Airbag e abs obrigatórios de fábrica. Quem pagará a conta?

Airbag e abs obrigatórios de fábrica. Quem pagará a conta?

Em 2014, a obrigatoriedade de que todos os carros novos tenham airbag e freios ABS começa a vigorar no Brasil. Para os veículos seminovos que não contêm esses equipamentos, é ainda permitida sua circulação. Os carros já sairão das fábricas compostos de um airbag duplo frontal, sendo que um é para o motorista e outro para o ocupante do banco do carona à frente e do sistema de freios ABS, responsável por evitar que o travamento das rodas aconteça em caso de uma frenagem mais brusca.

A obrigatoriedade de uso desses itens implica no fato de não poderem ser vendidos como opcionais, mas inclusos nos carros, no caso de outros tipos de airbag, como o de cortina e o de joelho, estes sim, poderão ser comercializados à parte.

Com previsões do Conselho Nacional de Trânsito – Contran – desde o ano de 2009, a quantidade de carros já munidos desses itens é crescente e, em 2014, atinge seus cem por cento. Com a lei, os modelos fabricados sem airbag ou ABS, para serem adquiridos posteriormente, acabaram; como é o caso da Kombi e do Gol G4 da Volkswagen e do Fiat Mille, por exemplo.

Com os equipamentos inclusos, o preço também sobe. Para os carros populares, esse aumento deverá ser de quatro a oito por cento. Segundo a ANFAVEA, o custo de instalação dos itens em carros que não os possuía equivalia de um mil a mil e quinhentos reais, pagos pelo proprietário do veículo. Além do mais, o preço dos carros em 2014 subirá de qualquer maneira devido ao aumento do IPI pago.

Vale lembrar que a existência obrigatória de airbags nos carros não exclui o uso do cinto de segurança que continua essencial e o obrigatório, uma vez que isso implica, inclusive, a eficácia do equipamento. No caso dos freios ABS, a dica é que o pé não seja retirado do pedal em casos de frenagens mais violentas, pois, é nessa ocasião que o freio é acionado e a pressão do pé no pedal é o correto a se fazer.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *.

*
*