Seu carro tem kit gás? Veja o que é necessário para contratar o seguro

| Autor: Jeniffer Elaina

Se você tem kit gás no seu carro e está pensando em contratar um seguro, ou já tem um seguro auto e está pensando em fazer a conversão, este artigo é para você. Acompanhe e entenda melhor como funciona o seguro auto quando o carro tem kit gás.

O kit gás vem se tornando muito popular nas grandes cidades por dois fatores muito simples, o primeiro é que este é o tipo de combustível que menos agride a natureza, o segundo é o preço do abastecimento.

Apesar da conversão ser considerada um tanto cara, o preço do gás para abastecer o veículo é o mais barato do mercado, e esse combustível geralmente rende muito mais que os demais.

Por isso, cada vez mais pessoas estão convertendo seus veículos, no entanto, como será que funciona o seguro auto para esse tipo de carro modificado?

Está curioso sobre o assunto? Então acompanhe este artigo e saiba mais.

Seu carro tem kit gás? Veja o que é necessário para contratar o seguro

Entenda melhor o que é e como funciona o kit gás

Antes de começar a explicar como funciona o seguro auto para carros com kit gás, vale a pena falar um pouco sobre essa tecnologia.

Para começar, vamos falar sobre a sigla GNV, que significa Gás Natural Veicular.

Armazenado em cilindros próprios, que geralmente ficam localizados no porta-malas do veículo.

O sistema do kit gás possui um sistema de alimentação do motor que pode ser alternado com o combustível original de fábrica.

Ou seja, sempre que você quiser ou precisar, poderá deixar de usar o gás e voltar a usar a gasolina ou o etanol.

O GNV é um combustível alternativo que pode ser utilizado em qualquer carro original, desde que devidamente regulamentado pelo INMETRO – Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia.

Entre os componentes do kit gás, há os equipamentos mecânicos e os eletrônicos.

São eles: o cilindro, o redutor de pressão, o misturador e a tubulação do GNV (mecânicos); e o simulador de bicos, o emulador de sonda lambda, o variador de avanço e o kit CAGNV  (eletrônicos).

Além desta alternativa de combustível ser uma das mais baratas, o gás é considerado um dos combustíveis de veículos que menos causa poluição ao meio ambiente, isso porque  sua composição é de gases leves — com predominância de metano.

Veja na imagem a seguir quantos quilômetros é possível rodar com um valor X de abastecimento.

Quantos quilômetros é possível rodar com um valor X de abastecimento

Imagem: Glbimg

Lembrando que esse valor é fictício, ou seja, não acompanha o valor atual de mercado dos combustíveis, servindo apenas para se ter uma de como é possível rodar mais por menos com o gás veicular.

Vantagens e desvantagens de usar o kit gás

As vantagens de se ter um carro convertido com kit gás são inúmeras, incluindo a economia financeira, que pode chegar até 70% com combustível.

Também há o ótimo rendimento do combustível e o alto grau de segurança da opção, sim, ao contrário do que se imagina o GNV é seguro, tanto quanto os outros tipos de combustíveis.

O baixo nível de emissão de poluentes na atmosfera — quando comparado ao que é liberado pelos demais combustíveis.

Também precisa ser destacado como uma das vantagens de usar o kit gás.

Apesar dos pontos positivos, porém, existem também algumas desvantagens em relação à utilização do kit de gás no veículo.

Para começar, o número de postos para abastecimento é menor, se comparado aos que trabalham com gasolina e etanol.

Além disso, muitas vezes a instalação do cilindro é feita no porta-malas, diminuindo significativamente o espaço disponível.

Outra desvantagem é que, proteger o veículo equipado com o kit de gás natural veicular, também sai mais caro na hora de contratar o serviço da seguradora.

Seguro auto para veículo com GNV

A cobertura de seguro para veículo com GNV é considerada como uma cobertura adicional, independentemente do plano ou seguradora que você escolha.

Ela funciona do mesmo modo que a proteção para qualquer outro acessório do veículo, como o para-brisa ou para-choque do carro.

No entanto, para ser contratada é preciso que o equipamento esteja devidamente regularizado e com a vistoria em dia, além de ter sido instalado de forma correta e permanente por uma oficina especializada no assunto e autorizada para realizar esse tipo de serviço.

Ou seja, para segurar um veículo com GNV e garantir a proteção do kit gás, além de contratar o seguro convencional, seja ele com cobertura básica ou compreensiva, ainda será preciso contratar uma proteção adicional para o kit.

Outra coisa importante a ser mencionada é que, de um modo geral, o seguro para carro com GNV pode ser de 6% a 40% mais cara do que para um carro tradicional.

Isso se deve à associação entre o perfil de condutores com esse tipo de kit nos carros.

Os indivíduos que possuem esse tipo de carro geralmente trafegam mais com o veículo, e têm maior índice de sinistralidade.

Logo, há mais risco de a seguradora ter que arcar com indenizações, o que justifica que os custos da proteção sejam maiores.

Além do mais, as estatísticas apontam que os carros com kit gás são mais frequentemente envolvidos em situações de roubos, furtos e colisões, por conta da sua vulnerabilidade.

Assim, ao mesmo tempo em que há economia nos gastos com combustível ao se optar pelo kit gás em seu carro, haverá gastos maiores na hora da contratação do seguro.

Como funciona a cobertura do kit gás?

Em um seguro, existe a possibilidade de se contratar coberturas específicas para itens especiais do carro.

Este é o caso do kit gás que, com a cobertura extra, aumenta o valor do seguro auto contratado.

O seguro do kit gás fica responsável por cobrir os danos causados ao equipamento, sejam eles advindos de colisão, incêndio, roubo ou outra ocorrência.

Quando a perda do veículo é parcial, é essa cobertura que permite o conserto e/ou a troca do kit gás do carro.

Considera-se como perda parcial o reparo com custo menor do que 75% do valor do veículo.

Já na perda total, com custos maiores do que 75% do valor do veículo, a seguradora pagará indenização integral ao usuário.

Essa indenização servirá para a compra de um novo veículo.

Quando possui cobertura para kit gás, a indenização é acrescida de valores que permitam a instalação do kit gás no novo auto.

Também se considera que houve perda total quando o carro foi roubado ou furtado, e não recuperado pela polícia.

Agora, se você contar com essa cobertura extra e, apenas o kit gás for roubado ou furtado, a seguradora deverá realizar o pagamento do valor correspondente ao equipamento segurado.

Somente com essa proteção específica, há a cobertura dos equipamentos para GNV.

Por isso, quem possui um kit gás no veículo precisa especificar essa questão para a seguradora.

Até porque, não são todas as empresas que oferecem esse tipo de cobertura.

Como funciona a franquia no seguro para GNV?

Algumas seguradoras “dividem” o seguro em duas apólices: uma para o carro e outra para o kit do GNV.

Nas situações de apólices diferentes, ficam definidas duas franquias.

A franquia é o valor que o usuário precisa pagar para o conserto, no caso de perda parcial do veículo ou kit gás.

Imagine que o seu seguro tenha apólices diferentes, e franquia de R$ 1 mil para o veículo e R$ 500 para o kit gás.

Na primeira situação, apenas o carro tem avarias, e o reparo terá custo total de R$ 2.500.

Assim, o consumidor será o responsável por quitar R$ 1 mil do conserto, e a seguradora os R$ 1.500 restantes.

Já em um sinistro que afeta apenas o kit gás, a franquia correspondente é relacionada ao equipamento.

Neste exemplo, de R$ 500. Se veículo e equipamento forem danificados, a seguradora cobra as franquias somadas.

Há, também, os casos em que kit e carro são segurados pela mesma apólice.

Nestes casos, se houverem danos apenas nos equipamentos do kit gás for danificado, é cobrada parte da franquia total do veículo.

É importante destacar que, a empresa seguradora só paga o reparo de um veículo, quando os custos deste reparo são maiores do que o valor da franquia.

Do contrário, é o consumidor que fica responsável pelos custos totais do conserto.

Como fazer uma cotação de seguro auto para veículos com kit gás?

Para fazer uma cotação de seguro auto para um carro que possui kit gás o mais indicado é que se entre em contato com um corretor de seguros especializados.

Isso tornará o processo bem mais simples.

Mas se você preferir fazer isso sozinho, o primeiro passo é pesquisar quais são as seguradoras que aceitam veículos adaptados com o kit gás.

Feito isso, comece a realizar as cotações, seja através da internet, por telefone ou pessoalmente.

Apenas não se esqueça de sempre mencionar que seu carro possui o kit gás e que você deseja contratar uma proteção para ele.

E lembre-se também de que, quanto maior for o número de cotações realizadas, maiores serão as chances de conseguir um bom preço aliado a uma boa cobertura no seu seguro auto.

Qual o preço de seguro de carros com kit gás?

Como sempre mencionamos, o valor do seguro auto varia de acordo com o modelo do veículo, ano de fabricação, perfil do condutor e mais uma série de informações.

Além disso, as coberturas contratadas também influenciam no preço.

E, pelo fato da cobertura de kit gás se tratar de uma cobertura adicional, de cara é possível dizer que o preço de seguro de carros com kit gás, será mais alto que os veículos de abastecimento comum.

Mesmo que não seja contratada uma proteção para o kit, já que veículos com esse tipo de adaptação costumam circular mais, pelo fato do combustível ser mais barato.

Por isso, a melhor e única maneira de saber o preço de seguro para carros com kit gás é realizando diversas cotações diferentes.

Regras para contratação do seguro

Ao optar pela cobertura do kit gás, o consumidor tem o valor final do seu seguro afetado.

Por vezes, até a franquia tem custo diferente.

No entanto, omitir essa ou qualquer outra informação sobre o veículo pode caracterizar fraude.

Quando há fraude, a seguradora se reserva no direito de negar a indenização, seja ela parcial ou integral.

Por isso, é fundamental avisar a seguradora sobre o kit gás.

Inclusive se ele for instalado após a contratação do seguro.

Além disso, a aceitação da cobertura pela seguradora depende do cumprimento de alguns pré-requisitos simples que, estão discriminados a seguir:

  • Todos os documentos e instalações estejam em perfeita ordem;
  • O equipamento do kit gás esteja acoplado de maneira fixa;
  • Seja realizada vistoria prévia obrigatória, com aprovação do veículo pela seguradora;
  • A nota fiscal do kit gás seja apresentada;
  • Seja apresentada Nota fiscal do certificado de segurança veicular (CSV) do carro;
  • O certificado do cilindro seja fornecido à seguradora, em caso de sinistro.

Tipos de cobertura do seguro auto

Como a proteção do kit gás é considerada uma cobertura extra, a cobertura principal do veículo pode ser escolhida de acordo com o que cada empresa oferece.

Geralmente, existem cinco tipos de cobertura, que podem ser combinadas para criar uma proteção mais completa ao automóvel e ao usuário. Estas são:

  1. Cobertura compreensiva

Ao contratar uma cobertura de seguro compreensiva para seu veículo, que também é conhecida como uma cobertura completa, o usuário fica protegido contra diversas situações como:

  • Colisão;
  • Queda de objeto externo sobre o veículo;
  • Furto ou roubo;
  • Capotagem ou derrapagem;
  • Alagamento, enchente ou inundação;
  • Fatores naturais, como ressaca e granizo;
  • Queda de raio;
  • Incêndio ou explosão;
  • E mais, dependendo da seguradora.

Além disso, algumas seguradoras oferecem o serviço de assistência 24 horas dentro da cobertura compreensiva.

Por isso, é preciso pesquisar muito antes de contratar essa cobertura de seguro.

  1. Roubo, furto e incêndio

Caso prefira uma cobertura mais simples e barata, essa é a opção mais indicada ao consumidor.

Como seu próprio nome indica, a opção protege o veículo contra roubo, furto e incêndio, e em alguns casos contra raios e explosão também.

  1. RCF-V – Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos

A cobertura para terceiros também é interessante em um seguro auto.

Com a RCF-V, o segurado pode pagar o prejuízo de outro veículo envolvido em um sinistro, e as despesas relacionadas a danos morais do indivíduo condutor.

Isso inclui, até o pagamento de despesas médicas do terceiro.

  1. Acidentes Pessoais de Passageiros

Essa cobertura, geralmente mais procurada por pessoas que trabalham com o veículo para o transporte de pessoas, como no caso de motoristas de aplicativo, garante indenização ao passageiro do veículo segurado.

Assim, em caso de sinistro os custos médicos, para danos morais e/ou materiais são pagos pela seguradora.

  1. Coberturas adicionais

Finalmente, é possível contratar as chamadas coberturas adicionais, da qual a proteção para kit gás faz parte.

Além do seguro para este equipamento, as seguradoras oferecem vários outros, como para os vidros do veículo, equipamentos eletrônicos como o rádio, carro reserva e vários outros.

O que fazer se o kit gás for roubado?

Se depois de pesquisar bastante, você contratar um seguro auto com uma cobertura adicional para a proteção do kit gás, e por desventura seu equipamento for roubado, o primeiro passo é realizar um boletim de ocorrência.

Depois de registrar a queixa do furto ou roubo, entre em contato com a seguradora e informe o ocorrido.

A empresa lhe solicitará alguns documentos, entre ele o B.O. realizado.

Além disso, ela indicará quais serão os próximos passos a serem tomados, uma vez que, cada empresa pode possuir um processo diferente para a indenização nesses casos.

Depois de ser encaminhado para uma análise, será definido se o roubou causou danos parciais ou totais.

Em alguns casos, apenas os cilindros são levados, e pode ser mais interessante substituir essas peças do que pagar a indenização integral desta cobertura.

Se isso acontecer, será preciso que você pague a franquia referente a essa cobertura.

Por isso, vale a pena verificar junto a sua apólice se sua cobertura possui uma franquia separada para a proteção do kit gás, o que é mais comum, ou se você deverá pagar uma porcentagem da franquia total do veículo.

Caso, seja comprovada a perda total, então não será preciso se preocupar com o pagamento da franquia, basta esperar que a seguradora providencie o pagamento da indenização integral do equipamento.

Lembre-se que esse pagamento deve ocorrer em um prazo máximo de 30 dias após a entrega dos documentos.

Na hora de escolher o seu tipo de cobertura e seguro para kit gás, converse com um corretor.

Especialista no assunto, o profissional pode te ajudar a montar o melhor plano de proteção para o veículo!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *