Como funciona o seguro de vida

Um seguro de vida pode tornar menor o impacto de algumas situações, na sua vida e na da sua família. Saiba mais a seguir.

Seguro de carro, seguro residencial, seguro de vida… São tantas as proteções disponíveis aos consumidores, que às vezes fica difícil compreender quais as vantagens de cada uma.

Entre todos, o seguro de vida costuma ser o que provoca mais dúvidas. Afinal, a vida não é um bem, como uma casa ou um carro. Fazer um seguro para ela não parece estranho?

Porém, apesar de tudo, contratar esse tipo de proteção é algo cheio de vantagens. Especialmente porque, este seguro cuida de você e da sua família em momentos difíceis, como o óbito ou doenças.

Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe o texto! Nele, explicamos tudo o que você precisa para se decidir pela contratação deste cuidado.

Como funciona o seguro de vida

Como funciona o seguro de vida?

Responda rápido: você sabe, com certeza, o que é um seguro de vida? Provavelmente não, certo?

Isso é bastante comum, já que este tipo de prevenção é menos popular do que um seguro de carro, por exemplo. Ainda assim, a opção é bem simples de ser compreendida.

Um seguro de vida nada mais é do que uma garantia financeira, dada ao usuário em caso de invalidez ou doença grave, ou aos seus familiares ou dependentes, em caso de óbito do segurado.

O objetivo do serviço é garantir valores aos prejudicados por um imprevisto de saúde.

Com as indenizações, você ou a sua família podem organizar o orçamento aos poucos, e não de uma forma repentina e custosa após um imprevisto de saúde, como é normal.

Imagine com a gente. Acidentes de trânsito não são incomuns e, por ano, levam quase 40 mil pessoas a óbito no País.

O indivíduo que contrata o seguro, neste exemplo, é um dos provedores da casa. Por isso, assim como a sua presença, a sua renda faria falta no dia a dia.

Se, infelizmente, esse segurado entrar para a estatística citada, o seguro de vida vai garantir que sua família receba indenização.

Com os valores, os indivíduos poderiam organizar a sua vida financeira e modificar a rotina aos poucos. Sem contas vencidas, sem buscas desesperadas por uma nova fonte de renda.

Para garantir essa assistência, segurado e seguradora firmam uma apólice de seguro de vida. A apólice é o contrato do serviço, em que ficam definidas as regras do acordo.

Assim como os direitos e deveres de ambas as partes, e as situações que serão cobertas.

Qual a cobertura do seguro de vida?

São diversas as coberturas disponíveis nesse seguro. A cobertura básica é a contra o risco de morte, mas “adicionais” podem ser incluídas no plano sempre que o consumidor desejar.

Ao optar por um seguro de vida, o usuário pode contratar a proteção contra:

  • Morte por causas naturais ou acidentais;
  • Suicídio, válido após 2 anos da contratação do seguro;
  • Invalidez permanente ou total por acidente, quando houver perda, redução ou incapacidade funcional de algum membro ou órgão do segurado;
  • Invalidez permanente por acidente majorada, caso o acidente prejudique o modo de trabalho do profissional. Um cirurgião, por exemplo, pode receber indenização por invalidez caso perca o movimento da mão;
  • Auxílio-funeral (reembolso dos gastos) ou Assistência funeral (em que e seguradora se encarrega de tudo para o funeral);
  • Invalidez laborativa permanente total por doença, que impede o indivíduo de trabalhar;
  • Invalidez funcional permanente total por doença, que impede que o usuário viva de forma independente;
  • Diárias por incapacidade temporária;
  • Despesas médico-hospitalares e odontológicas;
  • Diária por internação hospitalar;
  • Doenças graves, como o câncer.

Os valores das indenizações de cada cobertura ficam estabelecidos em contrato. Por isso, é fundamental ter atenção à apólice do seguro.

De modo geral, no caso de morte natural ou acidental, ou suicídio, a indenização paga corresponde a 100% do valor contratado. Os valores são entregues aos cônjuges, dependentes ou familiares do segurado.

Já as indenizações por invalidez podem ter o seu percentual de pagamento modificado, de acordo com os prejuízos à saúde do indivíduo.

As indenizações diárias têm seu custo calculado de acordo com os dias de hospital.

No caso das indenizações referentes a funeral e outras coberturas, os valores liberados são os determinados em contrato de seguro de vida.

Quais os tipos de seguros de vida disponíveis?

Quais os tipos de seguros de vida disponíveis?

Dependendo do número de pessoas protegidas, e de acordo com as coberturas contratadas, os seguros de vida são classificados em diferentes categorias.

A seguir, explicamos os tipos de seguros de vida que você pode contratar.

Seguro de vida individual

Um seguro de vida individual é contratado diretamente pelo segurado. O usuário recebe uma apólice em seu nome.

Seguro de vida em grupo

Seguros de vida em grupo ficam disponíveis pela contratação por funcionários, organizações e sindicatos, para várias pessoas ao mesmo tempo.

Seguro de vida familiar

No seguro de vida familiar, o usuário contrata a proteção para si e para toda a sua família.

Esse grupo pode incluir cônjuge, filhos e outros indivíduos que morem no mesmo imóvel do usuário principal.

Seguro de vida empresarial

É contratado pelas empresas, como proteção para seus funcionários. Os valores de contratação podem ser pagos inteiramente pela empresa, ou divididos com os colaboradores. A companhia pode deduzir o custo no seu Imposto de Renda.

Seguro de vida compulsório

Algumas categorias são obrigadas, por lei, a contratar seguro de vida. É o caso dos servidores públicos estaduais do Paraná, como determina a Lei nº 4.766 (de 16/11/1963).

Seguro de vida resgatável

Com um seguro de vida resgatável, o indivíduo pode, após algum tempo, recuperar parte do valor que pagou para a seguradora. Isso, claro, se nenhuma indenização for paga após óbito, acidente, doença ou outro.

Seguro de vida temporário

Este tipo de seguro de vida é válido por um prazo determinado. A sua data de validade, e as condições de cobertura, são bastante detalhadas na apólice.

Seguro de acidentes pessoais

Quem deseja uma cobertura mais simples pode utilizar um seguro para acidentes pessoais.

Afinal, a opção só cobre invalidez temporária e morte acidental. Devido a essa limitação, o custo da proteção é menor.

Como escolher um seguro de vida?

Escolher o melhor seguro de vida é uma decisão que merece cuidado. Isso porque, o serviço será o responsável por garantir a sua proteção e, muitas vezes, da sua família.

Dessa forma, é fundamental que ele seja contratado corretamente, e com empresa confiável.

Considerando estes aspectos, o primeiro passo para a contratação do seguro é pesquisar algumas seguradoras.

Depois, você deverá avaliá-las, de acordo com a opinião de outros clientes. As opiniões podem ser coletadas, especialmente, pela internet, já que é comum que os usuários se manifestem no espaço online.

Em seguida, e determinadas as empresas com boa reputação, é necessário fazer a cotação do seguro. Normalmente, os preços variam entre uma empresa e outra.

Afinal, os serviços e critérios utilizados para a cotação podem ser diferentes.

Lembre-se, neste momento, de avaliar o tipo de seguro de vida ideal. Para proteger também a sua família, prefira o familiar.

Para o cuidado único, contrate o individual, e assim sucessivamente. Outra opção é contratar seguro de vida online, após usar um simulador de seguro de vida virtual.

Avaliando reputação da empresa, coberturas e tipo de plano, será fácil, fácil, escolher o melhor seguro para você.

Qual o melhor seguro de vida?

Definir o melhor seguro de vida é algo bastante difícil. Isso porque, são várias as empresas no mercado, com diferentes coberturas e planos.

Você pode contar, por exemplo, com um seguro de vida Itaú. Ou, quem sabe, com um seguro de vida Bradesco, ou ainda um seguro de vida Caixa.

Além dos bancos, o mercado conta com empresas especializadas no serviço.

Assim, para escolher a melhor proteção, você deverá se perguntar três coisas.

São elas: as coberturas atendem ao que eu desejo? Este é um seguro de vida barato, com bom custo-benefício? Essa empresa é confiável?

Com respostas positivas às indagações, você terá a certeza de escolher a proteção mais vantajosa. Só será necessário realizar diversos orçamentos, algo que, para otimizar o tempo, pode ser feito de modo online.

Por que o seguro de vida é importante?

Por que o seguro de vida é importante?

Mesmo após ler até aqui, você está se perguntando por que contratar um seguro de vida? A resposta para essa pergunta é simples: pelos vários benefícios que a opção oferece.

Para começar, um seguro para idosos, jovens ou adultos garantem proteção financeira.

Isso significa que, caso algo aconteça e afete a renda da casa, a indenização do seguro vai evitar apertos no orçamento.

Ao mesmo tempo, há enorme tranquilidade para o segurado e sua família. Garantir que as pessoas que você ama estarão assistidas por uma seguradora, evita o estresse e preocupação de pensar no assunto.

Sem contar que o custo-benefício do serviço vale muito a pena. Os valores cobrados são bastante baixos se comparados às indenizações estabelecidas.

Também é interessante dizer que o usuário segurado obtém auxílio financeiro em casos de doenças graves e despesas médicas.

Assim, um tratamento que poderia ser caro de modo particular, será pago pela empresa da proteção. Com essa preocupação a menos, o indivíduo pode focar na melhora da sua saúde.

Esse foco pode tornar a sua recuperação bem mais simples. Medicamentos costumam ser igualmente cobertos.

Quanto custa um seguro de vida?

Os custos de um seguro de vida variam muito, de acordo com uma série de fatores. Começando pelo perfil do usuário: a profissão do indivíduo, sua idade e seu estado de saúde influenciam muito.

Outro ponto determinante é o valor estabelecido de indenização, além das coberturas contratadas. Se o usuário pratica esportes radicais, seus custos ainda costumam ser mais elevados.

Para saber qual seguro de vida é mais barato, você precisará calcular seguro de vida. As empresas vão considerar todos os aspectos citados, e então determinar o seu preço.

Aliás, os custos podem variar por seguradora, mesmo que o mesmo perfil seja considerado. Assim, vale a pena sempre comparar as cotações obtidas.

De qualquer forma, é possível citar o preço da proteção de algumas empresas de seguro de vida. Há seguros de vida baratos.

Um Allianz Vida Individual, por exemplo, pode ter prêmio (custo) anual de R$ 180, e indenização de R$ 50 mil. Mas também existem outros bem mais caros, como o Marítima Vida Individual.

Seu custo anual é de quase R$ 1.700, com indenização de R$ 100 mil. Vale a pena verificar as vantagens de cada opção antes de contratá-la.

O que fazer em caso de sinistro no seguro de vida?

Um sinistro nada mais é do que uma ocorrência prevista em contrato. Nesse caso, ele pode ser o óbito do segurado, doença, acidente que leva à invalidez ou outro.

Após um sinistro, então, o segurado ou os seus beneficiários precisam entrar em contato com a seguradora.

Esse contato normalmente é feito por telefone, e pode ser realizado assim que possível. Não há prazo para o acionamento da empresa.

Assim que entra em contato com a companhia, o consumidor é instruído sobre como prosseguir. O passo a passo pode variar por seguradora, e por isso é necessária atenção.

A apólice do seguro de vida também costuma possuir alguns procedimentos base listados.

De qualquer forma, é comum que seja necessário preencher um formulário comunicando o sinistro. Em seguida, são solicitados documentos comprobatórios, do segurado e dos beneficiários.

Isso inclui certidão de nascimento ou casamento, carteira de identidade, CPF, certidão de óbito (quando for o caso) e outros.

Também e preciso entregar a apólice do seguro e, em casos de acidentes, boletim policial e laudo do IML, pelo menos.

Após a entrega de todos os documentos, a seguradora tem um prazo de até 30 dias para pagar a indenização correspondente.

Indenizações menores, como por invalidez, costumam ser liberadas mais rapidamente. As regras sobre o assunto aparecem na Resolução número 117/2004, do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP).

É importante destacar que a indenização deve ser corrigida de acordo com o índice de inflação. Existem casos, também, em que essa correção é feita com base em outros índices.

Nessas situações, as normas aparecem na apólice do seguro de vida.

Seguro de vida compensa?

Colocando custos e benefícios frente a frente, um seguro de vida vale a pena. Aliás, vale muitíssimo a pena.

A tranquilidade que a opção oferece ao segurado é imensa, pois ele saberá que, se necessário, sua família será financeiramente amparada.

Além disso, esse tipo de proteção pode ajudar com despesas médicas e hospitalares, e então facilitar os tratamentos requisitados.

Na hora de contratar um bom seguro de vida, você só precisa considerar as nossas dias. Pesquise as empresas, cote vários seguros, e avalie qual o melhor entre os tipos de seguros.

Assim, você terá a certeza de que cuidará das pessoas que ama, mesmo em situações em que não estiver mais presente.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *