Como contratar um bom plano de saúde

Sabia que um bom plano de saúde é aquele que tem as coberturas que você precisa e autorização da ANS para ser comercializado? Entenda melhor como contratar um bom plano de saúde.

O plano de saúde permite que a pessoa se cuide melhor, tendo acesso a médicos, exames e outros procedimentos sempre que precisar.

Entretanto, existem muitas operadoras no mercado oferecendo esse tipo de serviço, sem falar dos inúmeros planos.

Na hora de contratar um serviço de assistência médica é preciso ficar a atento a uma série de fatores para que se faça uma escolha acertada e se tenha cobertura a tudo que é necessário.

Como contratar um bom plano de saúde

Para te ajudar na sua busca, fizemos um mini guia do que deve ser verificado e como não errar na sua escolha.

Escolha a segmentação assistencial

Plano de saúde não é tudo igual. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) classifica os planos de saúde conforme a sua segmentação.

Isso quer dizer que, de acordo com essa classificação, será necessário oferecer um tipo de atendimento.

Os planos ambulatoriais devem compreender consultas médicas, exames clínicos, procedimentos ambulatoriais e tratamentos.

Os atendimentos de urgência e emergência devem se limitar ao período de 12 horas.

A cobertura hospitalar garante o atendimento em casos de internação. A obstetrícia inclui a atenção ao parto e cobertura ao recém-nascido.

Já a cobertura referência é uma combinação do plano ambulatorial com o hospitalar, podendo ou não incluir a obstetrícia.

Por isso é preciso verificar as suas necessidades de atendimento antes de optar por um plano e as segmentações que irá contemplar.

Analise as coberturas

Os planos de saúde devem oferecer um rol mínimo de procedimentos a seus beneficiários, sendo que esses são estabelecidos pela ANS.

Entretanto, algumas empresas vão além e oferecem coberturas e procedimentos extras. Veja quais são as suas necessidades e onde encontrará tudo o que precisa para cuidar da sua saúde.

Autorização de comercialização do plano

Para que um plano de saúde seja considerado bom é preciso que ele cumpra com os requisitos estabelecidos pela ANS.

Verifique se a operadora e o plano têm autorização para serem comercializados ou se existe algum impedimento.

Essas informações podem ser encontradas no site da Agência.

Analise a avaliação da operadora

As operadoras recebem contas conforme o seu desempenho e essas podem ser atribuídas por clientes ou pela ANS.

A ANS verifica critérios técnicos e confere uma nota. Quanto maior essa for, melhor classificada estará a operadora.

Busque também verificar o índice de reclamação dos clientes junto à ANS e em outros sites, como o Reclame Aqui.

Se houver muita reclamação ou comentários negativos é melhor buscar outras opções para contratar.

Avalie a rede credenciada

A operadora pode oferecer uma série de benefícios e coberturas, porém, elas são serão boas para você se estiverem acessíveis.

Veja quais são os locais de atendimento, se estão próximos e a quantidade de profissionais, clinicas e hospitais disponíveis.

Quanto mais opções houver, maiores as chances de ser atendido rapidamente e de escolher um profissional de sua preferência.

Olhe a proposta de adesão

Um bom plano de saúde é aquele que te entrega por escrito tudo o que lhe foi prometido. Depois de conversar com o corretor e buscar informações sobre o serviço, verifique se tudo está especificado em contrato.

Caso não conste alguma informação ou o texto esteja confuso, fique atento, pois isso pode causar dificuldades na hora de utilizar o serviço contratado.

Entenda o reajuste do plano

O valor é um dos fatores a ser considerado na hora de contratar um plano de saúde porque as questões financeiras influenciam na escolha.

Veja como o reajuste ocorre – se por faixa etária ou periodicidade – e acompanhe os últimos reajustes para se certificar de que não foram abusivos.

Escolha a modalidade de pagamento

O que é bom para um cliente pode não ser para outro porque as necessidades mudam.

Além de verificar a forma de reajuste é preciso entender a forma de cobrança de mensalidade.

Para quem usa pouco o plano, o mais indicado pode ser ter um plano coparticipativo, pois ele possui uma mensalidade menor e, quando algum procedimento é utilizado, é cobrada uma taxa de participação.

Já quem usa bastante o plano pode ser mais vantajoso financeiramente um plano sem coparticipação. Nesse caso, o valor da mensalidade é fixo, e apesar de ser um pouco maior não cobrará nenhuma taxa variável quando houver utilização.

Liberação de procedimentos

Um plano de saúde que dificulta o acesso aos procedimentos ou possui muitos trâmites burocráticos costuma não agradar.

Busque por um que libere automaticamente as solicitações de consultas, exames e cirurgias ou que permita que isso seja feito de forma simples e rápida.

Ter que aguardar vários dias ou semanas para ter acesso a uma cobertura que está contemplada no seu plano acaba tornando o serviço inviável.

Valores dos planos de saúde

Os valores dos planos de saúde variam bastante até mesmo dentro da mesma operadora porque costumam ter coberturas e uma rede de abrangência diversificada.

Para que tenha uma ideia, veja alguns dos valores praticados.

ESTADO OPERADORA PLANO VALOR
Amazonas Hapvida Nosso Plano QC R$ 135.52
Bahia União Médica União Médica QC Copart R$ 185.13
Ceará Gamec Standard QC R$ 145.74
Espírito Santo MedSênior Safira QC R$ 618.57
Minas Gerais Vitallis Saúde Prata QC R$ 113.68
Paraná Unimed Curitiba Uniplan QC R$ 446.34
Pernambuco Hapvida Nosso Plano Amb. R$ 69.49
Rio de Janeiro Assim Saúde Clássico QC R$ 189.84
Rio Grande do Norte Unimed Natal Uniflex XX QC R$ 132.03
São Paulo Ana Costa Saúde Individual QC R$ 161.72
Sergipe Plamed Exclusive QC R$ 141.37

Fonte: Multicalculosaude. Consulta feita em Janeiro/18.

Para saber mais informações, o ideal é solicitar uma cotação personalizada, pois ela varia conforme região, perfil, operadora e tipo de plano escolhido.

 

*A Smartia.com.br não se responsabiliza pelos valores aqui mencionados, visto que o preço do seguro pode variar conforme o perfil de cada motorista.

*Este texto é de conteúdo editorial e não garante a comercialização deste produto nesse site.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *