10 mitos e verdades do seguro auto com rastreador que você precisa saber

Contratar um seguro auto com rastreador pode ser uma ótima pedida. Mas antes, você precisa conhecer tudo sobre a opção. Acompanhe de descubra!

Anda pensando em contratar um seguro com rastreador, mas está cheio de dúvidas? Isso é bastante comum.

Afinal, essa associação de serviços ainda é pouco comum.

Para se ter uma ideia, no Brasil existem cerca de 43,4 milhões de veículos nas ruas.

Desses, apenas 13,4 milhões possuem seguro, e somente 1,5 milhão têm rastreador instalado.

O número de rastreadores, aliás, corresponde tanto a carros, quanto a outros veículos, como de carga, o que torna a amostragem em pequenos automóveis ainda melhor.

Um rastreador de veículo nada mais é do que um dispositivo que permite localizar o auto.

Ele é útil, principalmente, em casos de roubo ou furto.

Com o aparelho, o carro pode ser mais facilmente encontrado e recuperado pela polícia.

A seguir, acompanhe mitos e verdades sobre o dispositivo.

5 mitos e verdades do seguro auto com rastreador que você precisa saber

10 mitos e verdades sobre seguro auto com rastreador

1. Um rastreador é suficiente para proteger o carro

Mito. O rastreador de veículos tem como única função localizar o carro após um roubo ou furto.

Mas ele não protege o usuário de outros sinistros, nem ressarce dos prejuízos sofridos.

Um seguro auto, por outro lado, protege o veículo contra vários sinistros e ressarce o consumidor dos seus prejuízos.

As coberturas geralmente incluem incêndio, colisão, queda de raio e outras.

Assim, sempre que alguma algum destes problemas acontece, o segurado só precisa acionar a seguradora.

Então, receberá valores que cobrirão o seu prejuízo.

São dois os tipos de indenização que um seguro paga. A primeira é chamada de parcial, e funciona para o conserto do veículo.

Seu valor é suficiente, apenas, para reparos que não tenham custo maior do que 75% do valor de mercado do carro.

A indenização integral, por outro lado, cobre prejuízos superiores a 75% do valor do carro.

Ela é paga, por exemplo, após uma grande colisão, e quando o carro é roubado e não recuperado.

Com os valores, o consumidor pode adquirir um novo veículo.

2. Rastreador deixa o seguro auto mais barato

Verdade. Se o carro segurado é roubado, a seguradora tem duas opções: pagar a indenização parcial ou a integral.

Essas possibilidades, porém, variam.

Quando o carro não é recuperado, a empresa do seguro entrega ao usuário a indenização integral.

Já quando o veículo volta ao consumidor, é possível que apenas a indenização parcial seja necessária.

A menos, é claro, que o custo do reparo seja maior do que 75% do valor do auto.

Nessa situação, o usuário volta ao seu direito de receber os valores integrais.

O ponto é que a indenização parcial é muito mais barata à seguradora do que a integral.

O rastreador torna a localização do veículo mais simples, e por isso aumenta a chance de valores parciais.

Podendo “economizar” nas indenizações, a empresa dá certo desconto ao usuário na hora da contratação do seguro.

É importante, porém, dizer que vários outros fatores influenciam no valor do seguro.

Como o perfil do motorista, o modelo do carro e o número de coberturas contratadas.

Na hora de contratar a proteção, vale a pena realizar cotações em diferentes empresas.

3. Rastreador só localiza o carro

Mito. Ao instalar um rastreador, o consumidor pode contar com uma série de outros benefícios.

Tudo depende do modelo do aparelho utilizado.

Alguns deles conseguem, por exemplo, funcionar também como bloqueadores.

Assim, se o veículo é roubado, o bloqueador pode ser acionado, e o carro não sairá mais do lugar.

Também existem rastreadores com cerca eletrônica.

Essa opção avisa ao motorista quando o veículo ultrapassa uma área delimitada, e pode servir de alerta.

Outra possibilidade é de que o aparelho grave o histórico de posição do carro.

Ou seja, ele registra onde o veículo esteve e em que horário.

A opção pode servir tanto para casos de furto e roubo, como para o monitoramento do carro emprestado a alguém.

4. O rastreador é gratuito

Mito. Dificilmente um rastreador é instalado sem nenhum custo.

O que as seguradoras costumam fazer é oferecer desconto no seguro e facilidades para instalação.

Por vezes, também há alguns descontos nos valores cobrados.

Fora isso, o usuário geralmente precisa arcar com o preço de instalação e uma mensalidade para o monitoramento.

Apesar do custo, é interessante pagar pelo monitoramento contínuo do veículo.

No mercado, existem dispositivos que permitem o monitoramento pelo próprio consumidor.

Porém, após um furto, o usuário dificilmente terá o mesmo aparato técnico para a localização rápida do automóvel.

5. Seguradora pode exigir a instalação do instalador

Verdade. A seguradora pode negar um consumidor sempre que desejar.

Ou seja, se não achar o negócio interessante, ela indicará o cliente a outra empresa.

Então, se a condição da companhia for a instalação de um rastreador, e o usuário se negar a fazê-lo, o seguro pode não ser contratado.

6. Só é possível contratar um rastreador com seguro

Mito. Esses são dois produtos diferentes, tanto que as empresas que os comercializam nem sempre possuem os dois.

Ter um não requer a contratação do outros, porém, ter ambos pode oferecer algumas vantagens como o desconto no valor do seguro e aumento da proteção do carro.

7. Seguros vendidos junto com o rastreador só protegem contra roubo e furto

Mito. O mais comum de ver no mercado na parceria entre empresas de rastreadores e seguros é essa condição, um rastreador que oferta um seguro mais simples com um valor fixo.

Porém, não há nenhuma regra que determine que deva ser feito dessa forma, tanto que atualmente já existe uma maior flexibilidade nas coberturas que serão adicionadas.

Como isso varia de uma empresa para outra é preciso verificar as condições com cada uma delas.

8. Instalar o seguro auto com rastreador fará com que eu perca a garantia de fábrica do carro

Mito. A garantia só é perdida se as configurações originais do carro forem alteradas, e com um seguro auto com rastreador instalado corretamente isso não ocorre.

Entretanto, se não for realizada por um profissional capacitado para tal o problema pode acontecer e além de perder a garantia de fábrica pode ter problemas mecânicos.

9. O seguro auto permite que eu rastreie o carro do meu celular

Verdade. Muitas empresas contam com aplicativos e sites que podem acessados mediante senha individual e permitem o monitoramento do veículo.

Assim, se desejar alguma informação não há necessidade de entrar em contato com a empresa que oferece o serviço.

Esses canais também são válidos para configurar outros serviços ofertados, como os que citamos acima.

10. É mais fácil o carro ser aceito em um seguro auto com rastreador que um seguro convencional

Em parte. O seguro tradicional faz análise de perfil e pode recusar alguns carros por ser difícil encontrar peças de reposição e outros motivos.

No caso do seguro auto com rastreador, a contratação é mais simples porque não há análise de perfil.

O equipamento é instalado no carro e como as coberturas mais comuns são roubo e furto, se o veículo for levado será paga a indenização integral.

Porém, essa não é uma regra e as seguradoras podem recusar qualquer veículo desde que justifiquem os motivos.

Agora você já sabe tudo o que precisa sobre o seguro auto com rastreador de carro. Faça a sua cotação e proteja o seu veículo ao máximo!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *