Como segurar um carro comprado em leilão

| Autor: Jeniffer Elaina

Nesse artigo, você vai entender como segurar um carro comprado em leilão, tirar suas dúvidas sobre o funcionamento do seguro para carros de leilão e saber quais cuidados tomar ao comprar um carro leiloado.

Muitas pessoas perguntam se carros comprados em leilão, ou recuperados de financiamento, podem adquirir seguro.

A resposta é sim, desde que o carro passe por uma vistoria e seja aprovado.

No fim, segurar um carro comprado em leilão demanda o mesmo processo do que o necessário com outros veículos.

É preciso, apenas, ter um pouco mais de cuidado.

Para começar, por exemplo, o veículo deve contar com um laudo de inspeção veicular fornecido pelo Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

Esse laudo é o responsável por demonstrar que o carro está apto, dentro da lei.

Por meio dele, a contratação do seguro será aceita normalmente.

O principal problema dessa situação é que muitas seguradoras e bancos organizam leilões de veículos com documentação irregular ou adulterada.

Assim, após a compra, o veículo corre o risco de não ser aceito por uma seguradora.

Por isso, é preciso deixar claro que é sim possível fazer um seguro para carros de leilão.

No entanto, o veículo deve estar legalmente apto. Logo, é essencial ter cuidado na compra do auto.

Comprar um carro por preço muito inferior ao de mercado pode trazer várias armadilhas.

Como segurar um carro comprado em leilão

Imagem: Getty

Tenha cuidado com os leilões de auto!

Quem não gostaria de comprar um veículo por preço mais baixo? Isso é possível por meio dos leilões — mas nem todos os leilões são confiáveis.

Pode acontecer, por exemplo, de o veículo ter seu chassi adulterado, algo que o leiloeiro não informará ao usuário.

Mas na hora de regularizar o veículo, poderão haver vários impeditivos.

É por esse motivo que, para participar de um leilão, você deve ter a certeza de que ele foi autorizado e está cumprindo as regras.

Um leilão pode ser feito por financeiras, seguradoras, Detran e mais, desde que autorizados pela Prefeitura Municipal.

Outro ponto a que o consumidor deve ficar atento é que, depois de adquirir um carro leiloado, ele não poderá reclamar indenização em relação ao estado do veículo que está adquirindo.

Por exemplo: se você adquirir um carro com perda total, que não consegue mais rodar, terá obtido apenas sucata.

Se você não verificou essa informação antes de arrematar o bem, ficará apenas com o prejuízo.

Em todo o caso, o usuário deve ser informado sobre todos os problemas do carro no ato da compra, incluindo a possibilidade de recusa do seguro.

Um auto com várias modificações em sua estrutura é um dos que costuma ser recusado pelas seguradoras.

Por isso, tenha cuidado com os leilões.

Se alguma informação for omitida, a seguradora não poderá ser responsabilizada com o veículo adquirido.

Isso fará do consumidor o único responsável por qualquer tipo de reparo necessário no veículo.

Quais são os tipos de veículos encontrados em leilão?

Existem algumas categorias básicas de veículos encontrados em um leilão.

Para ter certeza de que o seu carro estará apto a um seguro, é interessante que você conheça essas categorias e tenha atenção às características do bem adquirido. Veja a seguir.

Veículo recuperado de financiamento

O veículo recuperado de financiamento consegue ser segurado de modo muito mais fácil do que os demais tipos de carro.

As probabilidades de ele ser aceito pelas asseguradoras são bem maiores, pois, basicamente, o usuário só o perdeu porque deixou de pagar as parcelas do financiamento.

Nesses casos, os autos costumam ser apreendidos em perfeito estado, apenas como um modo de quitação da dívida com a financeira.

Vale dizer, porém, que esse tipo de veículo normalmente é aceito com percentuais que variam entre 75% e 95% do valor de tabela do carro.

Ou seja, em caso de perda total, o segurado não receberá o valor total da tabela FIPE.

Na verdade, receberá apenas uma porcentagem dele.

Veículos recuperados de sinistros de médio ou grande porte

Nesses casos, é quase certo de que você conseguirá apenas uma proteção para roubo e furto do carro, sem coberturas para colisão.

Afinal de contas, o carro já terá avarias. Mesmo que você conserte esses danos, os sinistros prévios aumentarão o risco de novos sinistros.

De qualquer modo, é importante ressaltar que cada caso é um caso.

Por isso, o ideal é que a corretora solicite uma análise completa da seguradora.

Carros que tiveram sinistros leves

Nesses casos, é importante que a seguradora avalie a apólice e analise o histórico do sinistro.

É bem provável que o valor coberto seja menor que o da tabela FIPE, mas será mais simples obter o seguro.

Sinistros leves não afetam tanto o risco de novos sinistros.

Veículo constando como “Sinistro Recuperado”

Como dito no tópico anterior, os sinistros leves não costumam ter tanta influência na hora de segurar um carro comprado em leilão.

Porém, um carro com sinistro recuperado pode não obter seguro.

Nessa situação, a indicação de sinistro recuperado significa que o sinistro foi, pelo menos, de porte médio.

Logo, eles foram mais graves, e seu conserto pode ter criado maior chance sinistro.

Afinal, uma peça que já quebrou tem mais chances de quebrar de novo.

As chances de contratação de um seguro nesses casos são bem baixas.

Veículo constando como “Sinistro Indenização”

Novamente, as chances de aceitação desse veículo por um seguro total serão remotas.

Isso porque, um sinistro total é aquele em que os danos ao veículo são maiores do que 75% do custo do carro.

Muitas vezes, após esse tipo de ocorrência o auto não consegue nem mais rodar. As seguradoras não protegem “sucata”.

Chassi remarcado

Existe sim a possibilidade de aceitação no seguro de carro com chassi remarcado, mas  desde que a desvalorização da tabela FIPE fique entre 10 e 30%.

A remarcação do chassi acontece, por exemplo, quando o carro sofreu um acidente que danificou a marcação.

Também é feita após a alteração por roubo ou furto, e corrosão pelo tempo.

Como funciona a vistoria para avaliar as condições do veículo?

Como explicado, antes de fazer um seguro para carros de leilão, as seguradoras realizam uma vistoria no veículo, independente do seu modelo ou ano.

Essa inspeção averiguá cada particularidade do carro, como lataria, pneus, números do chassi, acessórios e condições gerais do motor.

Tudo é bem examinado.

Caso o veículo seja aprovado na vistoria técnica, e esteja com o laudo de inspeção veicular (realizado pelo Detran), serão pequenas as chances de recusa de segurar o carro comprado em leilão.

Ainda assim, vale dizer que as seguradoras não são obrigadas a segurar o veículo.

Isso nem mesmo se ele for aprovado na vistoria e tiver todos os documentos em dia.

As empresas conservam o direito de negar o serviço sempre que desejarem.

Será preciso, apenas, que elas apresentem essa recusa por escrito, justificando-a.

Como é possível fazer um seguro de carro de leilão?

Para ter mais chances de encontrar uma seguradora que aceite seu carro, é interessante que você siga algumas dicas. Acompanhe.

  • Escolha um corretor de seguros que tenha parceria com diversas seguradoras. Ele poderá avaliar várias cotações de uma só vez, podendo encontrar uma empresa apta mais facilmente;
  • Peça um orçamento com variação do percentual da FIPE incluso. Assim você aumenta a chance de aceitação, pois as seguradoras saberão que poderão pagar90%, 75% em caso de perda total;
  • Solicite variações de cotações para seguro, com cobertura compreensiva (seguro total) e apenas para incêndio e roubo. Com coberturas variadas e, principalmente, mais básicas, as empresas tendem a aceitar o risco do carro leiloado mais facilmente.

Por que carro de leilão faz seguro com valor da tabela FIPE reduzido?

Talvez você esteja se perguntando porque as seguradoras, muitas vezes, não respeitam os 100% da tabela FIPE.

Isso acontece porque o valor de mercado do veículo não é mais o mesmo, após um sinistro e/ou leilão.

Se você pensar em vender esse veículo, perceberá que os valores serão bem menores do que a maioria dos carros do mesmo modelo e ano.

Afinal, um veículo leiloado é adquirido por valor abaixo do mercado.

Não é justo que um veículo comprado com descontos de 30% ou 40% na tabela FIPE seja assegurado com indenizações de 100% do valor de um carro novo.

Mas afinal, carro de leilão faz seguro?

Sim, carro de leilão, assim como veículos recuperados de financeira, fazem seguro.

No entanto, a contratação desse seguro dependerá das informações sobre o histórico do veículo e da vistoria.

Existem ainda outros quesitos que são avaliados pela empresa de seguros para a aceitação do veículo.

Entre eles estão a idade e tempo de habilitação do condutor, índices de roubo na região em que o carro circula e outros.

Com base nessas informações, a seguradora será capaz de qualificar melhor o risco de segurar seu carro.

Ou seja, as chances de que o auto sofra um sinistro e a empresa precise logo arcar com indenizações.

Com base nesses fatores, a seguradora decidirá pela aceitação ou negativa do carro no seguro.

Exija uma vistoria antes de aceitar o “Não”!

O seguro não pode ser recusado simplesmente por uma seguradora, sem sequer passar por uma vistoria técnica para a verificação da estrutura do carro.

Assim como também não é aceitável depreciar o veículo do segurado apenas por ele ser oriundo de leilão.

Essa prática é considerada abusiva e, com base no artigo 39, IX, do Código de defesa do consumidor, a recusa do serviço nessa situação não poderá acontecer a quem se disponha a adquiri-los.

Ou seja, a seguradora tem obrigação de justificar, de forma aceitável, sem devaneios, qual o motivo da negação da prestação de serviço.

Outro ponto importante é que a seguradora nunca pode cobrar valores abusivos simplesmente porque o carro foi comprado em leilão.

Caso ela faça isso, poderá sofrer com sanções. Nesse caso, é importante fazer cotações com várias empresas e comparar os valores.

Vale lembrar que nenhuma das empresas pode cobrar taxas extras pelo fato do veículo ser proveniente de leilão.

Se isso ocorrer, a seguradora poderá ser denunciada à Susep (Superintendência de Seguros Privados) e ao Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) da sua cidade.

Seguradoras que aceitam carros de leilão

É difícil listar as seguradoras que aceitam carros de leilão, simplesmente porque a proteção varia pelo tipo de carro e o porquê dele ter sido leiloado.

Por isso, na hora de segurar o seu veículo, é importante pesquisar.

Faça sempre cotações com as mais variadas empresas, pois é provável que ao menos uma delas proteja seu veículo.

Para facilitar esse processo, vale a pena contar com um bom corretor de seguros.

O especialista tem canais diretos com as seguradoras, e poderá agilizar o processo de contratação.

A seguir, listamos algumas das principais seguradoras do País, com as quais você pode tentar contratar seu seguro.

  • Porto Seguro;
  • Itaú Seguros;
  • Azul Seguros;
  • Bradesco Seguros;
  • SulAmérica;
  • MAPFRE;
  • HDI Seguros;
  • Tokio Marine;
  • Allianz.

Em todo o caso, lembre-se de comprar seu veículo em leilão apenas se tiver a certeza da sua possibilidade de uso.

Ele também deve estar com os documentos em dia e com todas as suas avarias informadas ao consumidor.

E atenção: verifique se o leilão foi mesmo autorizado pelos órgãos competentes.

Assim, você terá certeza de que está realizando um negócio dentro da lei.

Principalmente, terá maior facilidade em segurar um carro comprado em leilão.

*Este texto é de conteúdo editorial e não garante a comercialização deste produto nesse site.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

6 Comentários

  • Carla says:

    Oi,

    Meu carro é um Fit, comprei no leilão media monta e já passei por todas as vistorias rigorosas e agora quero colocar no seguro, alguém pode me indicar um?

    Obrigada

  • Osvaldo says:

    Oi, procuro uma seguradora que faça seguro para carro de leilão, alguém pode me indicar?

    Obrigado

  • Wagner Ramos says:

    Bom dia,

    É justo que o valor pago seja 100%?
    Afinal, na hora de cobrar a mensalidade não são cobrado 100%? Ou terei o desconto proporcional?

    Obrigado

  • Nelson says:

    Oi,

    Na matéria se fala dos riscos que o comprador corre e após a compra ele arruma o carro aí não se fala do Inmetro que se paga e o carro passa por teste rigoroso para retornar a circular que a princípio parte dos veículos que estão em circulação não passaria de forma alguma!
    Depois de realizar todos os testes o veículo está apto a voltar as ruas, porém paga todos os impostos conforme valor de tabela de mercado e isto ocorre anualmente, aí vem a seguradora que vendeu o carro e diz que paga apenas um percentual da tabela, muito irônico e injusto pois quem correu o risco foi o comprador, portando acredito que a diferença é injusta e até questionável juridicamente.
    Pelo que cotei em meu carro o valor do seguro era x e depois que souberam que era carro de leilão o preço continuou x, porém o valor coberto era de apenas 80%. Uma vergonha!

    Até.

  • Pedro Póvoa says:

    seguro de carro de leilão? fale comigo (21) 98885-XXXX

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *