Seguro cobre danos causados por fenômenos da natureza?

 

O seguro cobre danos causados por fenômenos da natureza?

Se uma árvore cair sobre o seu carro, os prejuízos podem ser imensos. Por isso, é importante saber se o seu seguro cobre danos causados por fenômenos da natureza. Quer entender melhor esse assunto? Então leia esse artigo até o final.

A respeito de seguro, poucas pessoas têm conhecimento sobre todas as coberturas que o seguro auto agrega. Entre as menos conhecidas, está a cobertura que assegura o veículo contra danos naturais.

Com a temporada de chuvas fortes e o perigo das enchentes, os prejuízos aos automóveis podem ser grandes como, por exemplo, água entrando no motor, o comprometimento da parte mecânica e da elétrica, entre outros.

Quando o seguro cobre danos causados por fenômenos da natureza?

Você pode ficar um pouco confuso em saber quando o seguro cobre danos causados por fenômenos da natureza. Para que entenda melhor essa situação, vamos explicar.

A cobertura contra raios está incluída na cobertura básica, logo, todo mundo que possui um seguro tradicional, pode verificar na apólice a cobertura a danos da natureza no seguro.

Para ter certeza que seu seguro cobre desastre natural, é preciso contratar a cobertura compreensiva, aquela mais completa. Ou, solicitar uma cobertura adicional para danos causados por fenômenos da natureza.

Na maior parte das seguradoras, a cobertura do seguro para danos da natureza normalmente é vendida como uma cobertura adicional. Caso você contrate essa cobertura, saiba então que o seu seguro cobre danos causados por fenômenos da natureza em casos de:

  • Alagamentos;
  • Enchentes e inundação;
  • Queda de árvores;
  • Vendaval;
  • Granizo;
  • Terremoto.

Porém, como as coberturas podem variar de uma seguradora para outra é indicado verificar na apólice do seguro auto quais delas foram contempladas.

Exposição ao risco

É possível contratar seguro automotivo com cobertura adicional para danos da natureza. Porém, o valor do seguro auto irá depender do risco a que seu carro está exposto. Todavia, se o proprietário expuser o veículo a um risco desnecessário, é grande a chance da seguradora recusar o ressarcimento.

Nos casos de alagamentos e enchentes, por exemplo, caso fique comprovado que o carro foi exposto a um risco desnecessário, ou seja, que o segurado entrou em área alagada com o veículo, a seguradora pode se recusar a cobrir os danos.

Existem ainda outros casos em que a seguradora não tem a obrigação de arcar com os prejuízos como os sinistros relacionados com água salgada. O contrato não cobre os danos causados pelo percurso do veículo à beira-mar, pois, a questão está prevista no item “riscos excluídos”.Além disso, os trechos de praia localizados à beira-mar são vias não trafegáveis.

Com relação aos danos causados pela queda de uma árvore sob o veículo, por exemplo, se o dano atingir o valor da franquia do veículo, o caso se tornará naturalmente indenizável.

Porém, é preciso se atentar para o que está estipulado no contrato do seguro auto. É importante que, ao fechar o seguro do veículo, o contratante leia com atenção o conteúdo do documento para poder utilizar o seguro da melhor maneira possível.

Para que mora em cidades onde os casos de enchentes e alagamentos são constantes, como São Paulo, por exemplo, garantir que seu seguro cobre desastre natural, pode ser a melhor opção.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *