O preço do combustível no Brasil e as diversas polêmicas

| Autor: Jeniffer Elaina

Uma das grandes polêmicas que vivemos no Brasil é em relação ao preço do combustível. Veja nesse artigo mais sobre esse assunto e fique por dentro do tema!

O Brasil está vivendo tempos difíceis, em diversos aspectos, e isso também é sentido por quem tem veículos movidos a combustíveis, sejam eles fósseis (gasolina ou diesel) ou vegetais (etanol ou biodiesel).

Para que você entenda melhor esse assunto e conheça mais sobre o preço do combustível no Brasil, preparamos esse artigo, repleto de informações relevantes.

O preço do combustível no Brasil e as diversas polêmicas

Imagem: Getty

Saiba como é composto o preço do combustível no Brasil

Conforme informações dadas pela Petrobras, o preço do combustível no Brasil é formado por três fatores principais:

  • O valor cobrado pelas refinarias e pela importação;
  • A tributação estadual e federal;
  • A porcentagem de ganho das empresas de distribuição e os pontos de venda ao consumidor final.

No entanto, aparentemente o fator que mais influencia no preço do combustível no Brasil é o valor das refinarias da Petrobras. Nos primeiros dias do mês de maio desse ano, essa margem correspondia a 32% para a gasolina e de 55% para o diesel, do valor final do combustível, aquele pago pelo consumidor.

A definição desse valor é vinculada ao valor do dólar, e no mercado internacional, do barril do petróleo, isso porque, uma parte do petróleo utilizado na produção dos combustíveis é importada.

O custo do dólar e do barril vem sofrendo constantes aumentos o que fez com que o preço do combustível no Brasil também tivesse aumentos. E por esse motivo, a Petrobras realizou reajustes no valor da gasolina 11 vezes apenas nos últimos 17 dias, além de aumentar o valor do diesel 7 vezes.

No entanto, nos últimos dias 21 e 22 de maio, a empresa anunciou uma redução no preço do combustível no Brasil. Aparentemente, o diesel sofrerá uma baixa de 2,67% e a gasolina 2,69%. Ainda assim, o mês de maio fechará com margens de aumento assustadoras. Cerca de 12,95% para a gasolina e 15,16% para o diesel.

Entenda como funcionam os impostos sobre os combustíveis

Os tributos federais que impactam o preço do combustível no Brasil, em especial os combustíveis fósseis são:

  • CIDE – Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico
  • E PIS/PASEP e COFINS.

Esses tributos quando somados representam no valor final dos produtos 16% (gasolina) e 13% (diesel).

Já o imposto estadual, ICMS – Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, no último período representou 29% do custo final da gasolina e 16% do custo final diesel. Essa variação estadual é o principal motivo da oscilação do preço do combustível no Brasil.

Conforme informação da ANP – Agência Nacional de Petróleo, na última semana o valor da gasolina estava em:

  • Em Santa Catarina, R$ 3,908
  • Em São Paulo, R$ 4,056
  • No Rio de Janeiro, R$ 4,765 e
  • No Acre, R$ 4,882.

Polêmicas em torno do preço do combustível no Brasil

Esse ano, o governo nacional solicitou ao CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica que investigasse a existência de um possível cartel dos postos, que estaria repassando os valores dos combustíveis sem os cortes ocorridos no preço.

Foram poucas, mas existiram baixas nos preços da gasolina, e possivelmente alguns postos de abastecimento, não baixaram os preços, alegando que essa baixa não existiu. Depois dessa solicitação de investigação, a Petrobras resolveu divulgar seus preços médios em seu site oficial.

Desde o dia sete deste mês (maio de 2018), tanto os valores referentes a gasolina como ao diesel serão compartilhados com a população. De acordo com o ministro da secretaria geral, essa ação ajudará a garantir que os valores mais baixos dos combustíveis cheguem ao consumidor final, o maior interessado neles.

Saiba mais sobre a greve dos caminhoneiros

Nesse mês de maio de 2018 está acontecendo uma das maiores paralisações de caminhoneiros da história. A mobilização se deve aos constantes e abusivos aumentos do diesel, e ela vem gerando transtornos em diversos Estados do país.

São caminhoneiros bloqueando as principais rodovias de acesso de mais de 20 Estados brasileiros. Interferindo no transporte de alimentos, combustível e outros produtos.

Nessa quinta-feira (24/05), o governo anunciou um acordo feito com os representantes da greve para a sua suspensão por 15 dias, no entanto, das onze corporações que iniciaram a greve, duas se negaram a assinar o documento do acordo.

Os caminhoneiros reivindicam que o Cide do diesel seja zerado e que haja um corte de 10% no valor final do diesel pelos próximos 30 dias. A Petrobras se comprometeu a arcar com a redução do combustível pelos próximos 15 dias, deixando os demais por responsabilidade do governo federal.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *