Como funciona o financiamento de carros

| Autor: Jeniffer Elaina

O financiamento de carros é uma modalidade usada por quem não possui o valor integral para a compra do veículo. Ele possui diversas regras e condições, conheça algumas delas.

Quem não possui o dinheiro total para comprar um automóvel pode optar por um financiamento de carros.

Essa modalidade é uma alternativa, pois, permite que o valor seja pago de forma parcelada.

Com os juros da taxa Selic de 6,5% ao ano, isso pode fazer com que o financiamento fique mais interessante.

Isso já pode ser percebido no mercado com o aumento das vendas de veículos a crédito. Os carros novos tiveram um aumento de 43,4% e os usados de 23,2% em março desse ano se comparado ao mesmo período do ano anterior.

Somente no mês de julho foi possível perceber um aumento de 14,8% nos veículos novos e 3,2% nos usados.

Para quem deseja financiar junto aos bancos pode encontrar juros a partir de 0,89% ao mês e prazos de pagamento de até 60 meses.

Mas, ante de sair financiando entenda tudo sobre financiamentos de carro.

Como funciona o financiamento de carros

O que é o financiamento de carros?

O financiamento de carros é a possibilidade de comprar um carro novo ou usado pagando ele em prestações.

O valor das prestações e número de parcelas dependerá do que foi acordado entre quem está realizando o financiamento e a instituição financeira.

Dessa forma a concessionária que vendeu o veículo não possuirá nenhuma participação no acordo.

Quando o consumidor solicita um financiamento, esse é destinado para a compra de um bem específico, não podendo ser utilizado para aquisição de outros itens.

Entretanto, não é tão simples conseguir um financiamento, normalmente as instituições financeiras impõem algumas condições para concedê-los.

Pode ser exigido a comprovação de renda e, normalmente o valor da parcela financiada não ultrapassa uma porcentagem da renda total.

Quem solicita o financiamento pode optar por pagar o valor total parcelado ou dar uma entrada e diminuir o valor que será dividido em parcelas.

Tipos de financiamento

Quem opta por pagar o veículo de forma parcelada pode escolher entre três modalidades: CDC (Crédito Direto ao Consumidor), leasing e consórcio.

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

No CDC quem compra o carro, precisa pegar um empréstimo com o banco que será pago em parcelas. O número de parcelas varia, mas, não é raro de ver negociações em 72 vezes.

O valor das parcelas assim como as taxas cobradas dependem da negociação realizada com o banco.

O veículo é de posse de quem realiza o financiamento, porém, ele não pode ser revendido até que todo o acordo tenha sido quitado.

Essa é uma modalidade bastante comum de financiamento de carros e uma das mais procuradas.

Quando ocorre o atraso do pagamento das parcelas e não existe acordo entre as partes, o banco pode entrar com uma ação judicial para que o veículo seja leiloado.

O valor conseguido será utilizado para quitar os débitos pendentes e despejas jurídicas e se sobrar algum valor esse é devolvido ao consumidor.

Leasing

O leasing funciona como uma espécie de aluguel, pois, o consumidor paga ao banco todos os meses uma taxa para poder utilizar o carro.

Entretanto, o veículo está em nome do banco e a pessoa não tem direito sobre o veículo.

Ao final do acordo, com parcelas e taxas de juros estipuladas em contrato, o consumidor passa a ser dono do automóvel desde que tenha quitado todos os débitos.

Quando há atraso do pagamento o banco pode entrar com uma ação judicial para retomar o veículo e o consumidor fica sem o carro e sem direito a receber qualquer valor.

Consórcio

Essa é uma modalidade de financiamento de carro que possui menores taxas, pois, nela não existe a incidência de juros.

Os valores pagos pelos consumidores correspondem a taxa de administração e impostos que possam existir.

Quem opta por um consórcio terá de entrar em um grupo administrado por uma instituição. Nesse grupo, todos os meses os participantes pagam um valor que serve para formar uma espécie de poupança.

O dinheiro arrecadado é utilizado para comprar os veículos dos consorciados e a escolha do contemplado segue uma regra.

Mensalmente é sorteado um ou mais participante do grupo que receberá a carta de crédito com o valor para comprar o seu veículo.

Se a pessoa quiser adiantar o recebimento da carta, poderá dar um lance, apresentando um valor para quitar as parcelas futuras.

Se esse lance for aceito a pessoa recebe a carta de crédito e assim poderá comprar o seu veículo.

Mesmo quem já foi contemplado precisa continuar a pagar as parcelas do consórcio, pois o recebimento da carta não anula as obrigações financeiras.

Quando o consumidor deixa de pagar as parcelas em dia, primeiro deixa de participar dos sorteios e depois corre o risco de ser excluído do grupo de consórcio.

Nessa última situação ele poderá receber de volta os valores já pagos descontados as multas e penalidades previstas em contrato.

Taxas do financiamento

Cada banco e instituição financeira pode determinar quais serão as taxas de juros praticadas, desde que haja o aval de entidade fiscalizado e reguladora.

Quem opta pelo CDC e no leasing fica sabendo das taxas que serão aplicadas durante toda a vigência do contrato, pois, essas são estipuladas na adesão e não sofrem alterações.

Já quem faz um consórcio terá regras diferentes. A taxa de administração não sofre alteração, porém, as parcelas podem ser reajustadas por outro motivo.

Na adesão ao consórcio, se considera como base o valor de um determinado modelo de carro que será utilizado durante a vigência do contrato.

Para que a pessoa não perca o seu poder de compra, se o modelo selecionado sofrer reajuste no seu preço de venda, o consórcio seguirá essa tendência, podendo reajustar os valores para mais ou para menos.

O financiamento de veículos antigos

O financiamento de carros pode ser utilizado tanto para a compra de carros novos como usados.

Apesar disso, nem sempre se consegue comprar qualquer carro, isso porque algumas instituições trabalham com limite de idade do veículo. Dificilmente conseguirá um financiamento para um carro com mais de 20 anos.

Por isso, quem deseja comprar um carro de colecionador ou um clássico, terá de procurar por financiamentos específicos ou alternativos para conseguir a liberação do crédito.

Quem pode fazer um financiamento?

Inicialmente qualquer pessoa pode fazer um financiamento, porém, é o banco que vai decidir se aprova ou não o crédito.

Costumam ser utilizados alguns critérios como análise e comprovação de renda, verificação do valor das parcelas e se a pessoa está com o nome negativado.

Após analisar algumas condições é possível descobrir se o crédito será liberado e, em caso de negativa, o banco costuma informar o motivo.

As pessoas com o nome negativado têm maior dificuldade em conseguir um financiamento de carro, sendo esse normalmente liberado apenas para aposentados, pensionistas e funcionários públicos.

Nesses últimos casos situados costuma haver liberação, pois, o valor pode ser descontado diretamente em folha de pagamento.

De qualquer forma, a orientação para quem pretende solicitar um empréstimo é regularizar as dívidas pendentes e limpar o nome antes de conversar com o banco.

Que documentos são solicitados para quem quer fazer um empréstimo?

As financeiras e bancos podem solicitar diversos documentos, por isso, é sempre indicado verificar as exigências de cada empresa. Porém, em todos os casos são pedidos RG, CPF e comprovante de renda.

Como escolher o melhor financiamento?

A dica é pesquisar bastante e fazer simulações em diferentes instituições financeiras.

Compare as propostas recebidas e veja quais oferecem melhores condições de pagamento analisando número de parcelas, valor delas e juros e outros encargos cobrados.

Além disso, é preciso se certificar que é uma empresa com credibilidade e que conseguirá garantir o financiamento de acordo com todos os termos da lei.

Se tiver um financiamento e quiser vender o carro, eu posso transferir para outra pessoa?

Sim. Se por algum motivo quiser transferir o financiamento para outra pessoa, será preciso que o banco aprove a cessão de direitos.

A análise para a transferência será parecida com a inicial para a liberação de crédito, o banco também solicitará os documentos para quem será transferido e ele deve condições equivalentes ou melhores do que o atual proprietário para conseguir a aprovação.

Quando aprovada pode ser realizada a cessão de direito e os bancos costumam cobrar uma taxa para que ocorra a transferência.

Vantagens do financiamento

Rapidez para conseguir o carro – Assim que o financiamento for liberado é possível fazer a compra do carro e ter acesso imediato a ele.

Negociação de valores – Cada instituição trabalha com taxas de juros diferentes, sendo possível negociar com elas para conseguir as melhores condições. Além disso, ao pagar uma entra se consegue reduzir o número de parcelas e a incidência de encargos.

Amortização das parcelas – Se tiver um dinheiro sobrando pode antecipar o pagamento das parcelas do financiamento de carros. Dessa forma se consegue não apenas diminuir o tempo de pagamento como os valores das próximas prestações.

Não é preciso ter o valor total – Essa é uma das facilidades do financiamento de carros, pois, mesmo que não tenha o valor total conseguirá comprar o bem.

Desvantagens do financiamento

Alta incidência de juros – Muitas vezes o juros podem fazer com que o valor total pago seja bem acima do valor emprestado.

Dificuldade de conseguir um financiamento sem entrada – Quem deseja fazer um financiamento sem entrada pode ter dificuldade, pois, geralmente os bancos negam o crédito devido à alta inadimplência desse tipo de cliente. Quando aprovado os juros costumam ser bem maiores.

Agora que já conhece tudo de financiamento de carros pode começar a pensar no seu próximo veículo.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *