Não guardei o carro na garagem e ele foi roubado. O Seguro paga a Indenização?

| Autor: Jeniffer Elaina

Às vezes por um descuido ou esquecimento, alguns imprevistos acontecem.  Em relação ao seguro de automóvel, existem alguns motivos ou descuidos que podem fazer com que a empresa recuse a indenização.

Isso pode acontecer, por exemplo, se houver atraso no pagamento dos prêmios, roubo do veículo em uma cidade diferente da que foi relatada no contrato, ou se acontecerem acidentes causados por terceiros com carros emprestados.

Mas outro fator muito importante que as companhias de seguros levam em conta no momento de realizar uma apólice, é a questão da garagem.

Não guardei o carro na garagem e ele foi roubado. O Seguro paga a Indenização?

O carro foi roubado fora da garagem, e agora?

A informação correta sobre a posse de uma garagem para o veículo do qual o seguro foi contratado pode determinar que a indenização seja paga ou não.

Não é necessário que a garagem pertença ao segurado, e nem que ela esteja localizada na residência do mesmo.

Porém, ao relatar que existe uma garagem para o pernoite do automóvel, é de fato necessário que a garagem seja utilizada.

Outro ponto a ser esclarecido ao contratar o seu seguro, é esclarecer se o veículo fica todo o dia no estacionamento ou somente uma parte do dia.

Todas as informações sobre o hábito de utilização do veículo deve ser preenchida no formulário de contração.

Elas é que ajudarão a determinar os riscos e a estabelecer as coberturas que a seguradora está oferecendo.

O que acontece muitas vezes é que, quando o segurado contratou um seguro de automóvel, morava numa residência sem garagem, e hoje mora num lugar com local para guardar o veículo.

Neste caso, ele deve informar à companhia de seguros sobre a mudança do domicílio para que a apólice seja modificada.

Não esconda informações no momento da contratação do seguro

É melhor pecar por excesso do que por falta.

Por isso, sempre dê todas as informações para a seguradora no momento da contratação do serviço.

Isso porque, se ocorrer um sinistro que fuja do que estava previsto pela empresa, ela pode não pagar a indenização, ou alegar que não deveria pagar a indenização, fazendo com que muitas vezes, o cliente tenha que buscar seus direitos na justiça.

Assim, para evitar transtornos, além de ser totalmente honesto e transparente no momento da contratação, é importante que qualquer alteração na rotina do veículo ou do cliente, a empresa seja avisada.

Isso quer dizer que se o segurado mudar de domicílio, emprego ou começar a ir com o carro para um determinado destino frequentemente, a empresa precisa estar ciente.

Se ocorrer um sinistro em um local que o cliente alegue ser sua casa ou trabalho e que difere  com o que consta no cadastro, abre precedentes para a negativa da seguradora.

Além disso, se na contratação do seguro for informado que o carro fica em uma garagem, é preciso que o carro fique frequentemente na garagem.

Outro fator importante é detalhar se a garagem é coberta ou não.

Esse dado interfere no caso de um desastre natural, por exemplo.

Se o veículo costumava ficar dentro da garagem, você precisará provar

Se você não guardou o carro na garagem e ele foi roubado, sua seguradora só pagará a indenização correspondente se for possível comprovar que o veículo era regularmente guardado na garagem.

Caso você não possa provar isto, a indenização pode ser recusada.

Isso quer dizer que se foi informado que o carro pernoitava na garagem será preciso que a seguradora veja provas disso em suas verificações.

Se por algum motivo for observado que era frequente que o carro ficava para fora da garagem, a indenização não será paga.

Vale lembrar que em caso de negativa ela deve vir acompanhada da justificativa.

Entretanto, se for uma situação esporádica, que muitas vezes é entendida apenas com as justificativas do segurado, então a empresa realização o pagamento da indenização.

Isso não significa que o carro pode ficar sempre na rua

Quando o cliente consegue confirmar que foi apenas um esquecimento, ele pode conseguir a indenização.

Isso não quer dizer que você pode deixar o carro na rua sempre, até porque, fica ainda mais difícil de confirmar que foi apenas um esquecimento.

Sem contar que, se você tem uma garagem, coberta e segura, não tem porque deixar o carro correndo risco na rua.

Além disso, independente do seguro, o carro pernoitar na rua aumenta muito as chances de um sinistro acontecer.

Descuidos acontecem, mas não podem virar rotina.

Procure ir para lugares que tenha garagem

Apesar de o carro ter seguro, seja sempre cuidadoso o suficiente, como se ele não tivesse.

Não utilize o seguro como um pretexto para descuidar de seu veículo.

Até porque uma má conduta pode dar motivos para a seguradora não pagar a indenização, ou pelo menos, demorar e dificultar o processo.

Por isso, quando for sair, seja pra ir em restaurantes, amigos, lojas, dentre outros lugares, dê preferência para os locais que contam com garagem ou estacionamento.

Sem contar que o carro, quando está na rua, corre outros riscos além de um roubo ou furto.

Principalmente quando exposto em uma via movimentada, pode acontecer de outro carro bater no seu veículo, ou ocorrerem arranhões e amassados.

O cuidado serve para todos os horários do dia

Esses cuidados, no entanto, não devem ser apenas durante a noite, mas sim, em todos os momentos.

Isso porque, crimes e imprevistos não tem hora para acontecer.

Principalmente nas grandes cidades, os ladrões não marcam hora para roubar alguém.

Assim, mesmo durante o dia, mantenha os cuidados redobrados.

E claro, evite frequentar zonas de risco, que possuem maior incidência de roubos e acidentes.

E se alguém vier me visitar e tiver seu carro roubado?

Se alguma visita sua tiver o carro roubado, não há muito o que você possa fazer, a não ser dar seu testemunho para a polícia.

Em um caso como esse, a vítima deverá entrar em contato com a seguradora normalmente e informar o ocorrido.

Mas não há nada que o anfitrião possa fazer, já que o carro não era dele, nem a responsabilidade.

Mas e se o dano for dentro de um estacionamento?

Se algo acontecer com seu veículo dentro de um estacionamento, o estabelecimento é que deve se responsabilizar pelo ocorrido.

Além disso, ao contrário do que muitos pensam, os objetos deixados no interior do veículo também são de responsabilidade do estacionamento, apesar dos avisos dizendo o oposto.

Sendo assim, caso aconteça uma situação semelhante saiba que é seu direito ser ressarcido pelo estacionamento, principalmente se ele for pago.

Mesmo com todos os cuidados, imprevistos podem acontecer.

Porém, é preciso estar sempre atento sobre o que é ou não seu direito.

Compartilhe esse artigo com seus amigos para que eles também saibam o que fazer caso tenham seus carros roubados fora da garagem.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

4 Comentários

  • Eduardo Antonio says:

    Tenho uma pergunta: Meu carro tem garagem em minha residência oficial e também na minha casa de praia, porém o o meu risco maior em função do CEP é da residência oficial.
    Caso o meu carro fique alguns meses na minha casa de praia e for roubado, serei ressarcido?

    • Jeniffer Elaina says:

      Olá Eduardo, tudo bem?
      Caso seja uma mudança de endereço, mesmo que temporária, você deve comunicar seu corretor para verificar o que deve ser feito porque varia de acordo com cada seguradora.
      Abraço!

  • Eduardo Antonio says:

    Boa tarde!
    O estacionamento de rua pelos municípios com comprovante de estacionamento tem o mesmo valor de garagem? Caso seja roubado de quem deve ser a indenização?

    • Jeniffer Elaina says:

      Olá Eduardo, tudo bem?
      O carro que está estacionado na rua corre mais risco do que o que está em garagem ou estacionamento, então é diferente.
      Referente a indenização, se você deixar o carro estacionado e seu seguro tiver cobertura contra roubo, será ressarcido.
      Sobre o comprovante de estacionamento municipal, cada cidade tem suas regras e você teria que entrar em contato para averiguar, mas o município não costuma se responsabilizar, então em alguns casos você teria que procurar um especialista para verificar a situação.
      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *