Como funciona o seguro para carros recuperados?

| Autor: Jeniffer Elaina

Muitas pessoas encontram em leilões e no comércio de carros recuperados uma oportunidade de terem seus carros. Mas nessas situações sempre surge uma dúvida: como funciona o seguro para carros recuperados? Acompanhe este artigo e descubra a resposta para essa questão.

Comprar um carro nem sempre é fácil, afinal, o Brasil é um dos países que mais cobra taxas e impostos sobre esse tipo de produto, deixando o valor final dos veículos até 35% mais alto do que deveria ser.

Por isso, é comum encontrar pessoas que busquem a realização desse sonho em leilões.

Nos leilões, os veículos disponíveis são recuperados de diferentes problemas e, por isso, possuem um valor muito mais baixo.

Em média, o carro passa a valer 30% a menos no mercado.

No entanto, assim como uma pessoa que compra um carro zero quilômetro, quem compra um veículo recuperado também deseja garantir uma proteção para seu patrimônio.

É aí que surge a dúvida de como funciona o seguro para carros recuperados.

Como funciona o seguro para carros recuperados?

Imagem: Getty Images

Entenda melhor o conceito de carro recuperado

Os carros recuperados, também chamados pelas seguradoras de veículos sinistrados, são carros que eram segurados e sofreram algum tipo de sinistro que levou a danos graves ao veículo.

Pode ser que os danos tenham sido, inclusive, de perda total.

Ou seja, qualquer carro que tenha sofrido um dano cujo reparo seja igual ou superior a 75% do valor de compra dele.

Normalmente, esse sinistro foi uma colisão que danificou muito o veículo.

Quando o dano não foi total, o auto é consertado e permanece com o usuário.

Mas no caso da perda total, a seguradora passa a possuir o veículo e paga a indenização integral ao consumidor.

Quando o veículo ainda pode ser reparado, e a empresa acha isso interessante, ele é consertado e colocado à venda.

De qualquer forma, sempre que o dano prejudica a estrutura do carro de forma grave, seu documento ganha a indicação de que aquele é um veículo recuperado.

Talvez outro dos maiores causadores de perda total nas seguradoras seja os casos de furto ou roubo.

Para se ter uma ideia, segundo um levantamento realizado, apenas na cidade São Paulo nos últimos 10 anos aconteceram mais de 419 mil registros de roubos e furtos de veículos.

Como citado, uma boa parte desses veículos é recuperada depois que o segurado é indenizado pela empresa, e para não ficar no prejuízo, as seguradoras costumam vender os veículos que estão em bom estado de conservação.

Além de veículos recuperados de roubos e furtos pelas seguradoras, também é comum encontrar carros que foram recuperados de batidas, ou outros problemas.

Além daqueles que foram apreendidos para quitar dívidas judiciais.

Normalmente, esses veículos são comprados por preços bem abaixo dos encontrados na tabela FIPE.

Mas, para compensar a facilidade do custo, existe uma grande dificuldade para encontrar seguradoras dispostas a fornecer apólices para esses veículos.

Veja, a seguir, como funciona o seguro para carros recuperados.

É possível fazer seguro para carros recuperados?

A resposta para essa pergunta é uma variável.

Algumas seguradoras aceitam carros recuperados, outras não.

Além disso, são muitos os critérios avaliados para a contratação desse serviço.

Logo, a maneira mais simples de saber se uma determinada empresa aceita ou não fazer seguro para carros recuperados é procurando um corretor e fazendo uma simulação.

Veja alguns dos critérios utilizados pelas empresas na avaliação do carro recuperado:

  • O tipo do sinistro do qual o carro foi recuperado;
  • O estado de funcionamento do carro;
  • O perfil do futuro segurado;
  • Os índices de roubo na região residencial do cliente;
  • Os índices de roubo do modelo em questão;
  • Entre outros.

Esses e outros fatores serão decisivos na aceitação ou recusa do carro recuperado pela seguradora.

Portanto, é importante que, ao fazer a simulação, todas as respostas sejam respondidas com o máximo de sinceridade.

As seguradoras podem negar a cobertura, se não acharem interessante cobrir o carro.

Elas têm até 15 dias para aceitar ou recusar o veículo e, neste meio tempo, podem oferecer uma cobertura temporária ao carro.

Passados os 15 dias, caso negue a proteção, a empresa deve apresentar a sua justificativa por escrito ao consumidor.

Detalhes sobre o seguro para carros recuperados

Existem alguns detalhes que precisam ser mencionados quando falamos sobre seguro para carros recuperados. Veja abaixo.

Indenização mais baixa

Geralmente, quando uma empresa de seguro aceita um carro recuperado, a indenização fica em 70% do valor do veículo de acordo com a tabela FIPE.

Sim, veículo recuperado de furto perde valor, assim como os recuperados de colisões.

Logo, se um sinistro integral acontecer, você poderá receber menos até do que pagou pelo carro.

Facilidade de contratação do seguro

Os veículos recuperados de sinistros de pequena monta são aceitos com mais facilidade.

Isso porque, as seguradoras entendem que esse tipo de carro não devem sofrer tantos sinistros provocados pelo dano anterior.

Já os veículos sinistrados com médias ou grandes montas são mais difíceis de serem aceitos.

Um carro que sofreu uma grande batida antes, porém, tem mais chances de ter problemas mecânicos.

Aqueles veículos recuperados de financiamentos não pagos são muito bem recebidos pelas seguradoras.

Afinal, eles terão sido vendidos apenas pelo não pagamento das parcelas pelo consumidor, e não por causa de um grande sinistro.

Um carro recuperado apenas pela inadimplência no financiamento não costuma gerar problemas às seguradoras.

Por isso eles são bem aceitos.

Vistoria do carro

É preciso fazer também uma vistoria para que a avaliação do seguro sobre a aceitação ou recusa do veículo seja completa.

Na verdade, a vistoria é um procedimento na contratação de um seguro para qualquer carro.

O problema é, realmente, que a seguradora pode perceber grandes danos ao veículo.

Então, pode não segurar o auto.

Coberturas do seguro para carros recuperados

As coberturas do seguro para carros recuperados podem ser mais limitadas, dependendo do tipo de dano anterior ao veículo.

O carro que teve uma grande batida, por exemplo, tem mais chances de sofrer problemas mecânicos.

Para não cobrir esse tipo de ocorrência, a seguradora pode oferecer apenas coberturas simples, como contra furto ou roubo.

Como funciona a vistoria do seguro para carros recuperados?

Como mencionado aqui, além da simulação do seguro, as seguradoras irão solicitar uma vistoria do carro, para então decidir se aceitam ou não o carro.

Essa vistoria tem a função de avaliar cada detalhe do carro, lataria, numeração do chassi, pneus, estado do motor e acessórios.

O veículo sendo aprovado na vistoria e o cliente tendo o laudo cedido pelo Detran em mãos, não haverá motivos para o carro não ser aceito pelo seguro.

Mas lembre-se que você poderá pagar um valor bem mais alto do que se fosse um carro comum.

Em todo o caso, isso não muda o fato de que ter um seguro auto é sempre a melhor decisão.

Veículos recuperados de furto fazem seguro mais fácil?

Se você está em dúvida se veículos recuperados de furto fazem seguro mais fácil, saiba que a resposta para essa questão é depende.

Tudo dependerá dos níveis de danos promovidos pelo sinistro no veículo.

Quanto menos danificado o veículo for, seja em um furto ou roubo ou em uma colisão, mais fácil será conseguir um seguro para ele.

Tirando isso, existem algumas questões relacionadas a veículos roubados ou furtados que podem dificultar a contratação do seguro.

Por exemplo: o estado do Chassi do veículo. É muito comum que, em furtos e roubos, os bandidos danifiquem ou ‘raspem’ o chassi do carro para dificultar a identificação do veículo.

Se isso acontecer, mesmo que o chassi seja reposto conforme as regras, é possível que você tenha mais dificuldades de fazer o seguro auto.

E se eu comprar um veículo recuperado de seguradora?

Algumas seguradoras promovem leilões de veículos recuperados por elas, e mesmo esses veículos tendo sendo recuperados e colocados à venda pela própria empresa, em muitos casos, nem mesmo a seguradora que o vendeu aceita oferecer uma nova cobertura do veículo.

Tudo sempre dependerá do tipo de sinistro e dos danos causados ao veículo.

Geralmente esses veículos são divididos em três categorias, classificadas pelo nível de monta dos sinistros.

Os veículos de pequena e média monta conseguem uma cobertura de seguro mais facilmente.

Já os de grande monta dificilmente serão aceitos pelas seguradoras, e isso inclui a empresa que os vendeu.

Por isso, comprar um veículo recuperado de seguradora, como o leilão de veículos recuperados da Porto Seguro, ou de qualquer outra seguradora, nem sempre é a solução para conseguir contratar uma proteção para ele.

Quais são as seguradoras que aceitam carros de leilão?

Geralmente, as empresas mais conhecidas e renomadas aceitam.

No entanto, não há como indicar uma ou outra empresa específica.

Porque, como já mencionado aqui, a aceitação dependerá diretamente do tipo de sinistro que o veículo sofreu.

Portanto, se você quiser saber quais são as seguradoras que aceitam carros de leilão, o melhor jeito é realizando cotações.

Informe todos os dados que normalmente já são solicitados em uma cotação, mais todas as informações solicitadas sobre o veículo a respeito de sua recuperação.

O que pode constar na documentação de um carro de leilão?

Entre as muitas questões sobre os carros com passagem por leilão a venda, está a dúvida sobre o que constará na documentação do veículo.

Muita gente acredita que, ao comprar um veículo recuperado, independentemente do motivo, isso estará discriminado na documentação dele.

Mas na verdade não é bem assim que funciona.

Apenas os veículos recuperados de sinistros terão essa informação na documentação.

Já os veículos recuperados de financiamento não terão essa informação no documento.

Por isso, vale a pena considerar com atenção o motivo de venda do veículo em um leilão antes de comprá-lo.

Afinal, quando você for repassar esse veículo, inevitavelmente conseguirá um valor bem menor do que pagou nele por causa dessa informação na documentação.

Vale a pena comprar carro recuperado?

Se você leu este texto até aqui, já sabe dos incômodos que um carro recuperado pode trazer.

Especialmente para a contratação do seguro, já que as seguradoras não costumam proteger esse tipo de veículo.

Dito isso, é preciso destacar que existe sim vantagens de adquirir carros recuperados.

Mas elas precisam ser balanceadas aos pontos negativos e às suas necessidades.

Por exemplo: um veículo recuperado é mais barato do que um carro zero ou em condições melhores.

Em média, eles são entre 30% a 60% mais baratos do que seu modelo na tabela FIPE.

Essa é a vantagem desse tipo de carro.

Ele pode ser a melhor opção para quando você não tem muito para investir, mas deseja ou precisa de um auto.

Mas então, vêm as desvantagens.

O seguro mais difícil de contratar, a possibilidade de ter que assumir débitos em aberto e a desvalorização do carro para venda futura.

Nenhum desses aspectos vai ser realmente uma dor de cabeça se você só puder comprar esse carro.

No entanto, você precisa ter a certeza de que está disposto a lidar com esses fatores.

Assim, não vai se decepcionar depois.

Agora que você conhece melhor as questões em volta dos carros de leilão e de veículos recuperados, será bem fácil escolher um veículo para comprar e conseguir segurá-lo.

Se precisar de ajuda com a contratação do seguro auto, não hesite em procurar um corretor de confiança.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

12 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *