Cinco dicas de como dirigir em enchentes e alagamentos

| Autor: Jeniffer Elaina

Se você vive em grandes centros urbanos, em especial aqueles que estão sendo assolados por fortes chuvas, precisa conhecer algumas dicas de como dirigir em enchentes e alagamentos.

Fortes chuvas têm atingido inúmeras cidades brasileiras e com elas as enchentes e alagamentos se tornaram constantes.

Exigindo dos motoristas cuidados redobrados, especialmente quando se trata de regiões muito alagadas.

Saber como passar em alagamento, ou como não deixar o carro morrer pode ser o conhecimento necessário para que você possa evitar prejuízos maiores.

Nestas situações, alguns lembretes básicos podem fazer a diferença, como acender o farol durante as chuvas e ligar o limpador de para-brisa e o desembaçador.

Mas, será que você sabe exatamente o que fazer em caso de alagamento para evitar problemas no carro e o caos no trânsito? Confira, abaixo, cinco boas orientações sobre como dirigir em ruas alagadas e enchentes:

Cinco dicas de como dirigir em enchentes e alagamentos

Veja algumas dicas de como dirigir em enchentes e alagamentos

  1. Evite entrar com velocidade em meio a água

A primeira dica de como dirigir em enchentes e alagamento é não entrar com velocidade em na área alagada. Se você fizer isso, a água poderá ir diretamente para o motor do seu carro.

O mais indicado é que você pare o carro, engate a primeira marcha e siga devagar, mantendo a marcha e uma aceleração constante, até passar pelo alagamento.

Fazendo isso, o carro promoverá uma onda a frente do veículo, fazendo com que a área de contato com a água entre a região onde está o motor seja menor, deixando o alagamento mais raso perto do motor.

  1. Mantenha uma distância segura

Manter uma distância segura do veículo a frente é fundamental em qualquer situação e obrigado por lei.

No entanto, quando falamos de uma situação de alagamentos ou enchentes é preciso que essa distância seja ainda maior.

Por isso, o mais indicado é que se mantenha a distância de pelo menos dois carros em relação ao automóvel a sua frente.

Assim se algum imprevisto acontecer, você poderá frear a tempo. Essa medida é necessária porque com o carro dentro da água, os freios ficam molhados e perdem bastante a aderência, tornando a freada mais lenta.

  1. Não deixe o carro morrer

Faça o possível para não deixar o carro morrer, isto pode danificar de vez o motor, causando calço hidráulico (quando entra líquido na câmara de combustão, quebrando componentes internos do carro).

Mas, caso o veículo morra, não tente ligar novamente o motor molhado, isso apenas fará com que os estragos sejam ainda maiores.

Nesta situação o mais recomendado é que você mantenha seu carro desligado e o leve até uma oficina quando você estiver em segurança.

  1. Evite alagamentos com o nível de água maior do que o centro das suas rodas

Não tente enfrentar o alagamento se o nível da água estiver acima do centro da roda de seu carro.

Se o nível da enchente não ultrapassar o meio da roda, pode ir em frente, caso contrário, não insista, estacione o carro e espere o nível da água baixar.

Se você se arriscar a entrar em uma área alagada com a água acima do meio da roda do carro, pode entrar água no seu motor e fundi-lo.

Portanto, o mais certo é observar os demais motoristas e certificar-se de que é possível seguir adiante.

  1. Não freie o carro após sair da água e mantenha o sistema de ventilação limpo

Lembre-se que depois de passar por uma área alagada, é preciso frear com cuidado e bem lentamente, pois, os freios ficam muito molhados e perdem a aderência necessária para parar o veículo com eficiência.

Freando levemente você tirará um pouco dessa umidade, evitando ficar na mão se precisar frear mais à frente.

Além disso, vale a pena lembrar que se você estiver enfrentando consecutivas chuvas e alagamentos, é preciso limpar o sistema de ventilação, para evitar a contaminação por fungos, bactérias e outros micro-organismos.

Lembre-se que é sempre preciso contar com um bom seguro auto para proteger seu carro de roubos, furtos e outros sinistros como enchentes e alagamentos.

Na maior parte das vezes, vale mais a pena pagar uma franquia do que arcar sozinho com um reparo necessário por conta de um problema causado por uma enchente.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *