Como funciona o seguro odontológico

Contratar um seguro odontológico traz muitas vantagens. Acompanhe o texto, saiba como funciona, tire suas dúvidas descubra tudo o que você precisa sobre o assunto!

Cuidar da saúde costuma ser uma preocupação dos brasileiros. Cerca de 30% da população, por exemplo, tem um plano de saúde.

Talvez você até seja um deles… Mas e a saúde bucal, você tem se lembrado dela? Já pensou em contratar um seguro odontológico?

Apesar dos nomes serem semelhantes, planos e seguros, de saúde ou odontológicos, são ligeiramente diferentes.

Com o plano, o usuário pode realizar atendimentos médicos apenas na rede credenciada pela empresa. Além disso, ele faz o pagamento posterior da consulta.

Funciona assim: a maior parte dos planos cobra uma mensalidade fixa, para que o indivíduo tenha acesso à rede credenciada.

Depois, é cobrada taxa por cada atendimento realizado. As taxas costumam ser bem menores do que os valores que seriam pagos em uma consulta particular.

Já um seguro saúde permite que o usuário escolha o local de atendimento, dentro ou fora da rede da empresa. Ele é interessante, por exemplo, para quem tem um médico preferido, mas esse médico não atende por plano.

Com esse tipo de assistência, o paciente realiza a consulta, e depois é reembolsado pelo seguro. O limite do valor do reembolso fica definido no contrato assinado pelo usuário.

Normalmente, ele cobre um bom custo, suprindo todo o valor dos procedimentos. Caso isso não ocorra, porém, o paciente recebe, ao menos, parte do seu dinheiro de volta.

Vale a pena ter atenção aos limites da apólice e aumentá-los, se necessário.

Como funciona o seguro odontológico

Imagem: Getty

 

 

Como funciona o seguro odontológico?

Assim como um seguro saúde, o seguro odontológico funciona por meio do reembolso.

Primeiro, o paciente visita o dentista que desejar — seja ele uma indicação da seguradora, seja um profissional fora da rede credenciada.

Depois, o usuário precisa apresentar um recibo da consulta ou dos procedimentos à seguradora. Dessa forma, ele receberá o reembolso do que gastou.

Como citado, é possível realizar o atendimento na rede credenciada pela empresa do seguro dental. Nesse caso, porém, o consumidor não é reembolsado.

Na verdade, a empresa paga os valores diretamente aos dentistas responsáveis. Assim, o usuário não precisa despender nenhum custo.

Os valores do reembolso e assistências que podem ser utilizadas aparecem no contrato do seguro.

Por isso, antes de utilizar qualquer serviço, o consumidor precisa verificar se eles são cobertos pela empresa. Do contrário, o usuário terá que pagar, sozinho, pelo atendimento.

Algo semelhante valeria com um plano de saúde, mas o usuário seria simplesmente impedido de realizar o procedimento.

Afinal, ele não teria cobertura. Com o seguro, qualquer atendimento pode ser feito, mas, se não coberto, acabaria sendo pago de modo particular.

Melhor evitar o prejuízo, ou ao menos programar as finanças, não é mesmo?

Outro ponto importante é que um seguro conta com carência. A carência é o período entre a data de contratação do serviço, e o dia em que ele pode começar a ser utilizado.

Normalmente, a carência de um seguro dentário é de 60 dias.

Para situações de emergência, porém, o atendimento fica disponível após 24 horas da assinatura do contrato. Nesse caso, o dentista atuaria apenas para eliminar a dor.

Se outro tipo de tratamento for necessário, além da medida imediata, o seguro só fará a cobertura passados os 60 dias de carência.

Qual a cobertura do seguro odontológico?

Os procedimentos de cobertura mínima e obrigatória pelos convênios e seguros odontológicos no Brasil são definidos pelo Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Por isso, todo seguro dentista cobre:

  • Consultas;
  • Cirurgias simples, como a extração de dentes;
  • Atendimento odontológico de urgência ou emergência;
  • Restaurações dos dentes;
  • Prevenção de doenças bucais;
  • Radiologia;
  • Tratamento de canal;
  • Aplicação de flúor e selante etc.

Quem deseja mais do que esses serviços básicos, porém, pode ir bem além. Basta que, na hora de contratar seguro, o usuário solicite outras coberturas à seguradora.

Isso pode incluir a colocação de aparelhos ortodônticos, implantes, próteses e vários outros atendimentos. A lista de serviços “extras” é ampla, e o paciente pode criar um seguro de acordo com as suas necessidades.

Existe seguro odontológico para empresas?

Já reparou como muitas empresas oferecem plano de saúde como benefício aos funcionários?

Pois também existem empresas que oferecem seguro odontológico! Quando esse é o caso, empresa e funcionário dividem a mensalidade do seguro.

Assim, há pouco impacto na folha de pagamento do trabalhador, mas ele mantém a sua saúde bucal sempre em dia. Esse tipo de contratação é do tipo facultativo.

O outro modo de contratação do “plano” odontológico empresarial pela companhia é compulsório.

Ou seja, o serviço é obrigatório a todos os colaboradores da empresa. Nesse caso, porém, é bem mais comum que a companhia pague sozinha pela assistência.

Também existem casos em que, na contratação facultativa, a empresa paga sozinha pelo seguro odontológico. Em todos os cenários, a cobertura contratada costuma ser a básica.

Por que o seguro odontológico é importante?

Por que o seguro odontológico é importante?

Imagine estar com uma dor de dente tão forte que você mal consegue mastigar. Você vai ao dentista, e ele diz que o seu dente precisará ser extraído.

Mas as finanças em casa não andam bem, e você não tem como pagar pelo serviço. Já pensou se a solução for continuar com o dente dolorido?

Com um seguro odontológico, no entanto, o usuário consegue arcar com um tratamento para os seus dentes.

Afinal, ele não terá que pagar sozinho pelo atendimento. Assim, o dente dolorido será extraído. Adeus incômodo, olá nova qualidade de vida!

São muitas as situações em que os usuários podem precisar de um dentista. Quando os dentes apresentam sensibilidade, por exemplo, pode ser sinal de esmalte desgastado, dentes fraturados ou raiz exposta.

Alguns cremes dentais prometem diminuir a sensibilidade, mas não adiantarão em nada se o problema for mais grave. Assim, o atendimento do dentista e a prescrição do tratamento correto será fundamental.

Casos de fratura dos dentes também são mais comuns do que você imagina. Às vezes, a fratura é completa.

Em outras, aparece como um pequeno trincado que, com o tempo, pode favorecer o surgimento das cáries e infecções.

Outro sinal que pode indicar problemas mais graves é o sangramento da gengiva.

Há situações em que os sangramentos são inofensivos, acontecendo após uma batida da escova ou um fio dental passado do modo incorreto.

Agora, se essa perda de sangue for rotineira, mesmo que em pequena quantidade, o dentista pode diagnosticar gengivite.

A gengivite ocorre quando há o acúmulo de tártaro na mucosa. Se não tratada, ela pode levar a perda dos dentes e a outras consequências. Sintomas como o inchaço ou retração das gengivas também são sinais de alerta.

Bruxismo, Mordida Cruzada, Cárie e Periodontite são só alguns dos outros problemas que podem ser prevenidos ou tratados por um bom dentista.

Especialistas consideram que, de modo ideal, os pacientes deveriam comparecer ao dentista, ao menos, uma vez a cada seis meses.

Com sintomas, as consultas devem ser ainda mais frequentes. Contar com um seguro odontológico pode tornar essas visitas mais simples e baratas.

Seguro odontológico vale a pena?

São diversos os motivos pelos quais um seguro odontológico vale a pena. Para começar, a opção tem melhor ótimo custo-benefício.

Tanto se comparado a consultas particulares, quanto a consultas realizadas por meio do plano odontológico de saúde. Isso porque, o custo da mensalidade de um seguro é pequena.

O usuário ainda pode escolher com que dentista se consultar, e recebe o reembolso dos seus gastos. Assim, pagando uma parcela mensal, os procedimentos possíveis são amplos e simples de serem utilizados.

Um seguro saúde também torna a sua saúde bucal melhor. Não só pela facilidade em ir ao dentista, mas pela frequência das consultas.

Pense com a gente: quando você sabe que vai pagar pouco por um serviço, se sente mais impelido a utilizá-lo. Especialmente se souber que terá seu gasto reembolsado após o atendimento pelo dentista.

Com a visita frequente ao consultório, a saúde da sua boca será mantida em dia, inclusive com vários cuidados preventivos. Por que tratar uma cárie se, com a limpeza rotineira dos dentes, você pode evitá-la?

Personalização do seguro e emergências

Ainda é interessante lembrar que um seguro dentista pode ser adaptado segundo as suas necessidades. O especialista disse que você vai precisar de aparelho odontológico?

Coloque o serviço na sua assistência! Uma cirurgia mais complexa será necessária?

Inclua-a também! Assim, quando os procedimentos forem realizados, você será reembolsado — em vez de pagar altos valores sozinho.

Há ainda outro destaque que costuma chamar a atenção dos consumidores: os atendimentos 24 horas.

Com a opção, o usuário pode ir ao consultório do dentista após qualquer urgência ou emergência, e contar com auxílio completo.

Dores que não passam ou um sangramento incessante são só duas das situações comuns, mas que merecem atenção do profissional.

Apesar de todas essas vantagens, o Brasil só possui 22 milhões de segurados por seguros odontológicos e afins. Em compensação, são mais de 50 milhões de planos e seguro de saúde.

Se você deseja aumentar a estatística dos seguros odontológicos, e ainda cuidar da sua saúde bucal, os próximos tópicos serão de grande ajuda.

Quanto custa um seguro dental?

Os custos de um seguro dental variam muito, de acordo com vários fatores. As coberturas da assistência, por exemplo, são algumas das que mais pesam no valor.

Normalmente, quanto maior o número de atendimentos cobertos, maior o custo do seguro.

Porém, atenção: não elimine coberturas apenas para economizar. Ao fazer isso, você terá que pagar, sozinho, pelos atendimentos que não estiverem em contrato.

Muitos deles, como a colocação de aparelho odontológico, são caros, e podem pesar no bolso.

Se o dentista indicou um atendimento específico, mesmo que para o futuro, prefira colocá-lo como uma das coberturas do seguro saúde dentista.

A empresa e a região do País em que o serviço é contratado também influenciam no seu preço. Assim como o fato de o seguro atender apenas ao indivíduo ou a um usuário e a sua família.

Quando os valores são divididos com a empresa, ainda melhor para o trabalhador, pois ele pagará menos pela opção.

Em todo o caso, é bastante comum que o custo do seguro odontológico seja bem menor do que o de um plano de saúde.

Para se ter uma ideia, os planos de saúde costumam custar, pelo menos, R$ 150, mais as taxas “extras” pagas por atendimento realizado.

Enquanto isso, é possível encontrar seguros dentais por preços a partir de R$ 30 por mês.

Quanto custa um seguro dental?

O dentista pode cobrar valores “extras”?

É importante dizer que as seguradoras proíbem os dentistas de cobrarem valores extras do consumidor.

Especialmente se o atendimento for realizado na rede credenciada pela empresa. Os valores deverão ser apenas aqueles reembolsados pela seguradora.

Além disso, os custos dos atendimentos devem ter como base a tabela de valores referenciais para procedimentos odontológicos do seu estado. A lista pode ser verificada na internet, se você desejar.

A cobrança extra pelo especialista é contra as regras das seguradoras, e deve ser informada por meio do seu canal de atendimento.

Normalmente, este canal fica disponível no site da empresa. O melhor é evitar profissionais que mantém essa prática, e procurar por aqueles de confiança.

Por fim, pode ocorrer de o dentista se recusar a atender por meio do seguro saúde.

Se isso acontecer, não se preocupe: o número de profissionais no mercado é enorme, e muitos deles trabalham com esse tipo de assistência. Na dúvida, procure por profissionais credenciados pela rede.

Qual o melhor seguro dos dentes?

São muitas as opções de seguro odontológico disponíveis no mercado, e escolher alguma delas é algo bastante pessoal.

Para você, por exemplo, o melhor seguro pode ser aquele que oferece cobertura ao aparelho dentário.

Afinal, o dentista já disse que você irá precisar. Já para o seu vizinho, o seguro básico, para limpeza bucal, pode ser suficiente.

Entre os seguros possíveis, estão:

  • Seguro Odontológico Bradesco Odonto;
  • Amil Dental;
  • Caixa Odontológico;
  • Porto Seguro Odontológico;
  • Proteção Dental Seguros Carrefour;
  • MetLife Brasil;
  • E vários outros.

Considerando as suas particularidades, sempre vale a pena fazer diversas cotações de seguro.

Vários orçamentos permitem avaliar as diversas possibilidades de cobertura, e também os preços cobrados. Como já citado, os custos de seguros dentais variam muito, inclusive por empresa.

Uma dica: a cotação é importante para qualquer tipo de seguro (seguro residencial, seguro veículo, seguro de vida, seguro viagem etc.).

As corretoras de seguro, em qualquer ramo, trabalham com fatores diferentes para definição de preços. Pesquisar vai te fazer economizar.

Agora você já sabe como funciona e quais as vantagens e possibilidades de um seguro odontológico. Faça as suas cotações e comece a cuidar da sua saúde bucal!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *