21 coisas que você deve saber antes de contratar um seguro de carro

| Autor: Jeniffer Elaina

Contratar um seguro de carro é uma das ações mais importante para quem possui um veículo. Afinal, só com o serviço o carro ficará protegido em caso de sinistros. No entanto, é importante que você conheça alguns pontos sobre o seguro auto antes de realizar essa contratação. Continue lendo e descubra 21 coisas que você deve saber ao contratar um seguro de carro!

Hoje em dia, quem tem um carro e não possui um seguro auto está correndo sérios riscos.

Além dos altos índices de roubo de carro, os motoristas são expostos diariamente a riscos de acidentes de trânsito.

Por isso, contratar um seguro de carro se faz tão necessário.

Só com o serviço o indivíduo terá a certeza de que seus prejuízos serão ressarcidos após um sinistro.

Mas, antes de realizar a contratação do seguro, é recomendado que você conheça algumas informações sobre esse assunto.

Isso porque, são muitos os aspectos a serem levados em conta para definir quais as coberturas mais interessantes.

A análise detalhada vai permitir também a escolha da seguradora mais confiável.

Acompanhe este artigo e descubra 21 coisas que você deve saber antes de contratar um seguro de carro.

20 coisas que você deve saber antes de contratar um seguro de carro

Imagem: Getty Images

Veja quais são as 21 coisas importantes antes de contratar um seguro de carro

  1. Analise suas necessidades

Antes de qualquer coisa, é fundamental que você faça uma análise das suas necessidades de proteção.

Se você circula com o veículo diariamente, pode ser que uma cobertura de seguro mais completa seja a melhor escolha.

Mas, se você possui um veículo mais antigo, que não sai muito da garagem, uma cobertura contra roubo ou furto costuma ser o mais indicado.

Avaliar bem as suas necessidades vai garantir duas coisas.

Primeiro, que você adquira todas, e apenas, as coberturas vantajosas ao seu veículo.

Depois, que o custo da proteção seja mais baixo, já que você pagará só pelo que precisa.

  1. Conheça os tipos de seguro

Outra coisa que você precisa saber antes de contratar um seguro de carro é qual tipo de seguro escolher.

Existem, basicamente, 4 tipos de cobertura. São elas:

  • Seguro compreensivo: uma cobertura mais completa e mais cara. Ela é bastante indicada para veículos que são utilizados no dia a dia e, por isso, sofrem mais riscos;
  • Seguro de furto e roubo: protege seu patrimônio apenas nos casos de subtração do veículo;
  • Seguro para terceiros: oferece cobertura para danos causados a outras pessoas envolvidas no sinistro com o segurado. A cobertura para terceiros pode ser contratada como um complemento em outros tipos de seguro, como o compreensivo;
  • Seguro para passageiros: cobre danos morais, pessoais ou físicos sofridos pelos passageiros do veículo.

Vale a pena conversar com a seguradora desejada antes de contratar qualquer um destes seguros.

Até porque, várias delas acrescentam coberturas extras em cada um destes modelos de proteção.

Ao conhecer mais os tipos de seguro disponíveis, você poderá eleger, com maior facilidade, a cobertura que melhor atende às suas necessidades.

  1. Estude com cuidado cada uma das coberturas disponíveis

Além das coberturas de seguro citadas anteriormente, existe mais uma série de coberturas adicionais que podem ser contratadas pelo usuário.

Há, por exemplo, a cobertura para vidros e lanternas e a assistência 24 horas.

Assim como a cobertura para o kit gás, proteção para fora do País e várias outras.

As opções variam muito por seguradora.

Por isso, conheça cada uma delas e avalie quais podem ser úteis para você.

  1. Considere a assistência 24 horas ao contratar um seguro de carro

A maior parte das seguradoras oferecem um serviço conhecido como assistência 24 horas.

A opção é interessante porque presta auxílio ao segurado em várias situações de emergência.

Entre os serviços, costuma ser possível contar com atendimento para problemas como:

  • Reboque (guincho);
  • Pane seca, mecânica ou elétrica;
  • Reparos residenciais;
  • Carro reserva;
  • Motorista amigo e etc.

Vale muito a pena considerar a contratação desses serviços, ela vai evitar, por exemplo, que, após uma pane seca, você precise procurar por um guincho.

Vai ser necessário apenas ligar para a seguradora, e ela resolverá o problema.

Além disso, algumas seguradoras oferecem descontos em estabelecimentos parceiros, como estacionamentos, cinemas e mais.

  1. Conheça as nomenclaturas usadas

O ramo dos seguros é repleto de termos incomuns em outras áreas, ou com significados diferentes.

Para que você não se perca ao contratar um seguro de carro, é interessante conhecer os termos mais usados.

Veja a seguir.

Cobertura

É o tipo de proteção que o seguro oferece.

Há a cobertura contra roubo, contra furto, incêndio, colisão e mais.

Sinistros

São os problemas que podem acontecer com o veículo, como roubo, colisão, quebra de vidros, queda de uma árvore entre outros.

Apólice

É o documento que firma a contratação da prestação de serviços.

Em outras palavras, é o contrato do seguro auto.

Prêmio

É o valor a ser pago pela apólice.

Ou seja, é o quanto o consumidor paga para contratar o seguro de carro e contar com sua proteção.

Proposta de seguro

A proposta é o documento que deve ser fornecido pelo cliente interessado na contratação do seguro.

É por meio dela que a seguradora avalia se vale ou não a pena cobrir o segurado.

Para isso, o documento conta com informações como tipo de uso do auto e o seu modelo.

Com esses dados, a seguradora mede o risco de sinistro.

Perfil de risco

O risco de sinistro, ou perfil de risco, é medido pela seguradora antes da contratação do seguro de carro.

É por meio dele que a empresa avalia quais as chances de um indivíduo sofrer um sinistro.

Ou seja, qualquer problema coberto com o carro.

Quanto maior o perfil de risco de um usuário, mais caro será o seu seguro.

Jovens motoristas, por exemplo, têm maior risco de sinistro do que condutores com anos e anos de CNH.

Perda parcial

Acontece quando os danos ao veículo são menores do que 75% do valor do carro.

Nessa situação, a seguradora paga a indenização parcial.

O valor quita parte do prejuízo, para que o veículo seja consertado na oficina.

O consumidor paga a outra parte, por meio da franquia do seguro.

Perda total

Também chamada de perda integral.

A perda total acontece quando os danos ao veículo são maiores do que 75% do valor do carro.

Indenização integral

A indenização integral, de maior valor, é paga em duas situações.

Primeiro, quando o veículo sofre perda total.

Além disso, ela é entregue ao consumidor quando o veículo é roubado ou furtado, e não recuperado pela polícia.

Os valores da indenização integral permitem a compra de um novo carro, já que o veículo segurado não têm mais condições de ser utilizado.

Esses são os termos mais comuns e que, em um primeiro momento, costumam causar estranheza.

Caso fique qualquer dúvida, não tenha vergonha de questioná-la ao seu corretor de seguros.

Você precisa conhecer tudo sobre a proteção antes de contratar um seguro de carro, para não ter surpresas desagradáveis depois.

  1. Faça o máximo possível de cotações

Quanto mais cotações você fizer, melhores serão suas chances de negociar um bom seguro, com vantagens e preço mais em conta.

Por isso, vale a pena utilizar da cotação online, e também pedir ajuda ao seu corretor.

Cotação online

Para fazer uma cotação não é preciso ir até cada uma das seguradoras ou então ficar consultando o corretor presencialmente.

A melhor maneira de pesquisar o valor do seguro e comparar os diferentes preços e diferentes coberturas é fazendo uma cotação online.

Além disso, com as informações que o cliente pode ter fazendo a cotação online é possível determinar as melhores opções, e se informar sobre o que está incluso na cobertura.

  1. Pesquise a reputação da empresa

É muito importante que você pesquise a idoneidade da empresa de seguro escolhida, assim como seu histórico de atendimentos com os clientes.

A Superintendência dos Seguros Privados (Susep) é o órgão responsável por regulamentar este setor.

Em seu site, é possível pesquisar empresas de seguro, corretoras de seguro e corretores que trabalham por conta própria.

Só as companhias registradas podem ofertar o serviço no Brasil.

Sobre o histórico de atendimento da empresa, é interessante que você procure saber a opinião de alguns clientes.

Para isso, é preciso apenas acessar o site do Reclame Aqui.

Lá, você encontrará avaliações atuais sobre o atendimento, o cumprimento dos prazos e mais.

Preocupe-se principalmente sobre como o usuário é atendido após um sinistro.

Uma boa seguradora oferece assistência rápida e prática, sem criar empecilhos para o pagamento da indenização.

Peça recomendações de boas empresas para as pessoas que você conhece

Uma das maneiras de avaliar a reputação da empresa e saber se ela presta um bom serviço,

Nenhuma fonte é tão confiável quanto à opinião das pessoas que você confia e já utilizam o serviço.

Por isso, é importante conversar com outros conhecidos que já possuem seguro.

Com eles você pode descobrir os pontos altos e baixos de cada empresa, quais as vantagens que os segurados mais percebem e se o atendimento realmente é bom.

  1. Tenha cuidado com a proteção veicular

Na hora de pesquisar e contratar um seguro é importante ficar esperto com as proteções veiculares.

As proteções veiculares não funcionam igual um seguro e por isso não podem ser vendidas como um.

Além disso, elas não são fiscalizadas nem determinadas pela SUSEP, como os seguros.

E dependendo da empresa a ser contratada, o associado da proteção veicular pode não ser atendido em caso de sinistro.

  1. Saiba o que é considerado na formação do valor do seguro

O cálculo do seu seguro é feito com base em informações como idade e sexo do condutor, estado civil e a existência de filhos.

Assim como a inclusão de motoristas adicionais, modelo do carro, ano de fabricação, região onde mora e trabalha e/ou estuda, tipo de cobertura escolhida e tipo de franquia.

Há várias situações em que você pode se sentir tentado em mentir, ou omitir, para a empresa.

Por exemplo: você, jovem, vai pagar caro pelo seguro.

Seu pai, porém, é um condutor experiente, e terá custo menor.

Então, porque não pedir para que ele contrate o seguro?

Simples: porque a seguradora pode considerar essa prática como fraude!

Após qualquer sinistro, a empresa verifica se as informações fornecidas pelo consumidor correspondem à realidade.

Se perceber que seu pai não utiliza o veículo, mas sim você, a companhia pode se negar a pagar a indenização.

Afinal, o custo do seguro foi definido com base em informações básicas.

Assim, você teria que assumir sozinho, todo o prejuízo.

O perfil do cliente pode dar descontos

Não é possível mentir quanto a quem é o motorista titular do veículo, no entanto, o comportamento do cliente é algo que pode ser alterado por ele e lhe render descontos.

Por exemplo, possuir uma direção defensiva e não se envolver em sinistros já pode ajudar muito.

Além disso, guardar o carro em garagens, transitar em regiões mais seguras, e em horários com menos sinistros, também diminui o preço do seguro.

Além disso, apesar de pouco mencionado, o tempo de habilitação do motorista também interfere.

Isso porque motoristas recém habilitados possuem maiores chances de se envolverem em pequenos acidentes.

E para que a cotação seja feita corretamente preencher ao formulário com atenção é muito importante.

Mesmo os detalhes que parecem ter pouca importância são levados em conta do momento da definição do preço do seguro.

Uma dessas informações é a quilometragem do veículo por exemplo.

  1. Entenda o que é a franquia

A franquia é o valor que deve ser pago pelo segurado quando o seguro é acionado para atender a um sinistro parcial.

Geralmente, ela possui valor fixo, determinado em apólice.

Por exemplo: a sua franquia é de R$ 500, e o conserto do auto ficará em R$ 3 mil.

Então, você pagará R$ 500 à oficina.

A seguradora vai quitar os R$ 2.500 restantes.

A franquia do seguro não é cobrada em casos de perda total, na solicitação de serviços referentes à assistência 24 horas e no acionamento do seguro de terceiros.

  1. Escolha a franquia adequada

De modo geral, as seguradoras oferecem três possibilidades de franquia.

São elas: a normal, a reduzida e a ampliada.

A primeira opção consiste no valor normal estipulado pela seguradora.

A segunda é uma franquia de valor mais baixo, que consequentemente torna o valor da apólice mais alto.

Por fim, a franquia ampliada nada mais é que um valor de franquia maior, que faz com que o preço da apólice seja menor.

É importante avaliar cada um dos casos com cuidado, porque cada um deles possui suas vantagens.

A franquia reduzida, por exemplo, faz com que, em caso de sinistro, o consumidor pague menos pelo conserto do carro.

Em compensação, o custo do seguro é maior.

Assim, a opção vale mais a pena para quem está muito sujeito a problemas no dia a dia.

Para este público, é mais interessante pagar um seguro mais alto, do que arcar com custos após cada um dos vários novos sinistros sofridos.

A escolha da franquia impacta no valor do seguro e no modo de utilizá-lo

Escolher bem a franquia é um dos pontos mais importantes na contratação do seguro, e por isso o ideal é que o cliente converse com o corretor para encontrar a melhor opção.

Franquias mais baixas deixam o seguro mais caro, e vice-versa.

No entanto, quanto mais baixa a franquia, mais reparos passam a valer a pena, já que eles passam a ter um valor mais alto do que a franquia.

Ou seja, franquias mais baratas possibilitam que o cliente acione o seguro mais vezes.

Porém, para isso também é preciso ter cuidado, já que os clientes que passam o ano todo sem acionar o seguro ganham desconto no momento da renovação.

  1. Entenda como funciona a proposta de seguro

A proposta de seguro é o documento que deve ser fornecido por você para a seguradora, para informar o interesse em contratar um seguro de carro.

Nela, deve constar todas as informações pessoais do contratante, informações necessárias sobre o veículo, a rotina de uso do carro e a escolha da(s) cobertura(s) de seguro.

  1. A seguradora pode recusar sua proposta

Ao enviar a proposta de seguro, a empresa terá um prazo de 15 dias para avaliá-la e decidir se aceita assumir os riscos de segurar seu veículo ou não.

E, acredite, as recusas são muito mais comuns do que se imagina.

Em alguns casos, como no de veículos muito antigos ou com histórico de colisões, não vale a pena para empresa oferecer uma cobertura.

No entanto, vale dizer que, caso a recusa aconteça, ela deve ser justificada pela empresa.

Saiba os motivos que podem fazer com que a seguradora negue o seguro

A seguradora não é obrigada a aceitar cobrir o seguro.

Alguns motivos podem fazer com que a seguradora pense que não valhe a pena assumir o risco de determinado período.

Dentre eles estão os carros mais antigos ou importados, por terem peças mais difíceis de serem encontradas, o que dificulta a reposição das peças.

Carros modificados também podem ser negados pelas seguradoras, a exemplo dos carros rebaixados, por exemplo.

Isso não é uma norma, vai variar de acordo com cada empresa.

  1. A seguradora tem um prazo para aceitar sua proposta

Como dito acima, a seguradora tem um prazo de 15 dias para aceitar ou recusar a sua proposta de seguro.

Caso ela não dê nenhuma posição dentro deste prazo, se torna automaticamente obrigada a aceitar a proposta feita por você.

De qualquer forma, caso a empresa solicite mais documentos durante esse prazo, ele para de ser contado.

Então, só volta a correr depois que você entregar os documentos extras solicitados.

  1. Procurar um corretor pode ser muito viável

Buscar auxílio com um corretor de seguros pode ser uma escolha muito interessante.

Ter a ajuda de um profissional especializado no assunto e por dentro do mercado é fundamental para fazer um bom negócio.

Ao contar com um corretor, você terá muito mais chances de escolher a cobertura mais assertiva e definir melhor informações como a melhor franquia.

  1. Não minta para conseguir desconto

Como já citado, ao contratar um seguro de carro, é fundamental que você passe à seguradora apenas informações verdadeiras.

Mentir sobre número de condutores, hábitos de uso e outras informações relacionadas ao carro e seus dados pessoais é uma péssima ideia.

A seguradora irá pesquisar as informações passadas na proposta, e ela poderá recusar a cobertura ao descobrir uma mentira.

Os riscos de ser acusado de fraude pela empresa

Antes de contratar um seguro auto o segurado precisa saber que não é tão fácil aplicar um golpe na seguradora.

Isso porque, antes de pagar a indenização a empresa investiga o sinistro para saber se ele realmente foi verídico e se o segurado tomou todos os cuidados necessários.

Ou seja, se o cliente acha que poderá inventar um sinistro para receber o valor da indenização, saiba que isso pode causar grandes problemas.

A seguradora além de ter motivos para não pagar a indenização nesse caso, pode ainda cancelar o seguro e processar o cliente por fraude.

  1. Algumas situações não são cobertas

Antes de contratar um seguro de carro, é importante saber que algumas situações não são cobertas por nenhuma seguradora.

Isso inclui atos de vandalismo, danos promovidos por água salgada, sinistros promovidos por condução embriagada ou perigosa, e ainda casos de atos ilícitos, como corridas ilegais.

  1. Descubra como conseguir desconto ao contratar um seguro de carro

A presença de equipamentos de segurança, como rastreadores, bloqueadores de ignição, alarmes e outros, fazem com que o valor da apólice se torne menor.

Isso acontece porque a presença desses equipamentos diminui as chances de roubo ou furto do veículo.

Além disso, as possibilidades de recuperação do auto são maiores após a sua subtração.

  1. Fique atento às condições do contrato

A apólice de seguro é repleta de condições, que precisam ser analisadas com cuidado antes que o contrato seja assinado.

Também é importante que você verifique os seus dados pessoais e sobre o veículo.

Erros de digitação podem acontecer e, se você assinar o contrato com alguma informação errada, poderá perder o direito da cobertura.

Peça uma cópia do contrato

O contrato do seguro auto é o documento que atesta todos os acordos feitos entre o cliente e a seguradora.

É nele também que a cobertura fica esclarecida em detalhes.

Por isso, é muito importante que o cliente tenha uma cópia desse documento, pois, sempre que houver alguma dúvida, poderá consultar diretamente na fonte.

Além disso, em qualquer divergência com a seguradora, o cliente poderá utilizar o que estiver escrito em contrato como argumento.

  1. Não precisa de nome limpo para contratar um seguro de carro

Você não precisa ter o nome limpo para contar com um seguro auto.

A legislação brasileira lhe garante acesso a esse tipo de serviço, mesmo nessas condições.

Portanto, nenhuma seguradora pode recusar uma proposta pelo fato do cliente ter o nome sujo.

O que elas podem fazer é, por causa disso, cobrar um valor mais alto pelo serviço.

  1. Certifique-se da cobertura geográfica do seguro

A maior parte dos seguros oferece uma cobertura nacional.

No entanto, é importante que você esteja atento a essa condição antes de contratar um seguro de carro.

Especialmente se você costuma viajar muito com o veículo.

Fazendo isso, você evitará dores de cabeça no futuro.

Alguns seguros possuem cobertura internacional

Além de certificar-se que o seguro cobre por todo o país, quem costuma fazer grandes viagens de carro deve saber se o seguro também cobre fora do país.

E algumas empresas possuem coberturas que se estendem a países do Mercosul.

Quando essa cobertura não está incluída pela seguradora, o cliente pode contratar como um opcional.

A vantagem de possuir coberturas que tenham grande expansão territorial é que caso aconteça algum sinistro, o segurado pode solicitar uma assistência 24 horas e serviço de guincho, por exemplo.

A contratação de um seguro é fundamental nos dias atuais, mas é importante que ela seja feita da maneira correta.

Seguindo essas dicas, certamente você terá mais sucesso ao contratar um seguro de carro.

Caso ainda tenha dúvidas sobre o assunto, mande-nos a sua pergunta.

Teremos satisfação em resolver as suas questões!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

6 Comentários

  • reinaldo says:

    Isso! Faça um seguro sem consultar um corretor, faca um monte de bobagens e se ocorrer um sinistro, desespere-se por não saber o que fazer, não saber como resolver. Excluir a voz do corretor, que é a sua na seguradora, e chore. Chore muito para aprender.

    • Andreia Silveira says:

      Olá, Reinaldo!

      Por isso enfatizamos a importância do corretor de seguros no item 15.

      Ao cotar aqui, na Smartia, você recebe o retorno de um dos corretores parceiros do site, registrados na SUSEP e que trabalham com seguradoras confiáveis.

      Assim, se precisar tirar dúvidas ou solicitar serviços, eles estão sempre prontos a atender o cliente.

      Atenciosamente!

  • Maria sa says:

    O pagamento do prêmio do seguro tem que ser feito antes do técnico vir fazer a vistoria ou depois da vistoria? Se tiver que pagar antes e o técnico reprovar o carro como fica pra receber de volta

    • Jeniffer Elaina says:

      Olá Maria, tudo bem?
      No geral, a vistoria é feita antes, mas depende do procedimento de cada seguradora, então caso haja essa dúvida o indicado é falar diretamente com seu corretor e verificar o procedimento, lembrando de que tudo deve estar especificado em sua apólice de seguros, ok?
      Abraço!

  • Maria sa says:

    Gostaria de saber se é confiável eu fazer um seguro auto a distância só fornecendo os dados e não ir lá pra assinar papel, pois o corretor me ofereceu eu moro longe da cidade dele e ele falou que pode fazer basta eu enviar meus dados e pagar a apólice, mas achei estranho eu não ter que assinar nada.

    • Jeniffer Elaina says:

      Olá Maria, muitas empresas trabalham dessa forma, ainda mais agora na pandemia. Você pode fazer a contratação e assinar o contrato online mesmo, sem precisar sair da sua casa.
      Verifique toda a apólice antes de assinar e passar dados de pagamento, ok?
      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *