Carros híbridos poderão ter imposto de importação reduzido

Carros híbridos poderão ter imposto de importação reduzido

A previsão é de que o governo brasileiro fixe uma alíquota de Imposto de Importação reduzida em favor da entrada de modelos de carros híbridos no Brasil. De acordo com o serviço de informações da Agência Estado, trata-se de uma proposta em estudo nas áreas técnicas dos ministérios da Fazenda e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e que prevê a fixação de uma cota de importação com alíquota beirando ao zero, pelo menos nos anos iniciais de implementação da política de estímulo à produção desse tipo de veículo no Brasil.

Já há algumas empresas devidamente habilitadas no atual regime automotivo e que, possivelmente, já se beneficiaram com essa nova política de estímulo tributário e serão participantes das demais fases do programa que incluem a inserção dos componentes nacionais, seguida da montagem dos automóveis no Brasil.

O prognóstico e de que os carros importados cheguem ao Brasil com motor movido a gasolina e também com recarga elétrica. Na segunda fase, as montadoras teriam de converter esse motor para flex e permitir o uso do etanol como combustível. Já a última etapa contará com o início da produção dos carros no Brasil.

Com a liberalização para importação dos carros híbridos no Brasil, a proposta é que se crie uma demanda considerável no mercado por esse tipo de veículo. Mais baratos e com custos de produção local mais em conta, devido aos incentivos tributários iniciais, os carros híbridos importados prometem ser introduzidos em larga escala no país. A medida conta com o apoio da Associação Nacional de Veículos Automotores – a ANFAVEA, que solicitou ao governo a isenção de Imposto sobre Produtos Industrializados na importação dos carros híbridos até o ano de 2017, podendo continuar com a isenção, somente as fábricas que passassem a nacionalizar a produção dos automóveis; e com a União da Indústria de Cana-de-Açúcar – a Única, desde que os automóveis sejam equipados com motores tipo flex.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *.

*
*