6 dicas para não fazer reivindicações de seguro estranhas nesse fim de ano

Existem reivindicações de seguro estranhas nesse fim de ano e os motoristas bêbados acham que tem razão. Veja como evitar essas situações.

Quem tem um seguro auto, com certeza, se preocupa com os seus bens e quer protegê-los. Porém, não é apenas quem possui o serviço que terá direito a ser indenizado e casos de sinistro.

Muita gente não sabe, mas a seguradora pode se negar a pagar a indenização em algumas situações.

Por isso, é preciso se atentar para não fazer reivindicações de seguro nesse fim de ano que, além de serem negadas, podem acarretar problemas ainda maiores.

Então, atente-se às dicas e não cometa esses erros.

6 dicas para não fazer reivindicações de seguro estranhas nesse fim de ano

Reivindicações de seguro estranhas

Não beber muito

Se você beber e dirigir está infringindo as leis de trânsito, mesmo que tenha bebido só um pouquinho.

Mas, se você exagerou na bebida e acabou sofrendo um sinistro, nem pense em acionar a sua seguradora por isso.

Ela irá negar o pedido, já que você assumiu o risco de dirigir sob efeito de álcool. Sem falar que isso é crime e pode te fazer perder a habilitação.

Se bebeu e dirigiu perde todo o direito de ser indenizado no caso de um sinistro.

Atrasar o pagamento

Se o pagamento do seguro estiver atrasado, a cobertura fica suspensa e pode ser cancelada. Se durante esse período sofrer um sinistro, não poderá contar com o seguro.

Aquela velha tática de dizer que esqueceu de pagar ou que achava que estava pago não vai funcionar nessas horas.

Essa é uma reivindicação estranha de seguro, mas bastante comum. Só que não tem o que ser feito. Não pagou, não pode contar com a indenização.

Mentir no questionário

Na hora de contratar o seguro é preciso preencher um questionário sobre a utilização do veículo e sempre tem o espertinho que mente para pagar menos.

Só que isso pode acarretar a negativa da indenização. Se você informou que a sua casa tem garagem e que o carro fica nela, não faria muito sentido ele ficar estacionado na rua.

Mas isso acontece. A pessoa tem o carro roubado na rua e solicita a indenização à seguradora. Porém, quando questionados do motivo que não estava na garagem, a pessoa informa que na casa dela não tem.

Se tentou ser esperto antes, saiba que agora essa tática não vai funcionar e você precisará arcar com todo o prejuízo.

Não informar mudança de perfil

Toda mudança que ocorrer em relação ao uso do veículo precisa ser informada a seguradora. Se você casou, separou, mudou de endereço ou passou a usar o carro para trabalhar, informe.

Se não fizer isso, depois não adianta falar para a seguradora que esqueceu. As mudanças de perfil podem interferir no valor do seguro e, consequentemente, na sua cobertura.

Emprestar o carro para quem não te habilitação

O seguro permite que terceiros dirijam o veículo. Se isso for esporadicamente, não precisa informar quem são à seguradora, mas, se for habitual, então isso deve constar no formulário.

Entretanto, uma pessoa que não possui habilitação não pode pegar ao volante e, se emprestar o carro para ela, estará assumindo todo o risco.

Se ela se envolver em um acidente, nem tente solicitar a indenização. Ela será negada e não tente argumentar dizendo que não sabia que a pessoa não era habilitada.

Causar sinistro intencional

Se não gosta do veículo ou está precisando de dinheiro, causar um sinistro intencional não vai ajudar.

Há casos de pessoas que facilitam o roubo deixando o veículo aberto com a chave na ignição e outras que causam uma colisão.

Se a seguradora detectar que a situação foi intencional, irá negar a indenização, por isso, nada de inventar esses casos.

Agora, fique atento às reivindicações de seguro estranhas e nada de cometer qualquer uma delas.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *