Saiba os documentos pedidos para a contratação de seguro de carros

Na hora de contratar um seguro, você precisará ter atenção a algumas etapas. A entrega dos documentos à seguradora é uma delas, e pode, inclusive, influenciar na assinatura do acordo.

Quem deseja fazer o seguro de seu carro sabe que, antes da contratação e assinatura de uma apólice, há uma série de etapas que precisam ser realizadas.

Entre elas, está a cotação de seguro, análise de proposta, vistoria do carro e entrega de documentos.

Mas, você sabe como cada uma dessas etapas é realizada?

E os documentos do veículo, quais são?

Para te ajudar a acompanhar todo o passo a passo e adquirir um bom seguro, fizemos este texto.

Acompanhe nossas dicas, e saiba até como economizar, na hora fazer seguro de automóvel!

Saiba os documentos pedidos para a contratação de seguro de carros

Passos necessários para contratar um seguro

São cinco os passos principais para a contratação de um seguro: a cotação de seguro, vistoria do carro, análise de proposta, entrega de documentos e assinatura do contrato.

A seguir, explicamos cada uma delas.

Cotação do seguro

Fazer a cotação do seguro é um dos passos mais importante na hora de contratar um seguro.

Isso porque, é essa pesquisa que vai garantir que você encontre as melhores coberturas e valores.

Esse é o momento em que dados sobre o veículo e o condutor são coletados pelas seguradoras.

Com eles, a empresa faz a simulação de valores em relação tipo de serviço prestado.

O perfil do carro e do motorista influencia no custo final do seguro, assim como o número de coberturas contratadas.

Considerando o primeiro aspecto, quanto maior as chances de sinistro do automóvel, maior costuma ser o custo da proteção.

Uma boa opção online para a cotação dos seguros é o próprio site Smartia, que faz a cotação gratuita em várias seguradoras para o ramo de automóveis.

Com a nossa ajuda, será mais fácil comparar as empresas.

Para escolher a mais vantajosa.

Mas também é interessante contar com um bom corretor de seguros.

Após uma criteriosa comparação de cotações, será possível fazer a escolha do plano mais adequado às suas  necessidades e orçamentos existentes.

Vistoria do carro

Para saber o que vai realmente proteger, as seguradoras costumam realizar a vistoria do veículo.

Por meio dessa etapa, elas conseguem avaliar as condições mecânicas do automóvel, seu aspecto visual, estado de conservação e mais.

Com as informações, torna-se possível avaliar, de forma mais precisa, as chances de sinistro do automóvel.

Assim, a empresa define o custo final do seguro, e indica coberturas que podem ser necessárias.

Como é feita a vistoria do veículo?

Para a realização do seguro é preciso fazer uma vistoria.

Esse procedimento também serve para que a empresa consiga conferir se os dados passados pelo cliente são verídicos, e é um dos pontos mais importantes no momento da contratação de um seguro.

Ela avalia, também, como está o estado de conservação do veículo e a sua situação legal.

Nesse aspecto legal é pesquisado a procedência do veículo e é certificado que o automóvel não possui nenhuma pendência.

Essa vistoria pode ser realizada em diversos locais, esse fator dependerá muito de cada seguradora.

No entanto, normalmente ele é feito em um posto credenciado.

Como o principal objetivo da vistoria é analisar o estado do veículo e da documentação, além de certificar-se quanto ao passado do veículo, os carros 0km são isentos desse procedimento.

Sobre o passado do veículo, também é analisado o número do chassi e a pintura.

A vistoria na pintura serve para dizer se o veículo já se envolveu em uma batida anteriormente.

Porém, essa vistoria pode ser solicitada no momento da renovação do plano e é solicitado pela nova seguradora quando o motorista decide trocar de empresa.

Nessa vistoria é feita uma análise prévia, onde os equipamentos são avaliados.

Assim, é possível descobrir se há alguma avaria visível, o estado dos dispositivos de segurança e quais acessórios o veículo possui.

Durante a vistoria também é avaliado se o veículo possui modificações, e essas modificações podem ser determinantes no aceite, ou não, por parte da seguradora.

É importante ressaltar que o simples fato de passar pela vistoria não é garantia de ter o seguro aprovado.

Como dito anteriormente, a vistoria serve para a seguradora ver se vale a pena para ela assegurar esse veículo e esse motorista.

Além disso, há ainda outros fatores que determinam se a seguradora aceitará ou não.

O que acontece no fim do processo é a emissão de um laudo de vistoria veicular, que é emitido pelo vistoriador, com todo o histórico e com as condições atuais do veículo.

Análise de proposta

As seguradoras não são obrigadas a aceitar a sua contratação de seguro.

Ou seja, após avaliar o seu perfil e o veículo, as empresas podem negar a proteção ao automóvel.

Para tomar essa decisão sobre o negócio, elas fazem a análise da proposta.

Se aprovado, o consumidor passa para a próxima etapa.

Se não, ele pode obter cotação com outras empresas.

Algumas vezes, também é possível corrigir o fator culpado pela negativa, e solicitar nova avaliação da corretora de seguros.

Fatores sobre o automóvel que podem provocar uma negativa por parte da seguradora:

Pode parecer improvável para algumas pessoas, mas são vários os motivos que fazem com que as seguradoras não aprovem o seguro de um veículo.

Veículos com muitos anos de uso (cada seguradora determina uma idade limite), ou que já saíram de linha normalmente não são aceitos.

No caso dos veículos mais antigos o problema é que eles possuem mais chances de dar algum problema mecânico que solicitaria o seguro.

Em ambos os casos, o fato de ser mais difícil de achar peças, o que torna o conserto mais caro e mais difícil, é outro fator impeditivo.

Veículos de luxo e importados também estão na mesma situação.

O preço das peças para reposição em caso de algum sinistro assusta as empresas.

Carros modificados (como os rebaixados, por exemplo), também encontram mais dificuldades para serem aceitos pelas seguradoras.

Para conseguirem, eles precisam no mínimo ser legalizados e dentro de todas as normas do Conatran.

A instalação de acessórios como sons automotivos, rodas com tamanho diferentes das de fábrica também precisam ser avisados previamente a empresa.

O perfil do motorista também influencia

O perfil do motorista é um fator muito importante na avaliação da seguradora, e mesmo que o carro esteja em bom estado e dentro do esperado pelas empresas, se o motorista não tiver uma boa reputação a empresa pode negar o seguro.

As características do motorista que mais são avaliadas são o histórico de sinistros,e o histórico de inadimplência.

Ou seja, ter o nome sujo na praça pode custar uma negativa da seguradora.

Além disso, o motorista não pode estar com a carteira de motorista suspensa, nem estar com processos por dirigir bêbado.

Entrega de documentos

Fazendo a entrega dos documentos, o usuário confirma todos os dados já fornecidos à seguradora.

Continue acompanhando! A seguir, citaremos todos os documentos necessários.

Assinatura do contrato do seguro

Por fim, há a etapa de assinatura do contrato.

Por meio dela, o consumidor obtém um seguro por tempo determinado.

Esse tempo, normalmente, é de 1 ano.

Passado este intervalo, é necessário fazer a renovação da proteção junto à seguradora.

Veja todos os documentos para fazer um seguro de veículo:

Como você viu, depois da proposta aprovada, a seguradora deverá informar ao usuário qual a documentação necessária para fazer seu seguro auto.

Ao mesmo tempo, é preciso fazer a requisição da nota fiscal ou confirmação de renovação, além do pagamento da primeira parcela ou parcela única dentro do vencimento estipulado pela seguradora.

Os principais documentos solicitados na hora de contratar um seguro veicular são:

  • Documentos pessoais: RG, CPF e CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Ou apenas a CNH, caso conste nela o seu RG e CPF;
  • Documentos do veículo: CRV (Certificado de Registro do Veículo) e CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do veículo).

Quando o carro é 0km (novo), também é necessário apresentar a Nota Fiscal de compra, com a data de saída e o carimbo da concessionária.

Já no caso de veículos importados, é preciso apresentar a quarta via da declaração de importação.

Se o seu seguro for para um carro usado, deverão ser apresentados apenas os documentos pessoais e do veículo.

Em todo o caso, essas exigências podem mudar ligeiramente de acordo com cada seguradora.

Por isso, assim que receber a proposta da empresa de seguros, consulte se existe a necessidade de fazer cópias autenticadas de cada um dos documentos.

Com esse cuidado, você não será surpreendido, e poderá fazer o seguro de forma mais rápida.

A entrega da documentação completa e correta é fundamental.

É por meio dela que a seguradora poderá definir com exatidão as informações fornecidas na cotação.

Caso perceba inconsistências, a empresa poderá negar a oferta.

Além disso, informar dados incorretos pode caracterizar fraude após a contratação do seguro.

E se o caso for renovação de seguro veicular?

Se, em vez da contratação, você deseja fazer a renovação do seguro, é preciso apresentar um documento extra: a apólice da proteção anterior, para conferência.

É importante dizer que, mesmo que você já tenha um seguro com a empresa, a sua renovação não é automática.

Após a validade da proteção, o usuário precisa informar à companhia que deseja obter novo plano.

Depois, a seguradora seguirá, novamente, as etapas de análise da proposta e dos documentos.

A empresa sempre tem até 15 dias para fazer a análise necessária.

Eventualmente, ela também pode recusar o risco.

Além disso, em determinadas situações de renovação, é necessário levar o veículo para um posto de vistoria da seguradora.

Após este passo, a apólice de seguro é entregue ao consumidor, comprovando a nova vigência do seguro.

Ao receber a papelada, lembre-se de ler o contrato todo de novo.

As regras podem ter mudado, e você precisa concordar com as cláusulas atuais.

Neste cenário, é comum que haja um prazo de alguns dias úteis (ou corridos) para pagamento da primeira parcela do seguro.

Sempre conte com um bom corretor, para que todo esse processo se torne mais rápido e vantajoso.

Quais são os principais cuidados a serem tomados antes de contratar um seguro?

Mesmo antes de enviar todos os dados para cotação de seguro auto, existem alguns cuidados que devem ser tomados para a contratação do serviço.

Por exemplo: é importante que o cliente esteja atento a todas as cláusulas que envolvem a prestação de serviço.

Sempre verifique se a cobertura escolhida garante a segurança desejada ao veículo, e se você está de acordo com a regulamentação da modalidade.

Vale lembrar que é importante acrescentar no contrato familiares que possam vir a conduzir o veículo, mesmo que esporadicamente.

Assim, eles também estarão protegidos, caso aconteça algum acidente com o automóvel.

Esses motoristas “extras” são chamados de “condutores secundários” na apólice.

O ideal é que essa renovação também não seja feita em cima da hora, muito menos depois que a apólice venceu.

Isso porque, com mais tempo o cliente pode realizar todo o processo com mais calma e até mesmo pesquisar outras empresas.

Quanto a deixar a apólice vencer, cada dia sem seguro é um risco que o veículo e o motorista estão correndo de acontecer algum sinistro e não ter a cobertura da seguradora.

Cuidado com o contrato do seguro!

Apenas assine qualquer contrato se tiver certeza das vantagens do negócio.

Na dúvida, faça perguntas ao corretor, até saber tudo o que você precisa.

Também não assine o contrato sem verificar a situação cadastral da empresa junto à Superintendência de Seguros Privados.

A Susep é o órgão responsável pela regulamentação desse ramo.

Certificar-se sobre a boa reputação da empresa também é interessante.

Você pode realizar esse passo pesquisando sobre ela em sites de busca e nas redes sociais.

Quando você fizer um primeiro contato com a empresa, vários benefícios serão oferecidos para a proteção do veículo.

Porém, é importante não se entusiasmar demais com essas ofertas.

Avalie exatamente o que a cobertura oferecida abrange, e verifique se as proteções são necessárias ao seu carro.

Assim, você não correrá risco de pagar mais caro por uma modalidade de seguro que não atende completamente às suas necessidades.

É aconselhável, ainda, adquirir um equipamento antifurto junto com o seguro.

Como um rastreador ou bloqueador veicular.

Os equipamentos são responsáveis por aumentar a segurança do carro, e costumam reduzir o valor das apólices ou franquias contratadas.

Observando todas essas situações, certamente você terá muito mais tranquilidade no momento de contratar um seguro de automóvel.

Quando fazer o seguro não vale a pena?

Os valores para a contratação do seguro costumam variar muito, de acordo com aspectos como a idade e sexo dos motoristas, cidade do País e frequência de uso do carro.

Antes de providenciar o que é preciso para fazer seguro de automóvel, é importante que você observe até que ponto será possível absorver os riscos de perda sozinho.

Ou seja: o quanto você está disposto a gastar no conserto do automóvel, após uma colisão?

Ou, qual será o seu prejuízo caso ele seja roubado?

De modo geral, obter um seguro auto vale muito a pena.

Afinal, após qualquer problema, a seguradora tomará a responsabilidade sobre o prejuízo.

Assim, o consumidor ficará livre dos custos, geralmente altos.

Para fazer o melhor negócio, basta apenas comparar as cotações de várias seguradoras.

Agora você já sabe quais são os documentos necessários para cotação de seguro auto.

Também conhece todos os cuidados que devem ser tomados antes de contratar o serviço, para obter o melhor negócio.

Realize suas cotações e adquira já a melhor proteção para o seu veículo!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

4 Comentários

  • Eduardo says:

    Boa noite.

    Comprei um carro 2020 usado da Concessionária, que era usado para teste drive e será usado por mim como particular. Mas só poderei passar para o meu nome em maio de 2020, permanecendo em nome da empresa concessionária. Como fazer o seguro? O veículo fica no ativo imobilizado da empresa. Sei que em caso de sinistro o beneficiário primeiro é a financeira, já que o veículo é alienado, depois a concessionária. Como ficaria o seguro?

    Obrigado

    • Sanaira Silveira says:

      Bom dia Eduardo,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      Para fazer a cotação de seguro, você precisa preencher o formulário em: carro.smartia.com.br para que um de nossos corretores parceiros entre em contato com você e tire suas dúvidas.

      Atenciosamente

  • Andreia De Melo Souza says:

    Boa tarde,

    O seguro pode ser no nome de outra pessoa?
    E tem que ter nome limpo pra fazer seguro?

    Obrigada

    • Sanaira Silveira says:

      Bom dia Andreia,

      Obrigada pela mensagem em nosso site.
      O seguro pode sim ser em nome de outra pessoa.
      E dependendo da seguradora, o seguro pode ser feito com nome restrito.

      Para fazer a cotação de seguro, você precisa preencher o formulário em: http://vemm.go2cloud.org/SHEv para que um de nossos corretores parceiros entre em contato com você.

      Atenciosamente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *