O que fazer em caso de inundação do automóvel

blog35

Muito comum vermos nos noticiários, carros presos no meio da rua por causa enchentes em épocas de chuva forte.  Um pesadelo para os motoristas, não é mesmo?  A boa notícia é que todo veículo pode ser recuperado, a má notícia é o preço desse serviço.

Entre os casos menos complexos estão aqueles em que a água apenas invadiu o assoalho, entrando pela porta, encharcando-o. Já entre os mais difíceis, há os casos em que água atinge o motor em funcionamento, na ocasião em que o motorista insiste em atravessar a enchente.

O preço de recuperação de um veículo alagado é diretamente proporcional à quantidade de equipamentos eletrônicos do carro que podem ser alcançados pela água. Esse valor vai de 500 reais – pagos, por exemplo, pela higienização completa do mesmo – a 40.000 reais – para a troca de módulos eletrônicos comandantes de várias funções em modelos importados de luxo. Retiram-se os tapetes, os estofamentos e os bancos; substituem-se o feltro, a parte elétrica, o óleo de câmbio e os módulos eletrônicos. Isso sem mencionar os custos com o revestimento.

Assim, se o seu carro foi inundado, a primeira coisa a ser observada é até que ponto a água atingiu e, em seguida, entrar em contato com a seguradora ou com seu mecânico de confiança, para uma avaliação mais especializada do seu prejuízo. Dica: faça isso rapidamente, pois, quanto mais o carro ficar parado, mais o conserto se tornará difícil que, por sua vez, poderá durar de uma semana a um mês, em média.

Já quando o preço do conserto chega a 75 por cento ou supera o valor do veículo, há perda total do mesmo; situação que cresce cada vez mais, especialmente nos períodos chuvosos do início do ano, mas que, em geral, são cobertos pelo seguro. Entretanto, seguros de lugares com garagens subterrâneas, mais suscetíveis ao alagamento, não cobrem esse prejuízo! A melhor dica é ficar atento aos detalhes técnicos e ao relato dos moradores na hora de escolher seu imóvel, principalmente, se estiver numa área de alagamentos.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *.

*
*