Cinco dicas de como dirigir em enchentes e alagamentos

Compartilhe em suas redes:

enchentes e alagamentos

Fortes chuvas exigem cuidados redobrados para os motoristas, especialmente quando se trata de cidades que costumam ter regiões bastante alagadas. Alguns lembretes básicos podem fazer diferença, como acender o farol durante as chuvas e ligar o limpador de pára-brisa e o desembaçador. Mas é preciso estar atento a outros fatores para evitar problemas no carro e o caos no trânsito. Confira, abaixo, cinco boas orientações sobre como agir no volante durante enchentes e alagamentos:

1 – É fundamental não entrar com velocidade em uma área alagada. Por isto, pare o carro, engate a primeira marcha e siga devagar, mantendo a mesma marcha e aceleração constante, até passar pelo alagamento. Dessa forma, a frente do veículo vai formar uma onda na água, fazendo com que fique mais raso perto do motor.

2 – Durante a chuva, mantenha a distância de pelo menos dois carros em reação ao automóvel a sua frente. E não tente enfrentar o que você não sabe se dá conta; se o nível da enchente não ultrapassar o meio da roda, pode ir em frente, caso contrário, observe os demais motoristas e certifique-se de que é possível seguir adiante.

3 – Faça o possível para não deixar o carro morrer, isto pode danificar de vez o motor, causando calço hidráulico (quando entra líquido na câmara de combustão, quebrando componentes internos do carro). Mas, caso o veículo morra, não tente ligar novamente o motor molhado, os estragos só se multiplicarão. Mantenha seu carro desligado e o leve até uma oficina quando você estiver em segurança.

4 – Não tente enfrentar o alagamento se o nível da água estiver acima do centro da roda de seu carro. E, depois de passar por uma área alagada, freie de leve, pois os freios ficam muito molhados e isto tira um pouco da umidade, evitando que você fique na mão se precisar frear mais à frente.

5 – Se você enfrenta consecutivas chuvas e alagamentos, limpe o sistema de ventilação, para evitar a contaminação por fungos, bactérias e outros micro-organismos.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:


Compartilhe em suas redes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *