Seguro cobre se outra pessoa estiver dirigindo meu carro?

O seguro cobre se outra pessoa estiver dirigindo meu carro, entretanto, é bom a pessoa estar mencionada na apólice.

Quem contrata o seguro auto sempre acaba tendo algumas dúvidas. Isso porque no momento da adesão nem todos os questionamentos são lembrados. Um dos mais comuns é se o seguro cobre se outra pessoa estiver dirigindo meu carro.

Para responder essa dúvida é preciso entender e avaliar diferentes situações. Então vamos a elas.

Seguro cobre se outra pessoa estiver dirigindo meu carro?
Imagem: Getty Images

O seguro cobre se outra pessoa estiver dirigindo meu carro e consta na apólice

Ao contratar um seguro, as seguradoras possuem exigências diferentes. Em alguns casos é preciso indicar quem são os motoristas secundários do veículo. Outras questionam com quem a pessoa vive e entende que todas dirigem o carro.

Um caso um pouco mais específico é quando existem menores de 24 anos na casa. Eles devem ser mencionados no seguro porque podem dirigir e apresentam mais riscos.

Quando as pessoas são mencionadas a apólice nessas situações, o seguro cobre se outra pessoa estiver dirigindo meu carro. Assim, se acontecer um sinistro, por exemplo, com o cônjuge, o seguro não terá problemas em pagar a indenização.

Por isso, é muito importante passar as informações corretamente para as seguradoras.

Quando uma pessoa não mencionada na apólice estiver ao volante

Pode acontecer de um amigo ou parente que não mora com você pegar o carro em uma situação esporádica.

Vamos supor que um primo veio passar as férias na sua casa e pegou o carro para ir ao mercado. No meio do caminho ele bateu o veículo.

Como se trata de um motorista eventual, não teria como citar ele na apólice. Nem sequer imaginaria que ele dirigia o veículo.

Nessa situação a seguradora entende que se trata de motorista eventual. Por isso, também cobre o sinistro caso venha a acontecer.

Manobrista bateu o carro

O seguro cobre se outra pessoa estiver dirigindo meu carro e for o manobrista. Pode acontecer de parar o carro em um estacionamento e o manobrista por falta de experiência com o carro causar danos ao veículo.

Isso é entendido da mesma forma que o motorista eventual e a seguradora arca com os danos. Entretanto, o estacionamento deve prestar todo o suporte e ter um seguro para essas situações. Se tudo estiver certo, nem haverá necessidade de acionar o seu seguro, já que a empresa acabará se responsabilizando e pagando tudo.

Motorista de 18 a 25 anos ao volante

Os motoristas recém habilitados costumam ser um problema. Mesmo que ele seja eventual, pode haver problemas com o pagamento da indenização.

As seguradoras nesse caso são mais resistentes, pois, esse grupo apresenta riscos maiores. Para saber como fica a situação, é preciso entender muito bem o que está especificado na apólice.

Se o condutor estiver mencionado na apólice, por exemplo, for o filho, a indenização é paga com facilidade. Isso porque no cálculo do prêmio já foi incluído o risco adicional desse condutor.

O maior problema está quando se mente para a seguradora. Se tem um filho nessa faixa etária morando em sua casa e não mencionou, a seguradora entende como omissão de fatos. Mentir para o seguro faz com que a indenização seja negada. Aí não tem o que fazer.

Seguro cobre se outra pessoa estiver dirigindo meu carro sem habilitação

Se o condutor não possuir habilitação, não importa quem seja a indenização será negada.

O seguro cobre se outra pessoa estiver dirigindo meu carro apenas se ela cumprir com a legislação. Isso significa que uma pessoa sem carteira de habilitação ou com o documento suspenso não poderia estar ao volante.

Se ele sofrer uma colisão, não há o que possa ser feito, todos os custos devem sair do bolso do proprietário do veículo.

Até mesmo se a pessoa que contratou o seguro (não o motorista principal) não tiver habilitação, a resposta será a mesma.

Motorista embriagado ao volante

Sabe aquela história que sai com os amigos para beber e fica sem condições de dirigir? É ótimo quando passa as chaves para quem não consumiu bebida. Porém, se quem pegou ao volante for o menos bêbado, será um problema.

Qualquer pessoa, seja um terceiro ou o próprio motorista que se envolver em um sinistro estiver sob efeito de álcool ou substâncias proibidas, é entendido que ele assumiu o risco.

Como a legislação é clara nesses casos, não se pode dirigir embriagado. Logo, a seguradora não arca com os danos.

Em resumo, podemos dizer que o seguro cobre se outra pessoa estiver dirigindo meu carro. Para isso é preciso olhar cada uma das situações, afinal, existem exceções para essa regra.

Se não quer ter problemas, entenda bem o que está comunicando à seguradora e evite que pessoas não mencionadas na apólice dirijam o seu veículo.

Avalie este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *