Como funciona o seguro cibernético

O seguro cibernético ajuda a minimizar os danos causados por hackers. Ele se torna cada vez mais necessário uma vez que o problema preocupa as empresas.

A tecnologia cada vez mais presente nas empresas traz uma série de benefícios. Em um mundo cada vez mais conectado, os riscos de ataques hacker aumentam.

O investimento em segurança digital passou a ser uma prioridade das empresas. Profissionais buscam maneiras de proteger os dados e evitar invasões. O seguro cibernético tem sido um aliado para minimizar os danos.

Esse talvez não seja um seguro que está em tanta evidência, mas se faz presente em quase todas as grandes corporações.

Como funciona o seguro cibernético

Imagem: Pixabay

O que é o seguro cibernético?

O seguro é um produto que oferece algum tipo de cobertura quando ocorre um sinistro. Ou seja, um acontecimento que pode trazer prejuízos para o segurado.

Ele disponibiliza proteção financeira por erros cometidos ou por ataques virtuais que impactem os negócios.

Se um hacker causar algum tipo de prejuízo, a seguradora pode ser acionada e pagar uma indenização pelos danos.

Quais as coberturas do seguro?

O seguro cibernético pode ter diferentes coberturas, cabe às empresas escolherem quais desejam. Dentre eles estão:

Responsabilidade por Dados Pessoais e Corporativos

Ele é vinculado a dados da empresa e de pessoas a ela vinculadas. Pode ser acionada quando algum dados sigiloso guardado pela empresa é obtido de forma ilegal e divulgado a terceiros.

Ameaça cibernética

Pagamento de resgate quando ocorre o sequestro de dados e também reembolso os custos para a apuração do caso.

Responsabilidade por Empresas Terceirizadas

Quando uma empresa tem acesso a algum dado pessoal e acaba violando a informação ou divulgando.

Dados Eletrônicos

Quando os dados eletrônicos são danificados, excluídos ou outros. Essa cobertura servirá para cobrir despesas, recuperando, restaurando ou recriando os dados afetados.

Restituição de Imagem da Sociedade e Pessoal

Serve para reparar danos de imagem que venham a afetar as pessoas envolvidas.

Custos de Defesa

Cobre os custos com despesas judiciais decorrentes de problemas com a cibersegurança.

Além dessas citadas, o seguro inclui muitas outras proteções. Elas servirão para arcar com custos da informações que sejam perdidas, danos causados a servidores, violação das leis de proteção de dados e muitos outros.

A ideia é que a empresa não precise arcar com o prejuízo caso algo aconteça em relação a segurança cibernética.

As empresas também podem garantir a proteção para o trabalho home office. Como muitos dos seus funcionários realizam atividades remotamente, esses também estarão cobertos.

Quem costuma utilizar o cyber seguro?

O seguro cibernético é comumente usado por empresas. Na verdade, as seguradoras comercializam essa opção apenas para quem possui CNPJ.

Qualquer organização pode contar com essa proteção. O mais comum é que as grandes empresas e que lidam com uma enorme quantidade de dados são os principais consumidores.

Bancos, instituições financeiras, empresas de saúde, tecnologia e comércio estão entre os principais clientes. Entretanto, não existe restrição em relação ao segmento de atuação.

É fácil encontrar um seguro cibernético?

Existem algumas seguradoras que oferecem esse tipo de produto. As grandes empresas do mercado que atendem a CNPJ já contam com ele. Isso quer dizer que não será um grande problema ter esse tipo de proteção.

Além disso, um corretor de seguros pode direcionar a empresa para a contratação do serviço.

Quanto custa o seguro cibernético?

Os valores podem variar muito. Isso depende bastante dos riscos em que a organização está exposta.

Uma pequena empresa que possui um e-commerce pagará um valor mais baixo. Já um banco, terá um custo elevado. Isso porque ele possui uma grande base de clientes com informações valiosas como dados pessoais, transações financeiras e outras.

As coberturas que serão contratadas, assim como valor da indenização também interferem na cotação. Estabelecer um valor não é uma tarefa fácil, até porque não se trata de um produto físico com valor determinado.

As seguradoras avaliam diferentes fatores e fazem um grande levantamento antes de passar uma cotação. Esse é um produto altamente personalizado.

Como contratar o seguro?

Diferente dos demais seguros do mercado, com esse não se pede uma cotação e recebe uma resposta.

A primeira coisa é encontrar uma seguradora que ofereça esse serviço e demonstrar interesse. Será preciso informar todos os riscos que o negócio está exposto de forma detalhada por meio de um formulário.

Conforme o porte da empresa e riscos é bastante comum que a própria seguradora realize teste de vulnerabilidade. Ela faz esse levantamento para entender se as informações passadas condizem com a realidade.

Conforme os resultados, ela pode ou não se propor a assumir os riscos. Em caso positivo será necessário verificar quais as coberturas serão contratadas, fazer uma cotação e fechar o contrato.

A adesão pode ter um período determinado, durante esse tempo a empresa estará protegida se sofrer algum tipo de ataque. Entretanto, vale ressaltar que o seguro apenas minimiza os prejuízos, ele não atua de forma preventiva. Por isso, medidas protetivas precisam continuar a existir.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.