Aprenda, de forma prática, o que são coberturas RFC e APP

Tem dúvidas sobre coberturas RFC e APP? As opções são bastante faladas no ramo dos seguros, e podem ser úteis para o cuidado com as pessoas. Sem contar, é claro, que elas evitam prejuízos do segurado. Acompanhe o texto e descubra tudo o que você precisa sobre os assuntos.

Quando contrata um seguro de carro, é comum que o usuário avalie, apenas, os perigos para o veículo. As colisões, roubo, incêndios…

No entanto, um seguro auto pode proteger bem mais do que o carro. Na verdade, é fundamental que ele conte com opções para o cuidado com as pessoas, como as coberturas RFC e APP.

A cobertura RCF, ou RCF-V, nada mais é do que, Seguro Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos.

Já a cobertura APP é a proteção para Acidentes Pessoais de Passageiros. Continue acompanhando o texto — falamos mais sobre cada uma delas a seguir.

Aprenda, de forma prática, o que são coberturas RFC e APP

O que é a cobertura APP no seguro auto?

A cobertura de Acidentes Pessoais de Passageiros é voltada para a cobertura de danos causados aos passageiros do veículo segurado.

Ela garante o pagamento de indenizações por morte ou invalidez permanente, e também arca com as despesas médicas e hospitalares do indivíduo.

Esse tipo de cobertura tem valor previamente limitado, indicado na apólice do seguro. Têm direito às indenizações todos aqueles cujo risco é coberto pelo seguro.

Ou seja, é preciso que o sinistro esteja previsto no contrato da proteção. Se uma colisão ocorrer, mas o seguro não contar com a cobertura para esse tipo de acidente, a cobertura APP não irá pagar nenhuma indenização.

Além disso, algumas seguradoras limitam os passageiros que podem receber a indenização. Por exemplo, excluindo familiares diretos.

Não há regra contra essa prática. Por isso, o mais indicado é ter atenção ao contrato do seguro, obtendo aquele que protege o maior número possível de passageiros.

Os valores disponibilizados pela cobertura APP ainda funcionam para tratar ou indenizar, apenas, lesão física exclusiva do acidente de trânsito que envolva o veículo segurado. Lesões prévias não são  Indenizadas.

Qual a relação entre a cobertura APP e o DPVAT?

É importante destacar que algumas empresas seguradoras entendem a cobertura das despesas médicas e hospitalares como um “seguro de segundo risco”.

Isso significa que elas consideram o limite estabelecido na apólice, e pagam a indenização apenas como um complemento do seguro obrigatório DPVAT.

O DPVAT (para Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de via Terrestre) é um seguro obrigatório, pago anualmente junto ao IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

Por meio dele, qualquer vítima de acidente de trânsito (pedestre, passageiro ou motorista), recebe indenização para a quitação de despesas médicas, e também em caso de invalidez ou morte (em que os valores são pagos aos familiares da vítima).

A cobertura APP cobre os passageiros do segurado desde o instante em que eles entram no veículo, até a hora que saem.

Porém, esse tipo de cobertura não protege passageiros de veículos com menos de quatro rodas, como motocicletas e triciclos; que estejam a serviço de socorro médico; de veículos usados por corporações militares ou Corpo de Bombeiros, ou na utilização de transporte de presos.

O que é cobertura RCF?

No caso da cobertura do seguro de Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos, o RCF ou RFC-V, o usuário obtém cobertura para danos materiais ou corporais involuntários, causados a terceiros pelo veículo protegido.

Por meio desse tipo de proteção, é feito o reembolso de prejuízos em outros veículos e também DE despesas de natureza judicial ou extrajudicial.

Imagine que, dirigindo, você provoque uma colisão. Como resultado, o seu carro e outro, de um terceiro, são danificados.

Acionando a cobertura RCF, a seguradora irá quitar a reparação do carro do outro motorista. Assim, você se livra de arcar, sozinho, com o prejuízo.

Além disso, caso algum processo judicial ou extrajudicial ocorra, a seguradora arca com as despesas com advogados e indenização.

As indenizações da cobertura RCF também só são pagas até o valor limite determinadas na apólice.

A contratação da proteção é opcional, e seu caráter é complementar ao valor de eventual indenização paga pelo DPVAT em caso de anos corporais causados pelo sinistro.

A contratação do RCF pode ser feita de modo isolado ou em conjunto com as demais coberturas básicas e adicionais do veículo.

Para essa contratação, o veículo fica sujeito à vistoria da seguradora. Os valores dos sinistros e de suas indenizações são previamente descritas na apólice, de acordo com a natureza dos danos materiais, corporais e morais causados.

No caso de sua configuração como seguro adicional, o RCF cobre o dano moral e estético, e há extensão do perímetro do seguro para demais países da América do Sul.

Quais as diferenças entre as coberturas RCF e APP e o DPVAT?

É fundamental diferenciar as coberturas RCF e APP, além do DPVAT. Para começar, enquanto o DPVAT é obrigatório, as duas outras são opcionais.

Além disso, DPVAT e APP cobrem apenas danos físicos, enquanto o seguro RCF-V é responsável por compensar prejuízos materiais.

Para garantir a proteção em todos estes aspectos, é sempre interessante contratar todas as coberturas.

Até porque, quando não possui os seguros APP ou RCF, o usuário fica sujeito a arcar, sozinho, com os prejuízos físicos e morais de terceiros. Especialmente em casos de processos judiciais.

Também é preciso dizer que o DPVAT garante indenizações a todas as vítimas de acidente de trânsito causado por veículo automotor, em todo o território nacional, independentemente de culpa.

Já o RCF reembolsa terceiros após um sinistro com o veículo segurado, quando a culpa é do cliente do seguro.

Enquanto isso, o APP indeniza os passageiros do acidente, também quando a culpa é do segurado. O RCF-V não indeniza passageiros, e o APP não indeniza terceiros.

Agora que você já sabe o que são as coberturas RFC e APP, converse com seu corretor. Incluí-las em seu seguro auto pode ser bastante vantajoso, aos envolvidos no sinistro e ao seu bolso.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *