Como funciona o seguro para eventos?

Você conhece o seguro para eventos? Esse tipo de proteção pode ser bastante vantajosa, para grandes e pequenas comemorações. Acompanhe o texto e descubra como contratar!

Um seguro para eventos tem como objetivo preservar o organizador e os participantes de um espetáculo, comemoração ou outros. Com ele, os prejuízos de uma série de ocorrências são pagos pela seguradora, em vez de pelos responsáveis pela festa.

De acordo com a lei, qualquer acidente ou sinistro que ocorre durante um evento é de responsabilidade dos seus organizadores. Quando não possui seguro, a empresa ou indivíduo pode arcar sozinho com indenizações, custos de reparos e ações judiciais.

Quando o seguro de eventos é contratado, porém, essas responsabilidades são transmitidas à seguradora.

Os preços deste tipo de proteção variam, de acordo com a seguradora, tipo de evento, duração, público e riscos associados. Segundo a Associação de Marketing Promocional (AMPRO), esses custos não costumam superar 1% do valor total do evento.

Enquanto isso, uma série de ocorrências ficam cobertas, garantindo a preservação financeira dos organizadores. Além, é claro, do cuidado com os participantes da ocasião.

Como funciona o seguro para eventos?

Quais os tipos de seguro para eventos?

Existem dois tipos de seguro para eventos disponíveis no mercado. São eles: o Seguro de riscos diversos (RD) e o Seguro responsabilidade civil (RC). Desses, o RC é o mais comumente contrato, especialmente por ser mais completo. Acompanhe, a seguir, detalhes sobre cada opção.

Seguro de riscos diversos (RD)

Um seguro RD tem como objetivo cobrir perdas e danos a bens do segurado. Isso significa cuidar dos equipamentos eletrônicos, espaço físico e utensílios do evento. Muitas vezes, essa opção é tratada como um adicional, que pode ser obtida junto com a cobertura RC.

A desvantagem da proteção RD é que ela não cobre danos morais e físicos dos participantes e funcionários da ocasião. Assim, em caso de acidentes e ações judiciais, os organizadores ficam responsáveis por arcar com os valores.

Seguro responsabilidade civil (RC)

O seguro RC protege o segurado de danos materiais e corporais a terceiros. Sejam esses terceiros funcionários ou participantes da comemoração. Caso deseje, o usuário ainda pode contratar um adicional conhecido como “itself”.

Ou seja, para si mesmo. Apenas com essa opção a seguradora cobrirá danos físicos ou materiais ocorridos com o próprio segurado.

São muitas as coberturas oferecidas neste tipo de seguro para eventos. A começar pela responsabilidade civil do organizador e do expositor. A proteção também resguarda instalação, montagem e desmontagem, danos materiais e acidentes pessoais.

Além dessas, há a cobertura para:

  • Fornecimento de bebidas e comestíveis;
  • Danos ao conteúdo do local;
  • Não comparecimento do artista ou pessoa designada;
  • Equipamentos cinematográficos, eletroeletrônicos e musicais;
  • Objetos e equipamentos em exposição;
  • Não utilização do local;
  • Subtração de valores em bilheteria;
  • Fogos de artifício;
  • Dano, furto ou roubo de veículos de convidados ou de funcionários que estejam estacionados no local do evento; e etc.

É importante destacar que, muitas dessas coberturas são consideradas opcionais, ou mesmo adicionais. Por isso, é importante verificar quais as realmente indicadas para o evento.

Por exemplo: se a ocasião não tiver show de fogos de artifício, de nada adiantará incluir essa proteção na apólice. Trabalhar apenas com o necessário poderá baratear os custos do seguro de eventos.

Vantagens de um seguro de eventos

Uma das principais vantagens da contratação de um seguro para eventos é a tranquilidade obtida com a opção. Isso porque, quando possui cobertura, o organizador sabe que terá auxílio caso algo saia do controle.

Assim, ele pode se concentrar na realização da cerimônia, e não em todos os imprevistos. Há certa tranquilidade, também, do público e demais participantes da ocasião.

Quando problemas acontecem durante um evento, é possível, ainda, preservar a imagem da empresa organizadora. Afinal, ela poderá oferecer uma resposta rápida, garantindo tudo o que seu público precisa.

Esse cuidado pode evitar, inclusive, problemas judiciais: se sofre um acidente e é logo atendido, dificilmente um participante terá motivos para processar a companhia.

Finalmente, há a economia de valores caso alguma eventualidade ocorra. Isso porque, a seguradora será a responsável por quitar grande parte do prejuízo, qualquer que ele seja. Desde, é claro, que o sinistro esteja previsto na apólice.

Como fazer seguro para eventos?

É bastante simples fazer um seguro de eventos. Para começar, a empresa ou organizador responsável  devem procurar seguradoras especializadas e fazer uma cotação.

É importante conversar com diversas operadoras de seguro, pois os preços e coberturas do mercado são variados.

Com a seguradora escolhida, é preciso apresentar todo o projeto do evento à empresa. Já com a estrutura montada, os organizadores precisam se preparar para uma inspeção de risco do espaço.

Na vistoria, a seguradora avalia todos os equipamentos e infraestrutura do ambiente.

Geralmente, essa inspeção acontece apenas para grandes eventos, com alto público estimado. A seguradora pode, inclusive, fazer sugestões para a melhoria do local.

Em até 15 dias, a operadora da proteção dá retorno aos organizadores, aceitando os riscos associados. De qualquer forma, o prazo costuma ser menor.

No passo seguinte, a seguradora emite uma apólice e começa a vigência do seguro. Daí em diante, o evento fica protegido, inclusive durante a manutenção da sua estrutura.

Regras do seguro

Quando um seguro de eventos é contratado, o consumidor também concorda com uma franquia da apólice. A franquia consiste no valor de responsabilidade do usuário caso algum sinistro ocorra.

Imagine que a faculdade contrate seguro para a festa de formatura da sua turma. Após o evento, os organizadores percebem que o equipamento de som utilizado foi danificado. Seu reparo terá custo de R$ 5 mil.

Como o seguro da faculdade tem franquia de R$ 2 mil, ela será a responsável por quitar R$ 2 mil do conserto. Já a seguradora pagará os R$ 3 mil restantes.

Apenas os sinistros listados na apólice do seguro são cobertos pela seguradora. Para obter auxílio após qualquer prejuízo, os organizadores precisam entrar em contato com a operadora da proteção e registrar o sinistro.

Assim, a ocorrência será avaliada e a indenização correspondente liberada.

Contratar um seguro para eventos é opcional, apesar de recomendado na maior parte das ocasiões. Em todo o caso, tramita na Câmara dos Deputados um Projeto de Lei Complementar para tornar essa contratação obrigatória no País.

A PL 1/2015 listaria, por exemplo, as regras para o pagamento de indenização a indivíduos que sofram acidentes durante a realização do evento.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *