Vale a pena fazer um financiamento sem entrada? Veja como saber!

Fazer um financiamento sem entrada pode ser a solução para comprar um carro novo, imóvel ou mais. Saiba quando essa é uma boa opção!

Normalmente, financiamentos comuns exigem uma entrada de, no mínimo, 20% do valor do bem desejado. Mas isso não existe no financiamento sem entrada.

Em vez disso, no crédito sem entrada, o usuário consegue o valor total que precisa para sua compra.

Só que o custo desse crédito costuma ser mais caro, dependendo do tipo de financiamento escolhido. Logo, é fundamental avaliar bem as alternativas. 

Neste artigo, apresentamos tudo que você precisa saber. Continue lendo!

Vale a pena fazer um financiamento sem entrada? Veja como saber!

Imagem: Pxhere

Tipos de financiamento sem entrada

Existem três tipos básicos de financiamento sem entrada: o CDC, o consórcio e o leasing. Acompanhe abaixo um pouco mais sobre cada um deles.

1. Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

O CDC funciona como um empréstimo: você recebe o dinheiro e paga por ele em prestações.

A diferença é que o bem adquirido será alienado em nome do banco ou financeira que cedeu os valores. Alienado, ele serve como garantia de pagamento. Se o usuário deixa as mensalidades em aberto, pode ter o item “tomado”.

2. Leasing

O leasing é muito semelhante ao CDC. Mas, nesse caso, o bem fica em nome da financeira que emprestou os valores. Só depois de quitado ele será transferido para o nome do indivíduo que o financiou.

3. Consórcio

O consórcio é um tipo de financiamento que funciona como uma espécie de poupança conjunta. Vários indivíduos, interessados no mesmo valor de crédito, pagam suas mensalidades. Essas mensalidades vão para um “fundo”.

Desse fundo, então, é sorteada uma Carta de Crédito. A Carta consiste no valor total do crédito desejado. Ou seja, se você contratar um consórcio de R$ 45 mil, a Carta de Crédito será de R$ 45 mil.

Geralmente, é realizado um sorteio por mês. Cada um dos participantes do consórcio receberá sua Carta de Crédito em algum momento do seu contrato.

Isso vai acontecer, inclusive, enquanto cada consorciado ainda paga suas parcelas. Mas após receber o crédito, para fazer a compra desejada à vista, o indivíduo deve continuar a pagar suas parcelas. Suas mensalidades vão reabastecer o “fundo” e permitir o sorteio de outras pessoas.

Não são cobrados juros em um consórcio. Por isso, ele é um tipo de financiamento relativamente barato.

Porém, a liberação do crédito pode demorar, já que é feita por sorteio. Se o contrato for de 10 anos, por exemplo, você poderá demorar até 10 anos para ter o valor de crédito disponibilizado na sua conta.

Quando vale a pena fazer financiamento sem entrada?

Na dúvida sobre fazer ou não um financiamento sem entrada? Abaixo, apresentamos situações em que pode valer a pena.

1. Quando seu score de crédito é bom

Quanto melhor pagador um indivíduo é, melhor seu score de crédito. De 600 para cima, o score indica que há um baixo risco de inadimplência.

Então, as financeiras têm maior confiança de que você vai arcar com sua dívida. Por isso, diminuem os juros e taxas do crédito.

Se você se encaixa nesse perfil de bons pagadores, um financiamento sem entrada pode ser ótimo. Mesmo que mais caro que um financiamento comum, ele não terá uma diferença tão exorbitante em relação a esse segundo.

2. Quando você tem uma boa renda

A taxa de juros de um financiamento sem entrada é mais alta, e suas parcelas mais caras. Assim, é fundamental ter uma alta renda na hora de obter o crédito.

Primeiro porque, com um orçamento maior, você dará às financeiras a segurança de pagamento. Além disso, não terá problemas em organizar o orçamento. Algo que pode ser bem diferente nos casos de baixa renda.

3. Quando não consegue um financiamento comum

Por vários motivos, pode ser que você não atenda aos requisitos de um financiamento comum. Se isso acontecer, será preciso buscar alternativas, como o crédito sem entrada.

Mas lembre-se que esse é um financiamento em geral mais caro (fora o consórcio). Logo, ele deve ser bem avaliado e realmente se mostrar como a melhor opção ao seu caso.

4. Quando você pode esperar pelo bem

Como explicamos, o consórcio é uma das opções disponíveis de financiamento sem entrada. Mas, apesar de barato e cheio de vantagens, ele pode demorar a liberar os valores para a compra do bem.

Porém, se você não tem pressa para comprar, ele pode ser uma ótima opção. 

Pronto! Agora você já sabe quando vale a pena financiamento sem entrada. Não se esqueça de avaliar bem cada uma das opções de crédito disponíveis. Cada uma delas tem atrativos diferentes, e uma deve ser mais interessante ao seu caso.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *