Guia completo para economizar no seguro auto

Ter uma proteção para o veículo é fundamental. Porém, nem sempre há muito dinheiro disponível para gastar não é mesmo? Isso não é problema! Acompanhe o texto e saiba como economizar no seguro auto.

Na hora de contratar um seguro, grande parte dos consumidores se preocupa com o preço desse serviço.

Todo mundo quer proteger o carro, mas para um preço que caiba no bolso. Mas afinal, como economizar no seguro auto?

Antes de tudo, você precisa saber que não é necessário cortar coberturas para economizar.

Até porque, de pouco adiantará um seguro que não cobre os sinistros a que você estará sujeito.

Para não desperdiçar dinheiro, existem algumas dicas simples e cuidados que devem ser tomados antes da contratação e na vigência da apólice.

Se a ideia é economizar no seguro auto, confira as dicas que separamos.

Guia completo para economizar no seguro auto

Imagem: Getty

Como economizar antes de contratar?

Faça simulações antes de comprar o carro

Se você está em dúvida entre alguns modelos de veículo, faça a simulação do seguro antes de escolher.

Existem alguns carros que possuem o prêmio (preço do seguro) com um custo mais acessível, devido ao seu baixo índice de roubo de veículos.

A facilidade de encontrar peças para reposição também influencia no custo da proteção.

Por isso, carros mais antigos tendem a ter seguro mais caro.

Conte com a ajuda de um bom corretor

Mesmo quando  o usuário opte por fazer a simulação online, ele recebe o contato de um corretor de seguros.

O especialista é ótimo para tirar dúvidas e encontrar coberturas que você acha interessantes para o seu veículo.

Ou seja, o corretor  pode auxiliar na contratação do seguro.

Afinal, ele entende melhor as necessidades de cada carro e ajudará a indicar o melhor produto para o seu caso.

Muitas vezes o corretor ainda apresenta propostas que não apareceram na cotação inicial.

Sem falar da possibilidade de conseguir alguns descontos adicionais.

Mas atenção: antes de sair confiando plenamente no corretor, é preciso verificar se ele é registrado junto à SUSEP.

Somente os profissionais autorizados podem atuar nesse ramo.

Pesquise em diferentes seguradoras

Cada empresa trabalha com a análise de risco de uma forma, e isso pode influenciar muito no preço final do seguro.

A análise de risco avalia aspectos como o modelo do carro, o local de residência do usuário e o perfil do motorista.

Cada seguradora dá um “peso” diferente aos aspectos na hora de definir o custo da proteção.

Por isso, sempre compare no maior número de seguradoras.

Assim, você saberá qual delas oferece as melhores coberturas,  pelo melhor preço.

Não contrate o que não precisa

Pode parecer tentador incluir todas as coberturas na sua apólice. Porém, antes de fazer isso, dose o que é realmente necessário.

Por exemplo: se a sua cidade sofre inundações, por que você incluiria no seguro uma cobertura contra esse fator?

Cada cobertura adicional tem um custo extra e a soma deles pode encarecer muito o valor do seguro.

Pense em que situação cada cobertura poderia ser utilizada e se não é apenas um luxo incluí-la.

Considere diferentes seguros

Apesar de o seguro compreensivo ser mais comum, existem outras opções no mercado. Elas podem ser mais adequadas ao seu bolso.

O seguro básico, ou o seguro só para roubo, por exemplo, são bem mais baratos.

Nossa dica é: conheça todas as opções existentes, como o seguro popular e o rastreador com seguro.

Entenda qual tipo de seguro lhe atenderá melhor e só faça a contração após analisar todas as possibilidades disponíveis.

Pondere a franquia

Quando você faz a cotação do seguro, é comum a franquia padrão seja logo apresentada.

Isso significa que ela possui um valor médio, que vai balancear o custo do seguro e a franquia.

Entretanto, é possível aumentar ou diminuir a franquia e influenciar no valor do prêmio.

Uma franquia mais alta gera custo do seguro mais baixo.

Como consequência, o usuário é responsável por quitar a maior parte do prejuízo em caso de sinistro.

A franquia deve ser paga pelo segurado sempre que um sinistro parcial acontece.

Cuidado, apenas, para não alterar a franquia para um valor maior somente com a finalidade de diminuir o valor das parcelas do seguro.

Isso pode sair mais caro do que o planejado se você sofrer sinistros frequentes com o carro.

Afinal, você pagará pela maior parte do prejuízo.

Assim, avalie os riscos e converse com o seu corretor.

Dessa forma, será mais simples entender qual das opções atenderá melhor as suas necessidades e te ajudará a economizar no seguro auto.

Preencha o formulário de risco

Quando você cota o seguro, é preciso preencher um formulário com diversos questionamentos.

Não tenha preguiça de preencher todos os dados e não minta ou omita informações.

É com base nas suas respostas que as seguradoras irão avaliar o real risco que a sua apólice pode ter. Então, elas determinam qual o valor do prêmio a ser pago.

Por exemplo: se você esquecer de mencionar que possui alarme no veículo, não obterá o desconto que esse fator poderia dar ao valor do seguro.

Já a omissão ou informações incorretas podem provocar problemas maiores.

Se perceber que a realidade é diferente do apresentado a ela, a seguradora pode negar a indenização em caso de sinistro.

Se desejar, a empresa ainda poderá abrir processo judicial contra o usuário, por fraude.

Guia completo para economizar no seguro auto

Imagem: Getty

Contrate o seguro em nome de uma mulher

Mulheres sofrem um número menor de acidentes. Assim, as seguradoras cobram menos pelo seguro de carro contratado por uma condutora.

Se o veículo for dividido entre a mulher e outros condutores, colocar a apólice no nome dela pode ajudar a economizar no seguro auto.

Aqui, porém, é importante uma ressalva.

O seguro só deve ser feito no nome de uma condutora se ela realmente utilizar o carro de modo frequente, como uma condutora primária.

Se você é homem, utiliza o carro na maior parte do tempo, e fez o seguro em nome da sua esposa, corre um sério risco de ter a sua indenização negada em caso de sinistro.

Afinal de contas, as informações dadas à seguradora terão sido incorretas.

Pior: mudadas de modo a favorecer o segurado, “enganando” a empresa de seguros. A alegação de fraude é quase certa.

Cuidado com os condutores adicionais

Na hora de fazer um seguro auto, é possível incluir outros motoristas para o veículo segurado.

Porém, para cada pessoa extra, será cobrado um valor a mais.

É claro que, se outras pessoas dirigem o carro regularmente, elas precisam ser mencionadas para a seguradora.

Entretanto, se há alguém que dirige seu carro apenas poucos dias por ano, pondere.

Por exemplo: um parente que passa alguns dias de férias na sua casa uma vez ao ano e dirige o seu carro por 1 dia não precisa ser incluído como motorista adicional.

Analise deixar o carro em um estacionamento

Se a sua casa ou trabalho não tiver uma garagem privativa, vale a pena estudar a possibilidade de  pagar um estacionamento mensal.

Isso porque, deixar o veículo estacionado em via pública aumenta os riscos de roubo e danos. Isso faz com que o valor do seguro aumente.

Para a melhor decisão, faça uma simulação como se você tivesse garagem e outra como se não tivesse.

Depois, compare a diferença e analise se não compensa deixar o veículo em um estacionamento particular.

O custo extra com o carro pode sair bem mais barato do que a taxa a mais no seguro.

Mantenha as contas em dia

Ser um mau pagador pode influenciar diretamente o custo do seguro.

Por isso, para economizar, mantenha as demais contas da sua vida em dia. Se possível, também vale a pena se cadastrar na lista de bons pagadores.

Assim, as seguradoras terão maior certeza de que você vai arcar corretamente com o custo do seguro auto.

Estude ter um rastreador

O rastreador não apenas aumenta as chances de o carro ser recuperado em caso de roubo, como pode influenciar muito no preço do seguro.

Esses equipamentos oferecem uma proteção a mais para o carro e as seguradoras entendem isso.

rastreador pode baratear em média até 30% o preço  do seguro auto.

Por meio dele, a seguradora diminui consideravelmente os seus riscos de ter que arcar com uma indenização integral, mais cara.

A indenização integral é paga quando o carro é roubado ou furtado, e não recuperado pela polícia.

Escolha a forma de pagamento

As seguradoras prezam muito por quem paga o seguro auto à vista.

Por isso, elas costumam oferecer um valor mais vantajoso nessas situações.

Em alguns casos, também é possível parcelar o prêmio sem que sejam cobrados juros.

Porém, o número de parcelas costuma ser reduzido.

Veja quais são as condições mais vantajosas de pagamento na seguradora escolhida.

Se o valor à vista for bem menor, valerá a pena usar as suas economias. Caso contrário, o parcelamento pode ser mais interessante.

Escolha a cobertura de danos a terceiros

Contratar a cobertura de danos a terceiros pode deixar o preço do seguro um pouco mais alto.

Porém, a opção costuma sendo bastante vantajosa se você causar um sinistro.

Por meio dessa cobertura, a seguradora paga pelo prejuízo da outra pessoa envolvida no acidente.

Para economizar no seguro auto, o cuidado precisa ser tomado em relação ao valor de indenização a terceiros.

Não há necessidade de escolher a maior cobertura. Normalmente, a cobertura mais usual é de R$ 50 mil, e ela pode ser mais do que suficiente.

Uma cobertura muito auto tornará o preço do seguro maior.

Guia completo para economizar no seguro auto

Imagem: Getty

Mantenha suas informações atualizadas

Os dados fornecidos à seguradora são parte fundamental para a definição do preço do seguro.

Por isso, caso algo mude em relação ao uso do carro ou seu perfil, informe essas mudanças à seguradora.

Pode ser, por exemplo, que agora você possua uma garagem.

Ou, quem sabe, mudou para uma região com risco menor de roubo, ou o carro está sendo menos utilizado.

Com a atualização dos dados, por meio de um endosso do seguro, o preço da proteção poderá se tornar mais baixo.

Importante dizer que informações que vão encarecer o seguro também deverão ser repassadas à empresa.

Como o fato de um novo motorista frequente guiar o auto.

Mesmo que haja uma taxa adicional no seguro, esse custo será menor do que a acusação de fraude pela companhia.

Afinal, informações incorretas podem gerar a negativa de indenização.

Nesse caso, o segurado ficará com todo o prejuízo que seria coberto se os dados estivessem corretos na apólice.

Economizar durante o seguro (não acionando sem necessidade)

Calcule o valor das despesas

Não é porque o carro precisa de um reparo, que o seguro precisa ser acionado.

Antes de envolver a seguradora, vale a pena procurar uma oficina e solicitar um orçamento para o reparo.

Esse cuidado é importante porque, como citado, o segurado paga por parte do prejuízo com o carro.

Quando a franquia do seguro é mais alta do que o custo do reparo, vale mais a pena que o segurado pague o conserto do próprio bolso.

Até porque, a seguradora não ofereceria cobertura nesse caso. Veja exemplos a seguir.

·        Custo menor que a franquia

Se o valor do reparo for inferior ao da franquia, não compensa acionar o seguro.

Na verdade, é bem provável que você ouça isso do seu corretor e da seguradora também.

Vamos supor que a sua franquia seja R$ 3.000,00 e o valor do conserto ficou em R$ 800,00.

Compensa muito mais pagar os R$ 800,00 e fazer os reparos por conta própria.

·        Custo maior que a franquia

A questão é que o inverso também pode ocorrer e os danos serem extensos e ficarem caros para reparar.

Se a franquia é de R$ 3.000,00 e os danos são de R$ 6.000,00, acione o seguro.

Você deverá desembolsar apenas parte do valor (os R$ 3.000,00 da franquia) e o restante será de responsabilidade da seguradora.

Assim, você economizará um bom dinheiro.

Danos a terceiros

Quando é preciso acionar a cobertura de danos a terceiros, você economiza.

Ou seja, quando você ocasionou o sinistro e tem que reparar o carro de outra pessoa.

Nesse caso não existe cobrança de franquia, não sendo preciso desembolsar nenhum valor.

Entretanto, toda vez que a cobertura é acionada, você perde um ponto do seu bônus.

Quando o custo do reparo do outro carro é alto, será bastante interessante acionar o seguro.

Quando não, a perda de uma classe de bônus pode não valer a pena. Veja até que ponto isso pode ou não ser vantajoso ao seu caso.

Dicas para economizar na hora de renovar o seguro auto

Tenha um bom histórico de direção

Os motoristas que não acionam o seguro acumulam bônus, e esses podem ser convertidos em um desconto na renovação do seguro auto.

Portanto, se você tiver prudência ao volante, pode conseguir economizar bastante. Ainda mais se tiver o seguro há bastante tempo.

No momento da renovação, peça para que seu corretor verifique de que forma esses bônus podem te beneficiar.

Não renove o seguro de última hora

Muita gente esquece quando a apólice do seguro vencerá e só se lembra quando o corretor entra em contato.

Então, para não ficar desprotegido, esse usuário acaba renovando o seguro automaticamente, sem novas pesquisas ou cotações.

Para evitar perder uma boa oferta, o ideal é começar a fazer cotações cerca de um mês antes do vencimento da apólice.

Pesquise diferentes seguradoras e solicite os preços.

Pode ser que, de um ano para outro, a seguradora que era mais vantajosa tenha deixado de ser.

Ao renovar a proteção automaticamente, você deixará de economizar no seguro auto.

Não deixe seu seguro vencer

Deixar o seguro vencer para depois renovar pode ser um problema.

Além de ficar sem a cobertura por um período, você poderá perder o seu bônus e, consequentemente, algum desconto.

A perda de classes de bônus começa a partir dos 60 dias após o vencimento da apólice.

Já a renovação entre 30 e 60 dias não faz perder nenhuma classe, mas também não soma um novo ponto ao usuário.

O ideal é que o pedido de um novo seguro seja feito antes mesmo do vencimento da apólice anterior.

Assim, você evitará o atraso e a correria para manter o carro protegido.

Negocie os valores

É claro que os corretores visam o lucro e, por isso, lhe apresentam uma proposta inicial mais alta.

Normalmente, ela não é a melhor oferta que eles podem fazer.

Porém, os corretores também não desejam perder venda.

Assim, se você buscar negociar com o especialista e tentar abaixar os valores, verá que isso é possível.

Portanto, nada de aceitar a primeira proposta! A regra é negociar bastante.

Use o bônus

O corretor, quando faz a cotação do seguro, nem sempre usa a sua classe de bônus.

Peça a ele que leve essa informação em consideração.

Conforme a pontuação que você tiver acumulada, poderá garantir um bom desconto no seguro.

O resultado será um preço mais acessível, mas mantendo exatamente a cobertura necessária.

Reveja as coberturas

Na hora de renovar o seguro, é possível fazer alterações nas coberturas.

É importante que você reveja se as suas necessidades mudaram e avalie se é possível adequar o que a seguradora oferece com o que você precisa.

Retire tudo o que não for necessário e se, necessário, inclua alguma cobertura.

Como se planejar para pagar o seguro auto

Acompanhe os seus gastos antes de contratar um seguro

Para saber se o valor do seguro caberá no orçamento, é preciso saber o quanto você ganha e o quanto gasta por mês.

O ideal é que esse monitoramento seja realizado por, pelo menos, 60 dias. Desta forma, você não se atrapalhará com as contas.

Se perceber que o orçamento não está apertado, o usuário pode optar pelo pagamento à vista ou por parcelas maiores no seguro.

Assim, haverá a possibilidade de desconto pela seguradora.

Mas, se o orçamento não estiver com muita sobra, parcele em mais vezes e diminua o custo mensal.

Dessa forma, você não não correrá o risco de atrasar as parcelas.

A inadimplência costuma suspender o seguro auto, deixando o carro desprotegido.

Poupe um pouco todo mês

É sempre bom ter um fundo de reserva.

Afinal, se precisar usar o seguro e pagar a franquia, você precisará ter o dinheiro para que o reparo seja feito.

Guardando um pouco de dinheiro mês a mês, você não será pego de surpresa e ficará em condições de pagar o que precisa para recuperar o veículo.

Use um aplicativo

Se a ideia é não se perder nas contas e não ficar com dívidas, os aplicativos podem ajudar.

Eles controlarão os seus gastos e irão informar qual o seu limite para que não entre no vermelho.

Dessa forma, você consegue cortar gastos desnecessários e manter o pagamento do seguro em dia.

Pesquise pelos apps de controle financeiro na loja de aplicativos do seu smartphone.

Corte os gastos desnecessários

O seguro auto é fundamental para quem possui um veículo.

Por isso, é um investimento necessário. Entretanto, existem despesas que não precisam existir.

Aqui, a dica é: reveja as contas, organize quais são prioridade e mantenha somente as que serão úteis.

Os gastos desnecessários devem ser eliminados.

Não cancele o seguro para economizar

O seguro auto não deve ser visto como uma despesa, mas sim como um investimento que proporciona um pouco mais de segurança.

Nos momentos de crise, a primeira coisa que as pessoas pensam é em cancelar o seguro do carro.

Porém, essa ação precisa ser muito bem analisada.

A grande vantagem de ter um produto como esse é poder terceirizar os riscos.

Ou seja, se algo acontecer com o seu carro, a responsabilidade dos custos será da seguradora.

Entretanto, se cancelar o seguro, você precisará arcar com todas as despesas.

Por esse motivo, vale a pena avaliar alguns fatores.

Como se o risco compensa e a possibilidade de contratação de outro plano. Veja a seguir.

O risco de não ter seguro compensa?

Se você mora em uma cidade com alto índice de roubo de veículos ou passa boa parte do dia dirigindo, está altamente exposto a sofrer colisões ou roubos.

Se acontecer alguma coisa com o veículo, você estará preparado para arcar com todos os custos ou ficar sem o carro?

Se a resposta for não, será melhor manter o seguro.

Imagine a seguinte situação: o seu veículo custa R$ 40.000,00 e o valor da sua apólice é de R$ 3.500,00.

Esse seguro garante proteção contra roubo, furto colisão, danos a terceiros e passageiros.

Se o seu carro for roubado, você será indenizado do valor do veículo e terá pago bem pouco por isso.

Mas, se não tivesse um seguro, teria um prejuízo completo de R$ 40.000,00.

Existem opções de seguro mais baratas

Se o problema é o preço, busque maneiras de reduzir o valor da apólice.

Retire algumas coberturas ou até mesmo mude o tipo do seguro. Se possui um seguro completo, opte por um que ofereça proteção contra roubo e furto.

Em relação a mudar o tipo de cobertura, também é preciso fazer uma avaliação. Se optar apenas pela proteção de roubo e furto e sofrer uma colisão, você precisará pagar sozinho por todo o reparo.

Se os danos forem pequenos, o valor será baixo. Porém, se a colisão provocar um grande estrago, o prejuízo será certo.

Imagine que o valor do seguro é de R$ 3.500,00 e o da franquia de R$ 2.800,00 — um total de R$ 7.300,00.

Se os danos tiverem um orçamento de reparo de R$ 18.000,00, você terá de desembolsar muito mais do que os R$ 7.300,00 se não tiver um seguro.

Carro reserva

Outro ponto que deve ser levado em consideração é o carro reserva.

Principalmente se você depende do carro para locomoção. Se algo acontecer com o veículo segurado, o usuário pode utilizar o carro reserva.

Isso quer dizer que ele não precisará andar a pé, e nem terá que desembolsar dinheiro para seu transporte.

Pense no seguinte: se fosse alugar um carro, você pagaria, em média, R$ 100,00 a diária.

A seguradora costuma oferecer, pelo menos, 7 dias do carro reserva. Isso já lhe garantiria uma economia de R$ 700,00.

Depois de verificar todas essas informações, você já sabe que é possível economizar no seguro auto.

Portanto, faça as contas e solicite a sua cotação. Com análise e o auxílio de um corretor, será fácil, fácil, encontrar uma proteção completa, mas também compatível com o seu orçamento.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *