Batida de carro: quanto tempo leva para consertar o veículo segurado?

Quando uma batida de carro acontece, tudo que você deseja é resolver logo o problema, não é mesmo? Então, é importante saber quanto tempo leva para consertar o veículo segurado. Acompanhe o texto, entenda melhor como funcionam os prazos para conserto de veículo sinistrado, seus direitos e deveres após a ocorrência.

Anda se perguntando quanto tempo leva para consertar o veículo segurado?

Pois saiba que as seguradoras precisam cumprir um prazo, para a maior comodidade do usuário.

Bater o carro não é uma situação desejada por ninguém, e já costuma demandar certo trabalho.

O desgaste com o fato, porém, pode tornar tudo ainda pior.

Isso se os reparos necessários no veículo tardar mais do que o esperado.

Para muitos, ficar sem carro pode ser sinônimo de problemas para se locomover no trânsito de cidades e rodovias.

Além disso, a falta do veículo pode comprometer a rotina familiar e causar transtornos no trabalho, resultando em prejuízo financeiro.

Pensando em tudo isso, é preciso estar atento ao passo a passo no conserto do carro.

Assim, tudo se resolverá o quanto antes, evitando mais incômodos.

Para te ajudar, produzimos este conteúdo.

A seguir, contamos tudo o que você precisa sobre o prazo de conserto do veículo, e cuidados importantes. Continue lendo!

Batida de carro: quanto tempo leva para consertar o veículo segurado?

Direitos e deveres do consumidor em caso de sinistro

Antes de pensar em quanto tempo a seguradora tem para consertar o veículo, o consumidor deve, primeiro, cumprir as obrigações estabelecidas pela seguradora.

Apenas assim ele terá direito ao reparo.

Todas essas regras ficam listadas na apólice do seguro.

Por isso, é importante ler o documento antes mesmo da contratação da proteção.

Assim, você terá maior segurança sobre o que fazer para solicitar o auxílio da seguradora.

Ao mesmo tempo, é fundamental que o segurado mantenha as informações sobre o seu seguro atualizadas.

Caso mude de endereço residencial, por exemplo, essa informação deve ser repassada à seguradora.

Se, após um sinistro, a seguradora notar divergências entre a apólice e a realidade, ela poderá negar a indenização.

Seja a indenização parcial, seja integral.

Afinal, a empresa poderá entender a omissão de informações como tentativa de fraude.

Também é importante respeitar as regras do contrato.

Se o acordo diz que o tráfego do veículo só deve ocorrer em uma região do País, o consumidor deve manter-se dentro destes limites.

Do contrário, a cobertura será negada.

O mesmo vale para as regras sobre quem deve dirigir o veículo, o local de estacionamento e mais.

Leia com atenção todas as normas da apólice, e respeite-as!

Atraso nas mensalidades pode impedir indenização?

É sempre importante manter as mensalidades do seguro em dia.

Assim como manter o carro regularizado, quitando obrigações como o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

Ao atrasar parcelas e impostos, o consumidor continua tendo direito à indenização após um sinistro.

Mas será preciso regularizar a situação com a seguradora antes que os valores sejam liberados.

Ou seja, nessas situações, o prazo para a seguradora consertar veículo poderá ser atrasado.

O mesmo atraso acontece quando faltam documentos para a continuidade do processo.

Nesses casos, o prazo de máximo estabelecido será suspenso, voltando a ser contado logo que as situações forem regularizadas.

As indenizações liberadas variam conforme o tipo de sinistro.

São dois tipos: a indenização parcial e a indenização integral.

A indenização parcial do seguro auto é paga quando os danos após um sinistro são inferiores a 75% do valor do carro.

Quando isso acontece, o veículo será consertado na oficina, e a indenização pagará parte dos custos.

O restante das despesas serão pagas pelo consumidor, por meio da franquia do seguro.

Já a indenização integral é paga quando os danos ao veículo são superiores a 75% do valor do carro.

Ela também é disponibilizada quando o auto é roubado ou furtado, e não recuperado pela polícia.

Parcelas atrasadas na perda parcial

O atraso de pagamento das parcelas do seguro só pode impedir a indenização se a inadimplência tiver se estendido por meses.

Um atraso apenas momentâneo não terá esse problema.

Para a perda parcial, seguradora e segurado costumam negociar as mensalidades atrasadas, com juros e multa.

Em muitos casos, a seguradora aceita descontar o valor devido da indenização, regularizando a situação do usuário e liberando o restante dos valores.

Impostos e a regularização do veículo junto ao Detran não influenciam no pagamento da indenização parcial.

O usuário recebe os valores mesmo que haja essa pendência com o órgão.

Parcelas atrasadas na perda total/integral

Em outra situação, uma indenização integral pode demandar a regularização de todos os valores.

Isso significa que o consumidor precisa quitar impostos (como o IPVA) e mensalidades atrasadas do seguro.

Só então ele receberá a compensação por seu prejuízo.

A exigência de pagamentos dos valores acontece porque, para pagar a indenização integral, a seguradora transfere o carro para o seu nome.

Funciona como se ela estivesse comprando o veículo do usuário.

Assim, o carro inutilizado pelo sinistro pode ser indenizado ao consumidor.

Quando o pagamento das dívidas com o seguro e o Detran são necessárias, há dois caminhos possíveis.

Primeiro, o indivíduo pode fazer o pagamento por conta própria.

A segunda opção é solicitar que a seguradora faça o pagamento.

Como no caso já citado, a seguradora deverá descontar os custos das dívidas da indenização integral.

Com os valores restantes, a empresa pagará o usuário por seu prejuízo.

Ou seja, a indenização será integral, mas com os descontos necessários para regularização do carro e seguro.

Qual o prazo para conserto de veículo sinistrado?

Antes de obter a indenização para uma batida de carro, há um passo fundamental: é preciso informar a seguradora sobre o ocorrido.

O quanto antes a empresa souber do ocorrido, mais rápido ela poderá dar início ao processo de indenização.

Em todo o caso, o prazo para acionar o seguro em caso de colisão é de até 1 ano.

Vale a pena verificar a informação na sua apólice de seguro.

Após a comunicação à seguradora, serão solicitados alguns documentos.

Normalmente eles incluem o Boletim de Ocorrência da batida e informações pessoais do usuário.

É comum que o início do reparo seja autorizado um ou dois dias após a entrega da documentação solicitada.

A partir daí, a empresa tem um prazo de 30 dias para realizar o conserto e devolver o veículo ao consumidor.

Atenção: a seguradora costuma disponibilizar uma lista de oficinas credenciadas  para o conserto.

É fundamental que você verifique qual a melhor opção para o reparo, pesquisando mais informações sobre cada empresa e sua credibilidade no mercado.

Geralmente, as empresas credenciadas oferecem descontos e condições especiais de pagamento.

Ainda assim, o segurado pode escolher outra oficina que desejar.

É preciso dizer, também, que uma perda parcial requer o pagamento de franquia.

A franquia é o valor de responsabilidade do consumidor no caso de um sinistro.

Como funciona a franquia do seguro?

Imagine que seu carro sofra uma colisão, e que seu conserto terá custo de R$ 4 mil.

Como a sua franquia é de R$ 1 mil, você deverá pagar R$ 1 mil para a oficina.

As condições para este pagamento podem ser negociadas diretamente com a oficina.

Aliás, vale destacar esse ponto: a franquia deverá ser paga à oficina.

Isso permitirá, por exemplo, que os valores sejam parcelados pelo consumidor.

Apenas após esse acordo a seguradora irá pagar o restante à oficina.

No nosso exemplo, a empresa quitará os R$ 3 mil restantes necessários.

Sinistros de pequena, média e grande monta

Quando os reparos necessários são de pequena monta, é possível que o carro esteja pronto em até 15 dias.

Casos de média monta levam de 20 a 25 dias, e uma situação de grande monta demora mais, podendo levar cerca de um mês.

Sinistro de pequena monta

Uma ocorrência de pequena monta é aquela em que o veículo sofre danos apenas em peças externas e/ou mecânicas e estruturais.

Após o conserto, o carro pode voltar a circular normalmente.

Sinistro de média monta

Em casos de média monta, serão substituídas peças externas, mecânicas e estruturais.

Nestas situações, o veículo só poderá voltar a circular após inspeção de segurança veicular e obtenção do CSV (Certificado de Segurança Veicular).

Sinistro de grande monta

Por fim, uma batida de carro que causa danos de grande monta  acontece quando o veículo sofre danos em suas peças externas, mecânicas e estruturais, que o classifiquem como irrecuperável.

Essa situação é conhecida por “perda total”.

Na perda total, os custos do conserto são superiores a 75% do valor do carro.

Esse tipo de perda também ocorre quando o auto é roubado ou furtado, e não recuperado pela polícia.

Assim, o carro é “descartado”, e o consumidor recebe a indenização integral do seguro.

Os valores têm como objetivo a compra de um veículo novo.

Ou seja, podemos dizer que o prazo do conserto do veículo para o segurado pode variar de acordo com os danos.

Logo, é difícil estipular um prazo específico.

No entanto, o intervalo entre o registro do sinistro e o conserto não deve ultrapassar 30 dias, a menos que haja uma justificativa cabível.

Esse é o prazo definido como regra pela Superintendência de Seguros Privados (Susep).

A Susep é o órgão responsável por autorizar e fiscalizar as empresas de seguros no Brasil.

É importante lembrar que o prazo de 30 dias pode ser suspenso se for necessário complementar documentações à seguradora.

Nesses casos, ele voltará a ser contado a partir da entrega dos dados solicitados.

O que fazer quando o conserto da batida de carro atrasa mais do que o prazo estimado?

Neste caso, é comum chegar ao consumidor o argumento de que faltam certas peças no mercado.

De fato, isto pode acontecer, principalmente se o carro for importado, com peças mais difíceis de encontrar.

Entretanto, fique atento, pois isto é um problema pontual.

É importante ter a certeza de que a seguradora tem uma boa justificativa.

Do contrário, você pode, e deve, exigir o cumprimento do prazo estipulado.

Além disso, deve ser oferecida ao consumidor a possibilidade de empregar peças similares, seminovas ou usadas, em substituição às originais.

Vale salientar que o consumidor precisa estar ciente e de acordo com o uso de uma peça que não seja nova.

Afinal, esta é apenas uma alternativa caso seja comprovado o desabastecimento de peças para o veículo segurado.

Quanto tempo à seguradora tem para consertar o veículo de terceiro? O prazo é diferente do intervalo para o segurado?

O prazo para consertar o veículo de terceiros é o mesmo que o do segurado, e não deve ultrapassar 30 dias.

Mesmo se não houver peças para reposição, a seguradora deve buscar outros fornecedores para tentar cumprir com esse prazo.

Portanto, não importa quem foi que teve o carro danificado, o reparo deve ser feito em até um mês.

O conserto do carro de um terceiro é realizado pela seguradora quando o segurado contrata a cobertura para terceiros.

Ela também é chamada de Responsabilidade Civil.

A cobertura pode ser utilizada quando o segurado causa o sinistro.

A seguradora ressarcirá o outro indivíduo de acordo com o limite estabelecido em apólice.

E se a vistoria demorar para ser feita?

No processo de pagamento da indenização, pode ocorrer de a vistoria do veículo demorar para ser feita pela seguradora após a batida de carro.

Isso faz com que o carro fique parado e não seja reparado.

A questão é que não existe uma regulamentação que estabeleça um prazo limite para a vistoria.

Porém, a Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) informa que, quando ocorre um acidente, não é preciso que uma vistoria seja feita.

Ela é realizada apenas quando a seguradora vê necessidade.

Ainda assim, o prazo do conserto do veículo para o segurado começa a vigorar a partir do momento em que os documentos previstos em contrato são entregues e protocolados, considerando o período de 30 dias. Com ou sem vistoria.

O que fazer se o prazo máximo para seguradora consertar veículo for descumprido?

Como você acompanhou no texto, o prazo máximo para a resolução de um sinistro é de um mês.

O intervalo é contado a partir do registro do sinistro e entrega dos documentos necessários à empresa.

Se a seguradora não cumpre essa determinação, o consumidor pode realizar reclamação na Susep.

Outro modo de ação é buscar o auxílio do Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) de sua cidade.

Caso se sinta lesado, o usuário também pode abrir ação judicial contra a empresa.

Também vale a pena conversar diretamente com a seguradora e verificar o que aconteceu.

Informe a ela que o prazo foi descumprido e que você conhece as formas de findar o problema.

A empresa se sentirá um pouco mais “pressionada” a resolver a situação.

Agora você já sabe quanto tempo à seguradora tem para consertar o veículo, e tudo mais sobre o assunto.

Exija os seus direitos! Afinal, o seguro foi contratado exatamente para a resolução dos problemas com o carro, e não para mais dores de cabeça.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

42 Comentários

  • Carlos Leonardo da Silva Santos says:

    Bom dia, bateram no meu carro no dia 07 de março e ainda não chegaram todas as peças. Está faltando as duas portas dianteiras do Renault Clio. Disseram que não tem as portas na concessionária, mandaram eu aguardar até o dia 22 de maio.

    Até.

  • Nathalia says:

    Olá, aqui é a Nathália Carvalho, eu gostei muito do seu artigo, seu conteúdo vem me ajudando bastante, muito obrigada.

  • Alan Oliveira says:

    Bom dia, bateram em meu meu carro, um coletivo de transporte coletivo, acionei a empresa responsável pelo coletivo, fui orientado a fazer B.O. enviei minhas documentações para a mesma, fui orientado a aguardar o prazo de 5 dias úteis para solucionar. Hoje deixei meu veículo na funilaria para consertar, tem algum problema?

    Att

  • Sergio Ricardo says:

    Bom dia,

    Meu carro sofreu duas batidas em menos de um ano e já tem mais de dois meses que está na oficina que presta serviço para a seguradora, fui pagar a franquia, eles me falaram que no meu caso, o valor é dobrado de 1800,00, me cobraram um valor de 4400,00 reais, o que devo fazer, alguém pode me esclarecer por favor?

    Até.

  • Rosangela Souza says:

    Olá, por favor, me ajudem com uma dúvida.
    Meu carro tem um mês de uso, tem seguro e infelizmente já batemos, acionamos o seguro faz uns 15 dias e nada. A franquia nos assustou muito, 3.600 reais, é normal esse absurdo?
    Agradeço se puderem me tirar essa dúvida.

    • Sanaira Silveira says:

      Boa tarde Rosangela,

      Obrigada pelo contato.
      O valor da franquia é combinado na contratação do seguro, você tem a opção do valor normal e da franquia reduzida, depois de contratado, ela não muda.

      Atenciosamente.

  • Juninho says:

    Bom dia,

    Ontem bati o meu carro atrás de outro veículo aonde desprendeu o para-choque desse carro, gostaria de saber qual seria melhor acionar, o seguro ou pagar por fora?

    Grato

    • Sanaira Silveira says:

      Boa tarde Juninho,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      Para sinistros, entre em contato com a seguradora responsável.
      Caso você tenha interesse em fazer uma cotação ou renovação de seguro, preencha o formulário em nossa página clicando no link http://vemm.go2cloud.org/SHEv para que um corretor parceiro entre em contato com você.

      Atenciosamente.

  • Liliane says:

    Boa tarde, me chamo Liliane, meu esposo teve nosso carro batido por uma camionete de porte grande, na colisão quebrou o banco do motorista, por ser uma pessoa conhecida ele acordou em pagar o conserto, mas isso já se passou mais de 20 dias e a mecânica do carro parou do nada, não liga algumas mangueiras na frente se romperam, mas enfim, meu esposo não expõem estes fatos ao infrator, só está aguardando ele chamar pra repôr as peças traseira, não sei qual procedimento tomar, se puder me auxiliar, agradeço.

    Obrigada

    • Sanaira Silveira says:

      Boa tarde Liliane,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      Para sinistros, entre em contato com a seguradora responsável.
      Caso você tenha interesse em fazer uma cotação ou renovação de seguro, preencha o formulário em nossa página clicando no link http://vemm.go2cloud.org/SHEv para que um corretor parceiro entre em contato com você.

      Atenciosamente.

  • Doralice says:

    Olá,

    Há 67 dias sofri sinistro, meu carro estava com 10 meses de uso, a seguradora enviou para autorizada desde o dia 20/02, a previsão de entrega falha toda semana e a oficina da autorizada afirmou que a seguradora não tem culpa. O que posso fazer?

    Att.

    • Sanaira Silveira says:

      Boa tarde Doralice,

      Obrigada pela mensagem.
      Para sinistros, entre em contato com a seguradora responsável.
      Caso você tenha interesse em fazer uma cotação ou renovação de seguro, preencha o formulário em nossa página clicando no link http://vemm.go2cloud.org/SHEv para que um corretor parceiro entre em contato com você.

      Atenciosamente.

  • Maycon Santana says:

    Olá, sou terceiro de um senhor que bateu no meu carro.
    Sou taxista particular, uber.
    Meu carro deu perda total, faz 32 dias e o processo não finalizou e ainda não pagaram a tabela Fipe e os meus dias em casa, meu nome está quase no SPC das contas até mesmo das parcelas do carro que deu perda total, eu tenho direito de pedir para a seguradora cubrir as contas?
    Pois estou sem renda nenhuma para pagar as contas e sustentar minha família, até a luz está atrasada e foi cortada.

    Até.

    • Sanaira Silveira says:

      Bom dia Maycon,

      Obrigada por comentar em nosso site,
      Para sinistros, entre em contato com a seguradora responsável.
      Caso você tenha interesse em fazer uma cotação ou renovação de seguro, preencha o formulário em nossa página clicando no link http://vemm.go2cloud.org/SHEv para que um corretor parceiro entre em contato com você.

      Atenciosamente.

  • Bruno Giurizatto Coelho says:

    Olá,

    Causei um acidente com meu carro, minha seguradora tem quantos dias para reparar?

    Obrigado

    • Sanaira Silveira says:

      Boa tarde Bruno,

      Obrigada por comentar em nosso site,
      Para sinistros, entre em contato com a seguradora responsável.
      Caso você tenha interesse em fazer uma cotação ou renovação de seguro, preencha o formulário em nossa página clicando no link http://vemm.go2cloud.org/SHEv para que um corretor parceiro entre em contato com você.

      Atenciosamente.

  • Sandra Menezes says:

    Boa noite,

    Um caminhão bateu no meu veículo, houve a liberação por parte da seguradora do motorista do caminhão, porém foi levado em um mecânico e eles pedem a nota fiscal para reembolso, apenas com a nota do orçamento, consigo o reembolso?

    Obrigada

    • Sanaira Silveira says:

      Boa tarde Sandra,

      Obrigada por comentar em nosso site,
      Para sinistros, entre em contato com a seguradora responsável.
      Caso você tenha interesse em fazer uma cotação ou renovação de seguro, preencha o formulário em nossa página clicando no link http://vemm.go2cloud.org/SHEv para que um corretor parceiro entre em contato com você.

      Atenciosamente.

  • Maciel says:

    Boa noite, tive um sinistro, deu como média monta, só que vai sair no documento do veículo, com restrição, isso é correto? A seguradora não tinha que me pagar o veículo total?

    Obrigado

    • Sanaira Silveira says:

      Bom dia Maciel,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      Em caso de sinistro, entre em contato com a seguradora responsável.

      Caso tenha interesse em fazer uma cotação de seguro, preencha o formulário em: https://www.smartia.com.br para que um de nossos corretores parceiros entre em contato com você.

      Atenciosamente

  • Rodrigo says:

    Boa tarde, uma carreta causou o sinistro em meu carro, nesse caso, tenho direito a um carro de aluguel, seja pela seguradora, seja pelo proprietário? Pois já fui lesado pelo acidente e ainda tenho de pagar as consequências de ficar a pé?

    Obrigado.

    • Sanaira Silveira says:

      Bom dia Rodrigo,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      Em casos de sinistro, entre em contato com a seguradora responsável para que possam ajuda-lo.

      Caso tenha interesse em fazer uma cotação de seguro, preencha o formulário em: https://www.smartia.com.br para que um de nossos corretores parceiros entre em contato com você.

      Atenciosamente

  • Ariana Teixeira says:

    Boa tarde, um caminhão de uma empresa bateu no para-choque do meu carro, estragou a lateral esquerda, farol esquerdo e outras peças, fui na empresa, levei três orçamentos e me pediu a foto do boletim por e-mail, como faço pra saber o andamento, eles tem seguro para terceiros?

    Obrigado

    • Sanaira Silveira says:

      Boa tarde Ariana,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.

      Para sinistros, entre em contato com a seguradora responsável ou com a empresa para que possam ajuda-la.

      Caso você tenha interesse em fazer uma cotação ou renovação de seguro, preencha o formulário em nossa página clicando no link https://goo.gl/gc1bj1 para que um corretor parceiro entre em contato com você.

      Atenciosamente.

  • Nina Thaisa says:

    Bom dia,
    Um caminhão colidiu no meu carro que estava na garagem.
    Isso ocorreu em novembro de 2017 e até agora julgo de 2018 ainda não foi resolvido
    Sendo que foi liberado só parte do veículo para ser arrumando
    Estou tendo muita dor de cabeça
    E o carro está na oficina desde 23 de julho
    Se passar os 30 dias o que pode ocorrer? Ou o que posso fazer?

    Grata

    • Sanaira Silveira says:

      Bom dia Nina,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      Por favor, entre em contato com seu corretor para que possa ajuda-la.

      Atenciosamente.

  • Hirota Tazima says:

    Boa tarde, uma pessoa invadiu a minha preferencial e bati o para-choque, farol, radiador e capu, acontece que eu uso o carro pra trabalhar e já faz mais de uma semana que aconteceu mas não foram nem fazer a perícia, o que eu posso fazer?

    Obrigado

    • Sanaira Silveira says:

      Bom dia Hirota,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      Por favor, entre em contato com seu corretor para que possa ajuda-lo.

      Atenciosamente.

  • Camila says:

    Boa noite,

    Sou proprietário de um Fiat 500 e sofri uma colisão que danificou partes externas, farol e o amortecedor em apenas um lado. Meu carro está há quase 2 meses na oficina licenciada pela minha seguradora e eles alegam que as peças do carro não chegam. O prazo é prorrogado toda sexta feira para a próxima semana. Há justificação cabível para essa demora ou há alguma medida judicial que posso tomar frente a essa demora?

    Desde já, agradeço

    • Sanaira Silveira says:

      Bom dia Camila,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      Em caso de sinistro, entre em contato com seu corretor para que possa ajuda-la.

      Atenciosamente.

  • Júlio Almeida de Moura Farias says:

    Bom dia!

    Me envolvi em uma batida que danificou o para-choque e os 2 faróis dianteiros, essa situação se encaixa na definição de pequena monta? Com entrega em média de 15 dias?

    Obrigado.

  • Paulo Henrique Gomes says:

    Boa tarde,

    Li sua matéria e gostaria de uma resposta pra seguinte pergunta:
    As mesmas regras valem pra uma cooperativa? Já tem um mês que meu carro está na oficina e eles alegam a falta de peça pro veículo.

    Obrigado.

    • Sanaira Silveira says:

      Bom dia Paulo,

      Obrigada pelo contato.
      Sugerimos que procure um profissional especializado para que possa tirar sua dúvida.

      Atenciosamente.

  • Edgar Duarte says:

    Olá, bom dia,

    Eu estou com um problema com meu carro que foi roubado e recuperado 17 dias depois parcialmente danificado, ele foi roubado dia 16/01/2018 e encontrado no dia 02/02/2018, feito as vistorias da seguradora dia 06 ou 07/02/2018 ele já estava na Oficina depois de alguns dias os reparos foram autorizados (sem reparos de mecânica somente reposição de pelas tipo para choques, rodas, bateria, step, central multi mídia, um revestimento interno da porta, manopla do câmbio e funilaria da caixa de ar. já estamos chegando em abril e eu não tenho um retorno tanto da oficina quanto da seguradora sobre a entrega do meu veiculo, o que devo fazer pois sou autônomo e usava o carro para trabalhar?

    Att.

    • Sanaira Silveira says:

      Bom dia Edgar,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      Para sinistros, favor entrar em contato com a seguradora responsável para que possam atende-lo melhor.

      Atenciosamente

  • Naldo says:

    Muito boa a explicação me ajudou muito cara valeu.

    • Elyser Antunes de Sa says:

      Boa tarde,

      Sou proprietário de um Fiat 500 e sofri uma colisão que danificou partes externas, farol e o amortecedor em apenas um lado. Meu carro está há mais de 2 meses na oficina licenciada pela minha seguradora e eles alegam que sempre precisam de uma peça que não foi prevista e tem que aguardar a chegada da peça, que as peças do carro não chegam. O prazo é prorrogado toda sexta feira para a próxima semana. Há justificação cabível para essa demora ou há alguma medida judicial que posso tomar frente a essa demora?

      Desde já, agradeço.

      • Sanaira Silveira says:

        Boa tarde Elyser,

        Obrigada por entrar em contato.
        Em caso de sinistro, entre em contato com seu corretor para que possa ajuda-lo mediante a sua apólice.

        Atenciosamente.

  • Alex Nunes says:

    Um caminhão da eletropaulo bateu em meu veiculo, porem estou sem o documento do carro pois ainda nao paguei o IpVa (esta em atraso) e nem tenho o antigo pois foi roubado, tenho apenas o recibo de compra e venda do veículo.
    Isso aconteceu a 1 mês e ainda não levei o veiculo por causa do documento. Queria saber se posso apresentar o veiculo com cópia do recibo e quanto tempo tenho pra fazer isso.
    Se alguém puder me responder e ajudar eu agradeço, estou sem saber o q fazer.
    Obg a quem poder me ajudar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *