Pensar no futuro é muito importante, por isso, vamos explicar mais como funciona a previdência privada empresarial.

Cada vez as pessoas têm pensado no futuro e um fato que exemplifica é o crescimento da contratação da previdência privada.

De acordo com números divulgados depois de uma pesquisa feita pela Susep — Superintendência de Seguros Privados, a contratação de planos de previdência privada aumentou mais de 12% no primeiro semestre de 2022 quando comparado ao mesmo período de 2021.

Este aumento também se deve ao fato da mudança de previdência social no Brasil, mais conhecida como a garantia da aposentadoria, que aumentaram o prazo de colaboração do empregado e a idade mínima necessária para se aposentar pelo INSS.

Com estas alterações, os empresários podem ajudar os seus colaboradores a guardar um dinheiro e investir de uma forma melhor ao oferecer a previdência privada empresarial.

Você não sabe do que se trata? Vamos explicar neste artigo como funciona a previdência privada empresarial.

Como funciona a previdência privada empresarial
Imagem de Dziana Hasanbekava / Pexels

O que é previdência privada empresarial?

Assim como a previdência privada que já conhecemos, é uma forma de investimento com médio e longo prazo, mas não a ver com o governo federal.

A contratação pode ser feita por qualquer pessoa e basta apenas ir ao banco ou acessar uma plataforma de investimento que ofereça este tipo de serviço.

Mas voltando à previdência privada empresarial, esta opção é oferecida apenas por uma empresa aos seus colaboradores como um benefício. Esta opção é uma forma do funcionário guardar um dinheiro e, no futuro, investir o valor de uma forma mais eficiente para ele.

O valor estipulado junto com o funcionário é descontado na folha de pagamento durante o período, também escolhido pelo colaborador.

Como resgatar o valor da previdência privada empresarial?

A qualquer momento o colaborador pode solicitar o resgate do valor que já foi contribuído, porém, existe uma carência de 60 dias. Já o valor que foi depositado pela empresa, tem um período diferente e variável, que está conectado ao contrato do funcionário com a empresa.

Normalmente, o prazo escolhido é entre 5 e 10 anos, podendo receber o valor em caso de rescisão de contrato ou até mesmo pedido de dispensa. Estas regras são determinadas pela empresa.

É importante pontuar que será necessário escolher o tipo de tributação que será aplicada no momento do saque. São oferecidos dois tipos: Progressiva e Regressiva.

Conheça os tipos de previdência privada empresarial

É possível encontrar dois tipos de planos de previdência privada. Quem irá escolher a modalidade ideal para o seu perfil, é o funcionário. Mas é importante pontuar que esta escolha deve ser feita no começo do contrato porque não poderá ter alterações durante o processo.

1 – PGBL

Conhecido como Plano Gerador de Benefício Livre, esta opção de plano é bem característica por ter a vantagem de dedução do imposto de renda.

Quem tem uma previdência privada PGBL tem a chance de diminuir até 12% da sua renda tributável (horas extras, salário, direitos autorais, férias, aluguéis, valores recebidos do INSS, rendimento de investimentos, benefícios, pensões, dentre outras formas de fontes de renda) no momento da declaração de imposto de renda e, com isso, pagar menos tributo.

2 – VGBL

Chamado de Vida Gerador de Benefício Livre é a opção de plano de previdência privada empresarial mais escolhido no Brasil.

A diferença entre o PGBL é que nesta opção o imposto é aplicado somente em cima dos rendimentos da aplicação e não sobre o total. Mas ela não garante a dedução do imposto de renda como o plano acima.

Os benefícios aos funcionários quando a empresa oferece um plano de previdência privada empresarial

Existem diversos benefícios para os colaboradores quando a empresa que eles trabalham dão a oportunidade de ter uma previdência privada empresarial. São eles:

  • Diminuir as preocupações dos funcionários quando o assunto é dinheiro;
  • Uma forma de dar uma garantia de estabilidade financeira quando o colaborador se aposentar;
  • Para aqueles funcionários que não tem o costume de economizar, pode ser uma grande oportunidade;
  • Garantir um dinheiro, que muitas vezes não é esperado, para que alguns projetos futuros sejam realizados.

Já para as empresas, além de ser um diferencial no momento de uma contratação de um funcionário ou até mesmo para mantê-lo na empresa e também ter as vantagens fiscais citadas acima, a empresa pode ganhar um colaborador mais ativo, já que as preocupações com o futuro financeiro tendem a diminuir. 

Toda forma de investimento para deixar o funcionário mais feliz é um jeito de ter mais dedicação para que a empresa dê certo.

Avalie este post

Quer saber mais? Veja Também!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *