Vale a pena financiar apartamento? Confira os prós e contras!

Os sistemas de crédito possuem inúmeros prós e contras. Portanto, é preciso estar atento a cada um deles antes de pensar em financiar apartamento.

O sonho de ter a casa própria teve que ser pausado durante a pandemia? Não! Nesse período, muitas empresas baixaram os valores para que as pessoas pudessem financiar apartamento com um valor que cabe no bolso.

Segundo os dados liberados pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), os financiamentos com dinheiro em poupança e FGTS atingiram os R$135 bilhões.

Mas, antes de pensar em financiar qualquer imóvel, é preciso estar atento aos prós e contras que existem nesse setor. Afinal, nem tudo o que vemos na internet é perfeito.

Vale a pena financiar apartamento? Confira os prós e contras!

Imagem de Nattanan Kanchanaprat por Pixabay

O primeiro passo nessa jornada é saber se esse imóvel é o ideal para você. Geralmente, esse ambiente é recomendado para pessoas que moram sozinhas, ou que gostam de ambientes pequenos.

No entanto, existe também a possibilidade de levar a sua família para um apartamento, desde que ele seja amplo e comporte todos os membros de forma satisfatória.

Um outro ponto a ser levado em consideração nesse momento, é no caso de crianças. Antes de financiar algum imóvel, veja se o ambiente é recomendado para seus filhos, e se oferece lazer e toda a segurança necessária.

Como financiar apartamento?

Para adquirir um imóvel desse porte, será preciso estar atento em quais seriam as melhores formas para efetuar o pagamento do seu futuro lar.

De modo geral, existem duas maneiras para conseguir o chamado de crédito imobiliário. A primeira alternativa seria por meio do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e a segunda, pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI).

No SFH, a contemplação ocorre de modo que englobe a classe de pessoas pertencentes a baixa renda. 

E um dos recursos que poderão ser usados para solicitar este crédito, é a reforma ou aquisição da casa própria.

No entanto, existem alguns pontos importantes que precisam ser obedecidos para que a aquisição seja feita.

Prós do sistema SFH

Nessa categoria, a taxa de juros cobrada anualmente é de, no máximo, 12% ao ano. O que, de certa forma, é bem atrativa se comparada com as demais opções.

É possível utilizar o saldo do FGTS como uma forma de pagamento, ou pelo menos, para abater algumas prestações dentre as quais o imóvel foi parcelado.

Para evitar que a empresa tenha danos, nessa categoria irão se enquadrar somente apartamentos com o valor máximo de até R$1,5 milhão.

Aproveite e saiba quanto custa um seguro residencial!

Contras do sistema SFH

Só quem pode solicitar uma moradia no SFH são pessoas físicas, que não tenham seu nome envolvido como jurídico.

Durante a análise de dados, caso seja perceptível que não exista possibilidades de um pagamento no valor de, no máximo, 30% do seu salário mensal, a compra poderá não ser efetuada.

A nova moradia precisa estar situada onde o comprador já reside, trabalha ou estuda, caso contrário, não será aceito.

Em relação ao SFI, esse é voltado para suprir todos os elementos que não são aceitos no SFH. 

Assim, basta analisar qual o método se enquadra com você e verificar os prós e contras em financiar apartamento seguindo tais exigências.

Vale a pena financiar apartamento? Confira os prós e contras!

Imagem de William Iven por Pixabay

Prós do sistema SFI

Poderá ser solicitado tanto por pessoas físicas, quanto por jurídicas. Assim, poderá ser um meio mais viável para quem possui empresas, de modo a comprovar a sua renda.

Nessa categoria de crédito, será possível adquirir tanto apartamentos residenciais, quanto imóveis para locação de prédios empresariais.

Sendo assim, o valor do imóvel poderá ultrapassar a casa dos R$1,5 milhão, que seria o valor máximo no SFH. Ou seja, para essa categoria, não existe um limite máximo quanto ao valor de seu novo apartamento.

Contras do sistema SFI

Um adendo importante a ser feito é que, por mais vantajoso que seja essa categoria, principalmente devido ao fato que não há limites de crédito, é válido ressaltar a questão dos juros.

Quanto mais alto for o valor ao financiar apartamento, maior serão os juros. Aqui, a taxa anual tende a variar entre 12% a 16%.

Portanto, a taxa de juros nesse crédito pode ser o dos fatores diferenciais entre ambos os sistemas.

Para que você não fique negativado mensalmente devido a parcela com um valor acima de seu orçamento, é preciso pesquisar bastante os valores e fazer comparação entre imobiliárias.

Só valerá a pena financiar apartamento caso esse caiba dentro do seu orçamento e atenda todas as suas necessidades.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *