Entenda o que são modalidades do seguro auto

| Autor: Jeniffer Elaina

Quer contratar um seguro auto, mas não conhece as modalidades de seguro auto? Então, acompanhe o texto e descubra tudo o que você precisa sobre o assunto!

Na hora da contratação dos serviços do seguro de carro, as opções no mercado são várias e diversificadas.

Inclusive porque existem cada vez mais empresas seguradoras e modalidades do seguro auto.

As opções buscam atender aos mais variados públicos e, por isso, são estabelecidas conforme o perfil dos condutores e da necessidade de cada cliente.

Mas você sabe quais são as modalidades de contratação de seguro de automóvel?

Sabe o que é mais vantajoso para cada caso e, principalmente, para o seu carro?

Se você deseja ver essas perguntas respondidas, veio ao texto certo.

A seguir, falaremos sobre os vários tipos de proteção para um veículo e como contratá-los com o melhor preço.

Antes de tudo, porém, é importante dizer que as regras para as ofertas de seguros variam muito por empresa.

Ainda assim, de modo geral, é possível fazer um contrato de seguro tanto para carros novos, quanto para carros usados e seminovos.

Alguns carros mais antigos possuem seguro especial, mas os demais costumam poder contar com as mesmas modalidades.

Além disso, vale dizer que um seguro auto é opcional, apesar de muito vantajoso.

Por meio dele, o usuário tem seu prejuízo ressarcido após um sinistro integral.

Quando os danos são parciais, o auxílio da seguradora vem em forma do pagamento de parte dos reparos do veículo.

Como citado, o seguro auto é opcional, mas o DPVAT não.

O DPVAT é o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres e é um seguro obrigatório determinado por lei.

Ele atua em todas as cidades do Brasil, mas não protege o carro.

Na verdade, este tipo de seguro protege motoristas, pedestres e passageiros em caso de acidentes de trânsito.

O seguro paga despesas médicas e indenização por invalidez permanente ou morte.

Entenda o que são modalidades do seguro auto

Como funciona um seguro auto?

Se você leu este texto até aqui, já sabe que um seguro auto tem como objetivo de proteger o carro, contra os mais variados sinistros — dos quais falaremos mais a seguir.

Mas você sabe bem como funciona este serviço?

O funcionamento de um seguro automotivo é bastante simples.

Primeiro, o usuário faz a cotação da proteção e escolhe as coberturas que achar mais útil.

Depois, ele se compromete a fazer o pagamento do prêmio, ou seja, do custo do seguro.

Muitas vezes, esse pagamento pode ser realizado de modo parcelado, em mensalidades distribuídas durante o ano.

Um seguro geralmente tem vigência de 12 meses.

Com o seguro contratado, o carro fica protegido. Então, se um sinistro acontece, a seguradora entra em ação para ressarcir o consumidor.

Isso desde que o sinistro tenha cobertura no plano.

Indenização parcial no seguro auto

Ao ser acionada, a seguradora pode fazer o pagamento de dois tipos de indenização.

A primeira delas é a indenização parcial, paga quando os danos ao veículo não superam 75% do valor de mercado do auto.

Os valores funcionam para o pagamento de parte do conserto à oficina. A outra parte é paga pelo usuário, por meio da franquia do seguro.

A franquia nada mais é do que o valor de responsabilidade do usuário na hora de reparar o carro.

Por meio dela, segurado e seguradora dividem os prejuízos com o veículo.

Ao adotar essa “taxa”, a seguradora visa estimular a maior prudência do usuário no trânsito.

Afinal, sabendo que vai precisar pagar parte do conserto à oficina, o motorista tende a ter mais cuidado.

Imagine, então, que a franquia do seu seguro seja de R$ 1 mil — um valor fixo e determinado em apólice.

Após um sinistro, seu carro vai para a oficina, e seu conserto terá custo de R$ 3 mil.

Isso significa que você, segurado, irá quitar R$ 1 mil para o conserto. Enquanto isso, a seguradora pagará os R$ 2 mil restantes.

O que é a indenização integral?

A segunda possibilidade de indenização em um seguro auto é a integral.

Ela é paga ao usuário quando os danos ao carro são superiores a 75% do valor de mercado do veículo.

A indenização integral também é quitada quando o carro é roubado ou furtado, e não recuperado pela polícia.

O objetivo dos valores é permitir a compra de um novo veículo, já que o auto segurado estará inutilizado.

Modalidades do seguro auto

Pronto! Agora que você já sabe como o seguro auto funciona, é hora de falar sobre as modalidades de seguro auto.

São seis: o seguro compreensivo, contra roubo e furto, popular, seguro de terceiros, o de acidentes de passageiros e o DPVAT, já explicado.

Veja mais informações sobre cada opção a seguir.

Seguro compreensivo

Um seguro compreensivo tem cobertura mais ampla. Ele protege o carro contra roubo e furto, colisão, incêndio e queda de raios.

Se desejar, o usuário também pode acrescentar algumas coberturas no serviço.

Entre os adicionais possíveis estão a cobertura para vidros, para kit gás, extensão de perímetro, danos morais, assistência 24 horas (com guincho, chaveiro e mais) e outros.

Seguro contra roubo e furto

Como o próprio nome indica, esse seguro oferece proteção apenas contra roubo e furto.

Ele é atrativo principalmente para quem deseja economizar, mas deseja proteger o auto contra alguns dos sinistros mais comuns.

Para se ter uma ideia, 1 roubo ou furto de veículo a cada minuto no Brasil.

Seguro popular

Quem deseja economizar também pode optar por um seguro popular.

Esse tipo de serviço tem coberturas contra roubo, furto, colisão e ouros, sendo muito semelhante à opção compreensiva.

O que difere esse seguro é que, ao contratá-lo, o consumidor concorda que o seu carro seja reparado com peças de um desmanche.

Um desmanche legal, com peças reutilizadas.

O custo de peças desse tipo é menor, e esse desconto é repassado ao segurado em forma de mensalidades menores na proteção.

Seguro de terceiros

Enquanto isso, um seguro de terceiros tem como objetivo cobrir outras pessoas, envolvidas em sinistros com o segurado.

Essa cobertura garante, por exemplo, o conserto do veículo em que você colidiu.

Logo, não é necessário que o usuário quite os prejuízos do terceiro tirando valores do seu próprio bolso.

Apesar de ser normalmente chamado de seguro de terceiros, esse serviço é, na verdade, uma cobertura.

Ela pode ser associada a qualquer uma das outras modalidades de seguro auto já citadas e criar planos mais completos.

A cobertura de terceiros paga despesas médicas, danos morais e do patrimônio de outros motoristas.

Para utilizar dessa opção, o segurado não precisa pagar franquia. Basta acionar a seguradora.

Seguro de acidentes de passageiros

O seguro de acidentes de passageiros é outro direcionado a terceiros.

Dessa vez, porém, ele cobre danos dos passageiros do carro segurado.

Por meio dessa cobertura, os passageiros têm suas despesas médicas quitadas e podem receber indenização por invalidez ou morte.

Essa proteção também pode ser associada às outras modalidades do seguro auto citadas.

Como cotar seguro de carro barato?

Se você quer proteger seu carro, vai precisar fazer uma ampla pesquisa.

Isso porque, os preços de seguro no mercado variam muito.

Afinal de contas, as seguradoras consideram diferentes fatores para a definição dos custos, como o perfil do motorista, modelo do carro e mais.

Como cada empresa dá maior importância a um fator ou outro, os preços variam.

Por isso, vale a pena fazer a cotação de diferentes coberturas e empresas.

Depois, leve em conta as coberturas necessárias. Nossa dica é sempre contratar todas as coberturas importantes, em vez de economizar.

Depois de um sinistro, seria muito mais caro pagar por todo o prejuízo, do que contratar a cobertura necessária.

Lembre-se, ainda, que considerar as coberturas adicionais na modalidade de seguro auto que você contratar.

As proteções extras criarão um serviço mais amplo e completo, aumentando seu bem-estar.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *