Saiba tudo sobre o seguro de carro temporário

O seguro de carro temporário ainda é pouco conhecido e utilizado no Brasil. Muitas vezes, por falta de informação. Acompanhe o texto e descubra tudo o que você precisa sobre o assunto.

Ter um seguro de carro é algo bastante necessário. Afinal, com ele o usuário obtém proteção para o veículo, sendo ressarcido de prejuízos que vierem a ocorrer.

O tipo de seguro mais comum é o seguro auto convencional, contratado por um período de 12 ou 24 meses. Porém, existem outros, como o seguro de carro temporário.

Um seguro de carro temporário é ofertado para quem deseja proteger o seu veículo por um período menor. Há opções de seguro de carro temporário que funcionam por um intervalo de, por exemplo, 30 dias.

Saiba tudo sobre o seguro de carro temporário

Imagem: Getty

Como funciona o seguro de carro temporário?

O Seguro de carro temporário funciona de forma similar ao seguro tradicional. Porém, o seu período de utilização é bem diferente.

Em vez de uma proteção prolongada, por pelo menos 12 meses, esse tipo de contratação é feita de acordo com a quantidade de dias ou meses que o usuário achar necessário.

Durante o período de vigência do contrato, então, o veículo estará resguardado e terá acesso a todos os benefícios oferecidos pela seguradora. As coberturas e regras para este uso ficam listadas na apólice.

Outra forma de ter o seguro temporário é contar como vinculado à locação de veículos. Quando se aluga um carro, ele conta com um seguro temporário básico já incluso, resguardando a locadora e locatário.

Muitas vezes, também é possível optar por algumas coberturas adicionais, que são apresentadas no momento de retirada do carro alugado.

Geralmente, locadora e locatário dividem o custo do seguro, ou ele aparece como uma taxa adicional no aluguel.

Regras do seguro de carro temporário

Cada seguradora pode estabelecer as regras específicas para comercializar esse tipo de seguro. Ainda assim, o atendimento do consumidor deve seguir as regras estabelecidas pela Susep.

As regras da Susep abordam, por exemplo, perda parcial e integral de um veículo. A perda parcial do carro acontece quando um sinistro danifica o auto.

Ainda assim, os custos para conserto são menores do que 75% do valor do carro. Nessa situação, a seguradora paga parte dos custos do reparo, enquanto o consumidor paga a franquia.

Imagine que a franquia do seu seguro seja de R$ 1 mil. O conserto do seu veículo, após um sinistro, será de R$ 3 mil.

Nessa situação, você será o responsável por quitar R$ 1 mil junto à oficina mecânica. Já a seguradora irá quitar os R$ 2 mil restantes. As seguradoras só arcam com prejuízos maiores do que a franquia.

O valor da franquia pode ser definido de forma fixa ou percentual, e aparecerá na apólice.

Já a perda total acontece quando o custo do conserto do veículo é maior do que 75% do valor do carro. Aqui, o usuário recebe uma indenização integral, para a compra de um novo veículo.

A indenização integral também é paga quando o carro é roubado ou furtado, e não recuperado pela polícia.

Comparando o seguro particular e de uma locadora de veículos, pequenas mudanças podem ocorrer na forma de acionamento do seguro. Por isso, é fundamental ler bem a apólice da proteção e, se for o caso, o contrato de aluguel do automóvel.

O preço do seguro de carro temporário compensa?

Os riscos avaliados na hora de fazer um seguro temporário são os mesmos do que os de um seguro tradicional. Isso significa que a seguradora aplica um questionário, buscando entender as chances de sinistro do usuário.

São considerados dados como características do veículo, perfil do motorista, coberturas contratadas e outras. Com base nelas, o custo do prêmio, valor da franquia e indenização são definidos.

Considerando esse aspecto, não há uma grande variação de valores entre o seguro tradicional e o temporário. Porém, ao verificarmos o valor diário de proteção, é possível perceber certa diferença.

É comum que o seguro temporário tenha um custo um pouco mais elevado por dia do que o seguro tradicional.

Isso ocorre porque os custos administrativos acabam sendo diluídos em um menor período. Assim, vale a pena contar com a proteção temporária apenas em casos específicos.

Quando usar o seguro temporário?

É sempre indicado que, quem possui um carro, conte com um seguro tradicional. Com ele, o usuário se resguarda contra prejuízos, durante todo e qualquer momento em que for utilizar o automóvel.

Quem não pode pagar um seguro completo, porém, pode se beneficiar do temporário. Ele é interessante para situações em que, por um período determinado, o risco de sinistro será aumentado.

Como durante uma viagem. Assim, mesmo que por alguns dias ou meses, o carro ficará protegido.

Também é vantajoso contar com o seguro quando o usuário vai ficar com um carro por poucos dias. Ou porque o pegou emprestado, ou porque vai vendê-lo.

Nesse segundo caso, é comum que a vigência do seguro comum tenha chegado ao fim, mas o consumidor não deseja renová-lo, pois vai logo dispensar o veículo.

Benefícios do seguro de carro temporário

Podemos dizer que todo produto comercializado tem a sua importância, pois atende a pelo menos uma parte dos consumidores. Com o seguro de carro temporário não é diferente. Ele apresenta benefícios como:

  • Possibilidade de contar com o seguro apenas durante os dias de necessidade;
  • Pagamento realizado apenas de forma correspondendo aos dias utilizados;
  • Qualquer pessoa habilitada pode aderir a esse seguro;
  • A burocracia para aquisição não costuma ser grande;
  • Possibilidade de escolher as coberturas de interesse.

Como contratar o seguro temporário?

A contratação de um seguro temporário é similar à do seguro tradicional. Com exceção dos casos de locação, pois neles a obtenção da proteção é feita diretamente na locadora do veículo. Normalmente, ela já está inclusa na prestação do serviço.

Uma pessoa física ou empresa que queira contratar o seguro de carro temporário pode fazer a adesão diretamente com a seguradora ou com um corretor.

Vale ressaltar que não são todas as empresas que disponibilizam essa alternativa. Portanto, contar com a ajuda de sites especializados, ou de corretores, pode facilitar o processo de contratar a melhor opção ao seu veículo.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

4 Comentários

  • Lilian says:

    Oi,

    Gostaria de saber quanto fica o seguro temporário no dia 22 Dezembro até 02/01 é uma S10 cabine dupla, 2015, de São Carlos para Santa Catarina.

    Obrigada, aguardando uma resposta.

  • Custódia de Lourdes Sa says:

    Boa noite,

    Já tenho carro e seguro.
    Ocorre que vou comprar outro em São Paulo e preciso fazer o seguro dele somente para trazê-lo para Juiz de Fora, onde será emplacado. É possível?

    Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *