Como estão as estradas e rodovias do Estado do Rio de Janeiro?

Estradas e rodovias do Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro é um dos Estados do Brasil por onde as pessoas mais viajam. Além da cidade do Rio de Janeiro, existem outras cidades de praia no entorno que são consideradas paraísos naturais. Por causa disso, é importante saber a situação das estradas e rodovias que devem ser percorridas para chegar ao local da viagem.

Além disso, existem muitas pessoas que trabalham no Rio de Janeiro, mas moram em Niterói, Macaé, Maricá ou outras cidades próximas e precisam pegar a estrada diariamente. A fiscalização das vias é de extrema importância e a população tem direito de reivindicar por melhorias, afinal, se trata de segurança.

Diariamente, por exemplo, vários motoristas sobem a serra na estrada Grajaú-Jacarepaguá. Mas, de acordo com moradores da região, já ocorreram no local 180 quedas de veículos desde 2000. A CET-Rio informou que vai instalar dois equipamentos de fiscalização eletrônica nos pontos mais perigosos da via. Alguns trechos na subida da serra estão com grade e outros sem nenhuma proteção.

Na subida da BR – 040 na Serra de Petrópolis também existem vários trechos com remendos, rachaduras e sinalização precária. Os motoristas devem tomar muito cuidado ao passar por lá, pois infelizmente a rodovia é estreita, antiga e com vários defeitos. Essa é a estrada que liga o Rio a Juiz de Fora e tem excesso de veículos pesados passando diariamente por lá.

A Concer, concessionária que administra a BR-040, já começou a tomar providências no ano passado para melhorar a estrada. Uma nova pista será construída no lugar da que está agora, mas deverá ficar pronta somente em 36 meses.

A estrada que liga Guaratinguetá a Paraty também tem grandes defeitos e é bem perigosa. Também conhecida como “Paraty-Cunha”, ela ainda não é asfaltada e um trecho foi atingido por uma tromba d’água em 2010. Felizmente, há outros caminhos para chegar a Paraty, portanto escolha um caminho que não passe por lá e planeje o percurso antes de sair, em vez de confiar no GPS.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *.

*
*