todavia, de modo geral, pode-se dizer que quanto menor alteração da apólice, maiores são as chances de um endosso ser o mais vantajoso.

Até porque, algumas alterações não interferem no valor da cobertura.

No fim das contas, o que deve ficar guardado na cabeça de quem tem algum veículo é que o que não pode é ficar sem seguro, pois as chances de acontecer um sinistro são muito altas, e o prejuízo pode ser maior do que qualquer cobertura.

Além disso, deve-se sempre procurar uma corretora que trabalhe com seriedade e responsabilidade, já em caso de algum sinistro, a existência de algum prejuízo dependerá apenas da cobertura contratada.

Agora você já sabe o que fazer, e principalmente, que a escolha entre o endosso ou seguro varia com o seu objetivo, e ambas podem ser vantajosas.

Lembre-se, em todo o caso, de contar com um corretor.

O especialista no assunto pode te auxiliar na escolha das melhores coberturas, além de facilitar o processo de atualização dos dados da apólice.

E o mais importante: não fique sem seguro!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

16 Comentários

  • Jeferson Costa Munhoz says:

    Boa tarde, fiz um seguro auto para trabalhar com Uber, estava tudo certo, já estava no segundo ano com este seguro. De repente, sem nenhuma autorização a corretora fez um endosso mudando em minha apólice o tipo de utilização do veículo, ela tirou a utilização para Uber e colocou somente uso particular, me deixando sem cobertura para trabalhar! Gostaria de saber se a corretora deveria ter algum tipo de autorização do cliente para fazer este tipo de mudança?

    Att.

  • Servulo Machado says:

    Bom dia,

    Além disso, ao finalizar o tempo de contrato, o consumidor pode utilizar do bônus do seguro. O bônus é um desconto dado ao usuário a cada ano, sempre que ele finaliza um contrato sem registrar nenhum sinistro. Discordo desse item. O Bônus segue o motorista. No cancelamento ainda posso ter devolução.

    Att

  • Haroldo Dias says:

    Bom dia,

    Quero fazer um endosso em um seguro que fiz com a Smartia, mas o 0800 de vocês só atende em telefone fixo. Qual a outra maneira? Estou muito chateado, pois meu carro está sem seguro.

    Att

  • Marleide says:

    Oi,

    Pedi para alterar o endereço do seguro empresarial, só que a Caixa fez um novo seguro. Não concordo, pois já tinha pago 1 ano e 6 meses.

    Att.

    • Sanaira Silveira says:

      Boa tarde Marlene,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      Por favor, entre em contato com a Caixa para que possam ajuda-la.

      Atenciosamente.

  • Silvana says:

    Boa noite, vendi meu carro no meio de março deste ano, meu seguro vencerá em setembro, meu novo carro está previsto para chegar em meados de maio. O que seria mais viável, manter o seguro e fazer o endosso para o novo carro, ou cancelar e depois fazer um novo seguro? Meu bônus atualmente é classe 3, eu teria uma restituição de mais ou menos 250,00 mais 1 parcela que não pagaria de 304,00 caso cancele. Minha corretora não está conseguindo me ajudar nessa decisão e o tempo está correndo e não consigo decidir o que é melhor. Por favor me ajude!

    Obrigada.

    • Sanaira Silveira says:

      Bom dia Silvana,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      O mais correto é você falar com um corretor de seguros para que possa entender sua dúvida e te orientar com a melhor escolha.

      Caso tenha interesse em fazer uma cotação de seguros, preencha o formulário em https://www.smartia.com.br para que um de nossos corretores parceiros entre em contato com você.

      Atenciosamente

      • Sergio Cisneros says:

        Oi,

        Típica cagada, vender o carro antes de chegar o novo. Aquele negócio de querer economizar. Só paga a próxima se tiver certeza que o carro chega no mês programado, e que o valor do próximo seguro é muito maior. Terá um fôlego.

  • Marcelo dos Santos Albino says:

    Olá,

    Tenho uma apólice que parcelei em 6×450, paguei duas parcelas e troquei de endereço, o endosso gerou uma cobrança de 999 reais. Neste caso eu teria que pagar + 999 ou teria que pagar + 999 e as outras 4 que ainda faltam?

    Grato

    • Sanaira Silveira says:

      Boa tarde Marcelo,

      Obrigada pelo contato.
      Por favor, entre em contato com seu corretor para que possa ajuda-lo.

      Caso você tenha interesse em fazer uma cotação ou renovação de seguro, preencha o formulário em nossa página para que um corretor parceiro entre em contato com você.

      Atenciosamente.

  • Hugo says:

    Boa tarde,

    Esse formulário de seguro manda clicar na marca, depois pergunta qual é a marca do carro. Digo que o carro é zero km, aí pergunta se já tem seguro, e outras perguntas que acho que deveriam ser excluídas dependendo da resposta anterior que você deu.

  • Wanderlei luiz De bastiani says:

    Troquei de carro. O que eu tinha valor médio 34 mil por um que vale a metade, ou seja 17 mil. A sul América alega q no endosso n tenho restituição a receber. Isso procede?

  • ANDRE LUIS MAGALHAES DE MORAES says:

    Boa noite…. estou trocando de veiculo é fui informado sobre o endosso!!! Minha pergunta é… este endosso pode ser parcelado junto as parcelas do Seguro deste novo veiculo? Obrigado

    • Smartia Seguros Online says:

      OlÁ André, bom dia! Bom, o endosso é o nome dado a qualquer alteração feita na sua apólice de seguro vigente. Se você já tem um seguro do seu veículo antigo, ao trocar pelo novo você precisa entrar em contato com seu corretor e solicitar a troca do veículo para o novo na sua apólice. Quando ele solicitar isso à seguradora da sua apólice, ela fará um cálculo e informará se você precisará pagar algum valor a mais do que você já pagou (ou está pagando), ou se não precisará pagar nada a mais, ou até mesmo se você será ressarcido de algum valor (seria ótimo, certo? :-)). Essa alteração na apólice é o endosso. Depois disso você receberá uma nova apólice com os novos dados! Esperamos ter lhe ajudado e na sua renovação não se esqueça de comparar o custo do seu corretor com os da Smartia :-) Bom dia!

  • Moacir de Castro says:

    Bom dia. Gostaria de obter uma informaçao com relaçao ao seguro do meu carro. Estou trocando de carro, o meu corretor informou nao haver endosso para o novo carro, so que estou pagando endosso do atual carro, se eu vende-lo terei ainda que pagar prestaçoes que faltam. Poderiam me orientar sobre isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *