Tudo que você precisa saber antes de fazer um seguro auto online

Na hora de fazer um seguro para o carro, é fundamental conhecer tudo sobre a proteção. Assim, você terá a certeza de contratar o melhor serviço possível. Acompanhe o texto e descubra tudo o que você precisa saber sobre o seguro auto online.

Contratar um seguro auto online é uma ótima opção para evitar prejuízos com o veículo. Com a proteção, o usuário é ressarcido quando alguma colisão, furto ou outro sinistro acontece.

É preciso, apenas, que ele respeite às regras do seu contrato. Do contrário, a seguradora pode se negar a pagar a indenização. Sabia dessa?

A seguir, listamos várias outras coisas que você precisa conhecer antes de contratar o seguro.

Antes de tudo, porém, é importante explicarmos alguns termos. O primeiro deles é a cobertura do seguro. A cobertura nada mais é do que as proteções que o seguro oferecerá ao seu carro.

Um seguro pode, por exemplo, ter proteção contra roubo e furto, colisão, queda de rio e incêndio.

Várias outras também estão disponíveis e, podem, muitas vezes, ser contratadas como adicionais. Como é o caso da proteção aos vidros do automóvel.

Também é necessário destacar a franquia do seguro. A franquia é o custo de responsabilidade do usuário, o valor que ele precisa pagar em caso de perda parcial.

É por meio da franquia que usuário e seguradora “dividem” os custos do reparo no auto.

Por exemplo: a sua franquia é de R$ 1 mil, e o conserto do veículo ficará em R$ 3 mil. Isso significa que você pagará R$ 1 mil à oficina, e a seguradora vai arcar com os R$ 2 mil restantes.

Conhecendo essas informações básicas, será muito mais fácil compreender outros pontos importantes para contratar o seguro auto online. Continue acompanhando!

Tudo que você precisa saber antes de fazer um seguro auto online

Imagem: Getty

O que devo saber antes de fazer um seguro auto online?

1. Preço do seguro auto varia

Na hora de definir o preço do seguro, as seguradoras avaliam o perfil de risco do consumidor. Isso quer dizer que elas avaliam quais as chances de o motorista e o seu veículo sofrerem um sinistro.

Seja um incêndio, roubo ou colisão. Quanto maior o nível de risco do usuário, maior será o preço do seu seguro.

Para esse tipo de avaliação prévia, as seguradoras consideram uma série de fatores. A começar pela idade e tempo de CNH do condutor. Quanto mais velho e mais experiente ao volante, menor a chance de sinistro do indivíduo.

Outro aspecto avaliado é a região de tráfego e estacionamento do veículo. Se o carro for constantemente exposto ao trânsito pesado e a regiões com alto índice de furto, sua proteção será mais cara.

Os custos ainda variam de acordo com a franquia escolhida. A franquia básica têm seu custo e o preço do seguro mais equilibrados.

Já a franquia ampliada é mais alta, e por isso o custo do seguro é menor. O contrário acontece com a franquia reduzida: com a franquia menor, o preço do serviço é maior.

Algumas seguradoras também oferecem a chamada franquia reduzida. Com ela, o usuário não paga nenhum valor para o reparo de um dano parcial. Em contrapartida, o custo do seguro é bastante alto.

Por fim, as empresas avaliam o modelo e características do automóvel. Assim como as coberturas contratadas pelo usuário.

De qualquer modo, é importante dizer que as seguradoras dão “peso” diferente a cada aspecto citado. Por isso, o preço do seguro para o seu carro pode ser variado em diferentes empresas de proteção.

2. Seguradora pode negar a cobertura

Na hora de cotar um seguro auto online, é fundamental informar à empresa todas as informações solicitadas, e da forma correta. Mentir ou omitir um dado pode causar problemas no futuro.

Após um sinistro, a empresa faz a verificação de todos os dados. Se verificar inconsistências perante a realidade, a seguradora poderá negar o pagamento da indenização.

Assim, o indivíduo terá que arcar sozinho com os seus prejuízos.

O mesmo acontece se o segurado desrespeitar outras normas do contrato. Quando o condutor infringe a lei de trânsito e sofre um sinistro, o contrata se torna igualmente nulo.

3. Indenização depende de quem foi culpado pelo acidente

Se outro motorista provocar um acidente de trânsito, ele deve pagar o seu prejuízo. Para isso, ele poderá acionar o próprio seguro, desde que possua a cobertura Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos (RCF-V).

Segundo a Superintendência de Seguros Privados(Susep), as principais garantias dessa cobertura são para Danos Materiais e Danos Corporais.

Se o motorista causador não possuir seguro, ele deve pagar o prejuízo do outro condutor do próprio bolso. Agora, se o infrator fugir do local da batida, e não for possível identificá-lo, o seguro da vítima pagará por seu prejuízo.

4. Existem dois tipos de indenização

A perda parcial acontece quando o carro pode ser reparado. Quando ela acontece, o usuário recebe indenização também parcial, para arcar com parte dos valores dos reparos.

A outra parte é de sua responsabilidade, por meio da franquia. A franquia só é cobrada quando uma perda parcial acontece.

Já a franquia total ocorre quando o custo dos reparos é superior a 75% do valor de mercado do veículo. Nessa situação, o usuário recebe uma indenização integral, para a compra de um novo veículo.

A indenização integral também é paga quando o veículo é roubado ou furtado, mas não recuperado pela polícia.

Compreender o seguro auto online é simples, não é mesmo? Para cotar a proteção para o seu veículo, utilize o site da Smartia.

Basta preencher algumas informações sobre você e seu carro, e entregamos diversas ofertas para a sua escolha!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *